Reino Unido quer acabar com as vendas de motos a gasolina até 2035

By on 18 Julho, 2022

À medida que a pressão para um futuro mais verde se intensifica, o Departamento de Transportes (DFT) do Reino Unido quer dar um passo adiante, propondo o fim da venda de motos e scooters a gasolina até 2035.

Não é só na UE que há um plano para acabar com a venda de veículos novos com motor de combustão. Do outro lado do Canal da Mancha, o plano do Reino Unido segue a mesma linha, propondo acabar com todas as vendas de motos com motor de combustão até 2035. O Departamento dos Transportes, apresentou as novas propostas no final do primeiro ano do Plano de Descarbonização dos Transportes.

“É importante que as motos não permaneçam movidas a combustível fóssil enquanto o resto da frota de transporte é limpa”, afirmou Trudy Harrison, Ministra de Estado dos Transportes do Reino Unido.

O governo do Reino Unido lançou uma consulta aberta, chamada ‘Veículos da categoria L, para acabar com a venda de todos os veículos com emissões diferentes de zero (categoria L) até 2035. Os veículos da categoria L incluem ciclomotores, motociclos, triciclos e quadriciclos. Nessa consulta , o governo anuncia a proibição de venda de novas motos com emissões diferentes de zero a partir de 2035.

No entanto, na proposta, as vendas de motociclos com menos de 14,8 cv também terminam cinco anos dessa data, por em 2030. A Motorcycle Industry Association criticou os planos, mas não tocou numa das vertentes mais favoráveis aos motociclos, ao não insistir que os veículos de aprendizagem de duas rodas são mais ambientalmente eficientes do que os carros elétricos.

O Governo britânico afirma claramente: “Embora os carros e vans superem amplamente as motos nas estradas do Reino Unido, as motos são uma população de veículos importante e considerável, com 1,3 milhão atualmente licenciados em 2021. Não queremos vê-los permanecendo movidos a combustíveis fósseis como o resto dos nossos veículos ‘limpos’ limpeza dos veículos”. De acordo com o governo do Reino Unido, os veículos de emissão diferente de zero produzem emissões de gases de escape prejudiciais durante a condução, incluindo gases de efeito estufa, como dióxido de carbono, e poluentes como dióxido de nitrogénio.

Além disso, a ministra dos Transportes, Trudy Harrison, anunciou financiamento para impulsionar o desenvolvimento de motos de emissão zero no Reino Unido.

Neil Liversidge, presidente do Motorcycle Action Group (MAG), disse a propósito: “A MAG opõe-se totalmente à proposta de proibição da venda de veículos com motor de combustão interna, seja a partir de 2035, o originalmente debatido que era 2040, ou qualquer outra data. A MAG também se opõe a qualquer política que leve ao aumento dos custos de combustível ou à redução da disponibilidade de combustíveis para veículos com motor de combustão interna”.

O debate sobre este tema vai prolongar-se até 21 de setembro deste ano e reunirá várias opiniões sobre esta moção do Departamento de Transportes do Reino Unido.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments