Motociclistas com manifestação agendada para domingo

By on 15 Fevereiro, 2018

É já no domingo que os motociclistas portugueses vão realizar um protesto nacional contra as medidas anunciadas pelo ministro da Administração Interna, que incluem a inspecção periódica dos motociclos, triciclos e quadriciclos com cilindrada superior a 250 cm3.

O Governo quer também tornar obrigatória a carta de condução para quem tendo uma carta de ligeiros e compre uma mota de 125 centímetros cúbicos.

O protesto marcado para domingo às 15 horas em várias cidades, entre as quais Porto, Coimbra, Faro, Funchal e Ponta Delgada, é organizado pelo Grupo Ação Motoclista (GAM), criado em 2005, e tem o apoio de clubes de vários pontos do país, nomeadamente do Porto e de Faro.

Anunciada como a “2ª Megamanifestação Contra a Manipulação da Sinistralidade e a Farsa das Inspeções às Motos”, a iniciativa visa mostrar o descontentamento dos motociclistas pelas medidas que o ministro da Administração Interna quer que entrem em vigor até ao final do primeiro semestre deste ano.

Em todos os locais onde os motociclistas vão concentrar-se, seguem depois em desfile pelas cidades, durante o qual haverá intervenções públicas dos participantes. “Os cidadãos/motociclistas deste país sabem que os argumentos da sinistralidade e segurança rodoviária, que até agora foram usados pelo ministro da Administração Interna, são falsos e apenas visam a viabilização de negócios que irão penalizar e até condenar o uso da moto e a mobilidade nos grandes centros urbanos”, lê-se num comunicado emitido pela organização.

Na cidade de Lisboa durante a manifestação, será entregue na Assembleia da Republica a representantes de todos os grupos parlamentares um “Manifesto Motociclista”, onde estarão expressas as razões desta jornada de protesto contra as medidas anunciadas pelo Ministro da administração Interna. Esse mesmo “Manifesto Motociclista” será entregue também no Ministério da Administração Interna.

Para os promotores desta manifestação: “Os sucessivos governos não podem continuar a usar a sinistralidade rodoviária para justificar medidas que nada têm a ver com as verdadeiras causas dos acidentes e que apenas irão penalizar economicamente os motociclistas”.

O protesto segundo os seus organizadores  visa deixar bem claro que “existe uma manipulação sistemática dos indicadores de sinistralidade em prol de lobbies económicos e foram anunciadas medidas pelo Ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, que apenas se centram em interesses económicos e na caça à multa. O ministro nem sequer respondeu a um pedido conjunto de reunião da ACAP e da FMP-Federação Motociclismo de Portugal, representantes do sector comercial e dos motociclistas, que sentiram necessidade de elucidar o ministro sobre a realidade do panorama da sinistralidade com as motos”, acrescenta o comunicado do Grupo Ação Motoclista.

Deixe um comentário

Seja o primeiro a comentar!