Estudo revela que motociclistas belgas não têm formação suficiente

By on 8 Abril, 2022

Um estudo realizado na Bélgica, constatou que 42% dos utilizadores de duas rodas não recebeu nenhuma formação específica para a condução de motociclos naquele país. Os motociclos de 125 cc são os mais utilizados.

Com a chegada da primavera e de dias ensolarados, o número de motociclistas nas estradas aumenta substancialmente. Tendo em conta essa realidade, um instituto (Vias) realizou um estudo aprofundado sobre o perfil dos motociclistas na Bélgica para determinar quem eles são, qual a sua experiência e treino, qual a sua visão sobre questões de segurança…

Realizado numa amostra de 3.000 motociclistas belgas com mais de 16 anos que viajam de scooter ou moto, o estudo visa proporcionar uma melhor compreensão das práticas atuais, para apoiar a investigação e melhorar as medidas implementadas para a segurança rodoviária.

O estudo revela que a área geográfica não tem impacto nos perfis, mas sim nos usos, por exemplo com mais deslocações profissionais na capital Bruxelas comparativamente à Flandres onde o lazer é privilegiado. Além disso, os veículos de duas rodas são usados ​​principalmente para passeios e viagens de menos de 500 km, antes das viagens casa/trabalho, enquanto o seu uso profissional permanece marginal.

Sem surpresa, também indicou que os motociclistas andam principalmente no verão, sendo apenas 18% a andar de moto entre novembro e fevereiro. Há também alguns motociclistas “dual”, para os quais o carro continua a ser o principal meio de transporte e a moto representa em média apenas 20% das suas deslocações.

A outra ilação deste estudo é a falta de treino específico para andar de moto. Tal como em França até há pouco tempo, a Bélgica permitia conduzir um veículo de duas rodas sem ter que passar por uma carta ou formação específica, apenas com a carta B. Se assim era até 2011 para a 125, isto dizia respeito a todas as deslocações até 1989. Assim, 42% dos utilizadores de motos nunca fizeram nenhum exame específico!

O estudo revela ainda que um grande número de motociclistas deixa geralmente de conduzir duas rodas durante 9 anos, na maioria das vezes por motivos familiares, nomeadamente quando nasce uma criança. A maioria dos motociclistas tem entre 35 e 54 anos. A idade média está cada vez mais alta, assim como a das vítimas de acidentes.

Em termos gerais a moto tem registado um ganho de popularidade na última década com cerca de 480.000 veículos de duas rodas matriculados na Bélgica, ou seja, 14% a mais que em 2010. São principalmente motociclos de 125 cc.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments