Segurança: Projeto Torga

By on 13 Janeiro, 2020

Seja simplesmente para transporte no dia-a-dia, ou pelo prazer de fazer umas curvas com a adrenalina em alta, andar de duas ou três rodas é sempre sinónimo de prazer de conduzir. Graças ao seu tamanho compacto, as motos e scooters também são uma excelente solução para problemas de tráfego urbano e estacionamento.

Por outro lado, a segurança sempre foi um ponto fraco. Com demasiada frequência, a menor queda ou colisão com outro veículo ainda pode ter consequências trágicas.

Agora, o projeto Torga, com a sua barra de proteção Pulsar, visa contribuir para a promoção de veículos de duas rodas e para a melhoria da segurança rodoviária.

Com o projeto de pesquisa Torga, o projeto propõe-se melhorar a segurança passiva (aquela que protege em caso de acidente) das 2 e 3 rodas motorizadas.

A proposta consiste, inicialmente, em limitar as consequências de um impacto frontal, presente em 80% dos acidentes, impedindo o motociclista de ser projetado por cima da moto, causa frequente de muitas fraturas cervicais e fatalidades.

O objetivo é ajudar a conciliar o prazer de andar com a proteção dos motociclistas e outros usuários de duas e três rodas. Reduzir o número de acidentes provavelmente levaria a taxas de seguro mais baixas e, aliás, acalmaria o medo dos cônjuges dos utilizadores de motos e scooters!

Para conseguir isso, tentámos desafiar fabricantes de equipamentos no mundo das duas rodas, cujos programas de pesquisa e desenvolvimento devem ser principalmente orientados para a segurança do uso de seus produtos. Enquanto alguns deles há muito tempo atuam nesse campo, alguns ainda não levam este assunto suficientemente em consideração.

A principal dificuldade com que provavelmente temos de lidar nem é técnica, mas psicológica. De fato, nós, motociclistas, nem sempre estamos preocupados com a nossa segurança. A maioria de nós compra uma parte do risco, uma promessa de adrenalina, quando escolhemos este meio de locomoção.

Portanto, estamos muito mais motivados para comprar prazer ou conforto do que segurança. É por isso que o projeto Torga também visa facilitar o uso de um saco de depósito, um acessório complementar à mala quando esta última tem capacidade de carga insuficiente. Este tipo de bagagem é muito prático nesse caso, mas apresenta uma grande desvantagem quando o reabastecimento é necessário.

O saco tem de ser removido do suporte e, apesar do design deste componente ter evoluído, isso permanece uma restrição. O suporte articulado que oferecemos não apenas desempenha um papel protetor em caso de impacto frontal, mas também facilita as manobras e liberta a abertura do tanque, simplesmente inclinando a bagagem e o seu apoio para frente para expor o tampão.

Atualmente, o projeto trabalha para validar a ergonomia do sistema, bem como a sua aceitação por futuros usuários. O objetivo é financiar, como primeira etapa, um teste de colisão de nossa proposta técnica para reduzir as consequências de um impacto frontal. Este teste ocorrerá em Junho de 2020 na Universidade de Berna, na Suíça.

O orçamento divulgado será usado para comprar um equipamento de teste, construir um protótipo funcional do sistema de proteção, financiar registros de dados na bancada de testes e cobrir o custo de envio do equipamento para o local.

Numa segunda etapa, e dependendo dos resultados desse primeiro teste, serão feitas alterações ao sistema e outros testes realizados, principalmente em scooters, que já são muito mais numerosas nas estradas do que as motos e atraem um utente menos experiente e logo, mais vulnerável.

Por fim, a concluir este estudo, irá ser construído um veículo que integra todo este nosso know-how em termos de segurança ativa e passiva: um novo conceito de segurança.

Deixe um comentário

Seja o primeiro a comentar!