Honda Hornet (1996-2014), um ícone da produção japonesa

By on 30 Novembro, 2022

Hornet é um nome que, inevitavelmente, evoca memórias para muitos de nós que andámos de moto nos idos anos 90. Mas se foi com a CB600F que a Europa descobriu a série de motos Honda que se tornou lendária, a origem desta gama remonta a anos ainda mais distantes por terras do Sol Nascente.

Mais de sete anos após o desaparecimento definitivo da sua série com a descontinuação da Hornet 600, a Honda anunciou no EICMA de 2021 que uma naked desportiva com o nome da Hornet iria regressar à gama num futuro próximo. A marca mantém o mistério em torno deste novo modelo por um ano e finalmente revela a CB750 Hornet na Intermot de Colónia em 2022.

Se o nome original foi mantido, a técnica da moto já não tem muito a ver com as origens, já que agora é baseada num bicilíndrico em linha de 755cc que entrega 91,8 cv e 75 Nm para 190 kg com o dpósito pleno de combustível. Mantendo uma linha desportiva, a naked japonesa parece ser mais racional na estrada, mas também muda o seu posicionamento, dirige-se à novas gerações e com um preço de venda que se situa nos 7.800 euros.

Essas mudanças radicais darão uma segunda vida a esta gama mítica? O futuro dirá.

CB250F Hornet – 1996/2007

HONDA CB250F 1996

É de facto em 1996 que o nome Hornet surge na Honda com a CB250F inicialmente comercializada no Japão. Mas, embora a ciclindrada fosse de apenas um quarto de litro, o conceito da gama Hornet já estava bem definido. De fato, a CB250F era impulsionada pelo motor de 4 cilindros em linha de 249cc da desportiva CBR250R, cuja potência foi reduzida para 40 cv para torná-la mais adequada para uso em estrada e com mais útil em baixas rotações. O modelo foi um verdadeiro sucesso no mercado interno onde é produzido até 2007, mas é com cilindradas maiores que a Honda ataca os mercados ocidentais.

CB600F Hornet – 1998/2014

HONDA CB600F HORNET 1998

Dois anos depois da primeira Hornet japonesa, a Honda lança na Europa a CB600F Hornet, seguindo a mesma filosofia de motor. A naked japonesa é assim desenvolvido em torno do motor de quatro cilindros em linha de 599 cc da desportiva CBR600 de 1995, cuja potência é reduzida para 96 ​​cavalos.

A parte cíclica desta naked desportiva é então baseada numa forquilha telescópica convencional à frente, um monoamortecedor traseiro, dois discos dianteiros mordidos por pinças Nissin de duplo pistão e uma pequena roda dianteira de 16 polegadas enquanto na traseira se destaca um roda de 17 polegadas calçada com um pneu 180. O eixo dianteiro dificilmente é reconfortante e a Honda corrige a situação em 2000, instalando uma roda de 17 polegadas à frente. O sucesso está aí e vem com uma CB600FS carenada que desaparece 3 anos depois.

Em 2003, o fabricante japonês continuou a refinar a sua receita mudando ligeiramente o estilo, passando para um depósito de 17 litros, firmando as suspensões e modificando o selim e o guiador sem alterar a ergonomia, mas melhorando a estabilidade e a ‘agilidade’. Dois anos depois é trocada a suspensão dianteira convencional por uma forquilha invertida de 41 mm que melhora ainda mais o rigor do eixo dianteiro. Um novo painel, modelado a partir da desportiva CBR600, faz também a sua aparição.

Depois de ter evoluído pouco a pouco desde o seu aparecimento 9 anos antes, a Honda Hornet 600 pagou por uma revisão completa em 2007. Além de um estilo claramente modernizado que apresenta mais requinte e desportividade, a CB600F muda de motorização e herda o 4 em linha da CBR600RR de 2007 que, ainda ajustado com desempenho inferior, passa a oferecer  102 cv e 63,5 Nm de binário para uma velocidade máxima de 240 km/h. A cilística também é aprimorada com um novo quadro mais rígido, suspensões ajustáveis ​​em pré-carga, pinças de travão de quatro pistões e até uma perda de peso de 5 kg em comparação com a geração anterior. Nova versão com injeção, ABS e CBS, a naked japonesa passa no padrão Euro 3, ganhando em tecnologias e continua o seu sucesso.

Quatro anos depois, em 2011, a Honda CB600F Hornet experimenta a sua evolução final, mas manteve-se principalmente cosmética com a adoção de um farol mais próximo da CB1000R, nova instrumentação e parte traseira redesenhada. Tecnicamente, a moto permanece na mesma. Enquanto a CB600F é derivada da desportiva CBR600RR, a Honda lança uma variante carenada do roadster com a CBR600F. O círculo está completo.

HONDA CB600F HORNET 2000

Em 2014, a Honda adiciona um novo modelo sua linha com um motor de quatro cilindros de 650 cc, equipando a CB650F e sua variante com carenagem CBR650F . Muito menos desportiva, apesar do aumento de cilindrada, a nova dupla marca o fim do nome Hornet na gama Honda, visto que a CB600F Hornet é descontinuada e retirada do mercado nesse mesmo ano.

Hornet CB900F – 2002/2007

HONDA CB900F HORNET 2002

Depois da bem-sucedida estreia da CB600F Hornet na Europa, a Honda aposta no declínio de sua naked média com uma versão de maior cilindrada, desta vez contando com o propulsor da CBR900RR Fireblade. A CB900F Hornet herda o motor de 919 cc dessa icónica moto desportiva, limitada a 110 cavalos de potência. O conceito permaneceu o mesmo da 600, mas a 900 foi rapidamente deixado de lado quando a Honda a substituiu pela CB1000R em 2007 e abandonou o nome Hornet.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments