Inquérito: Motociclistas dizem “Não” a uma eventual proibição de motos a gasolina

By on 17 Setembro, 2021

Uma pesquisa da FEMA, mostra que uma possível proibição da venda de novas motos movidas a gasolina é rejeitada por mais de 90 por cento dos motociclistas inquiridos.

Fonte: FEMA

Em julho e agosto de 2021, a FEMA (Federação das Associações Europeias de Motociclistas) conduziu uma pesquisa online sobre as emissões das motos e uma possível proibição da venda de novas motos movidas a gasolina. A pesquisa estava disponível em 12 idiomas e foi respondida por 23.768 pessoas (1.188 mulheres e 22.580 homens).

Em resposta à questão ‘O que acha de uma possível proibição da venda de novas motocicletas movidas a gasolina?’, 92,91% dos motociclistas que responderam rejeitaram tal proibição. Existem diferenças entre os países, mas o índice de reprovação de uma possível proibição da venda de novas motos a gasolina não é inferior a 80% em nenhum país europeu.

Em comparação com a pesquisa da FEMA realizada em 2016, vemos um grupo maior de motociclistas que estariam dispostos a comprar uma moto mais nova se motos mais antigas (anteriores a 2006) fossem proibidas de entrar na cidade (55,46% em 2021, contra 44 % em 2016).

Dos entrevistados, mais de 44% considerariam outro meio de transporte se tal proibição ocorresse, o que poderia levar a uma grande mudança na mobilidade em certas cidades. Isso pode ser um problema ainda maior quando as autoridades municipais decidem proibir a entrada de veículos movidos a combustíveis fósseis na cidade, porque, nesse caso, mais de 76% dos entrevistados mudariam o seu meio de transporte, em vez de mudar para uma moto sem emissões (elétrica / célula de combustível). Isso poderia ter efeitos drásticos na mobilidade urbana como a conhecemos.

Além disso, a grande maioria (88,75%) daqueles que estariam dispostos a mudar para uma moto sem emissões – no caso de proibição de entrada nas cidades de motos movidas a gasolina – afirmou não estar disposta a pagar mais por essa moto (elétrica ou com outra alternativa energética ) que por uma moto convencional.

Quando questionados sobre o que fariam se a venda de motos movidas a gasolina fosse proibida, uma maioria de 53,38% afirmou que deixaria de andar de moto. 38,96% dos entrevistados comprariam uma moto com emissão zero quando não houvesse mais motos movidas a gasolina novas ou usadas disponíveis. Apenas 7,67% já comprariam uma moto  com emissão zero quando ainda existem motos movidas a gasolina.

Quando questionado se poderiam desfrutar de uma moto sem emissões tanto quanto na sua moto atual, se a proibição total de todos os veículos movidos a combustíveis fósseis fosse introduzida, 58,92% responderam que parariam de andar. Essa é uma grande mudança de atitude desde 2016, quando 46% dos entrevistados disseram que parariam de andar.

Dos entrevistados, 41,08% afirmaram que gostavam de andar de moto sem emissões, contra 54% em 2016.

  • Respostas por países:
  • Respostas por grupos etários:
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments