Suzuki GSX-S1000 2021: Novo visual, mais potência e Euro 5

By on 26 Abril, 2021

A Suzuki divulgou hoje todos os pormenores da nova naked GSX-S1000, agora com um visual completamente novo, marcado por linhas afiadas e agressivas e um design de iluminação LED futurista. O motor de quatro cilindros em linha, actualizado e em conformidade com a norma Euro 5 passa a debitar 152 cv, com uma curva de binário mais gorda e plana, proporcionando uma maior dispersão de potência na gama baixa e média. A nova electrónica inclui um quickshifter e um auto-blipper, mapas de motor selecionáveis e mais níveis de controlo de tracção.

Lançada em 2015 com o objectivo de proporcionar uma condução desportiva e divertida em estrada, cuja alma é o motor de 999cc da anterior GSX-R1000, a GSX-S1000 sofre a agora a sua primeira evolução. Este novo modelo melhora ainda mais o prazer na condução, proporcionando uma maior agilidade, controlo e potência, enquanto cumpre com a exigência da norma Euro 5.

A Suzuki trabalhou arduamente sobre o motor da versão anterior, conseguindo assim cumprir com a exigente norma Euro 5, mas assegurando um aumento de potência e uma curva de binário mais linear e equilibrada desde as baixas rotações e durante todos os regimes de utilização.

A renovada estética faz jus ao lema “The Beauty of Naked Agression*” (A Beleza da Agressividade Naked) que reflecte ainda a beleza de uma agilidade única e um superior controlo e a beleza de um motor agressivo mas, de elevada performance e grande fiabilidade. 

O modelo passa a contar com o SDMS (Sistema de Condução Inteligente Suzuki) que é composto por:

– Novo acelerador ride-by-wire

– Controlo de tração dinâmico (5 modos + Off)

– Seletor de modos de potência (3 modos)

– Quick Shift bi-direcional

– Assistente a baixa rotação

– Arranque fácil Suzuki

Como novidades o modelo apresenta ainda:

– Novo motor EURO 5 mais potente e com binário mais linear

– Embraiagem deslizante 

– Nova iluminação Full LED

– Novo desenho do sub-quadro traseiro, agora mais fino

– Novo desenho do guiador que confere uma posição mais direita

– Novo depósito de combustível com 19 litros de capacidade

– Novo painel de instrumentos LCD com imagem GSX-S1000

A nova Suzuki GSX-S1000 2021 vai estar disponível em Portugal a partir do mês de Julho de 2021 com um preço de venda ao público a anunciar brevemente e em três cores: Metallic Triton Blue, Glass Sparkle Black e Glass Mat Mechanical Gray

NOVO ESTILO

Um depósito de combustível maior e guiador novo e mais largo, são dois aspetos que de imediato saltam à vista. Também imediatamente óbvio na nova GSX-S1000 é a sua redesenhada estética: a carroçaria e a iluminação é completamente nova, com um foco em linhas afiadas, angulares, agressivas e uma postura poderosa, com uma deslocação de massas do tipo “tudo para a frente”. Disponível em azul triton metálico tradicional da Suzuki, um novo cinzento mecânico mate, e um preto brilhante furtivo, o seu aspecto de streetfighter é realçado com mortalhas de radiador texturizadas, asas inspiradas na MotoGP, e painéis laterais que apresentam um desenho urbano inspirado em camuflagem.

A mudança visual mais marcante é, sem dúvida, o novo farol LED empilhado verticalmente. Para além dos benefícios práticos de uma nova fonte de luz LED mono-foco que exibe uma luz ampla e brilhante, o novo design de duas unidades hexagonais empilhadas encimadas por luzes LED de posição, cria um aspecto mais leve e apertado, e ajuda a desejar uma pose mais agressiva. Há também uma nova luz LED traseira, flanqueada por indicadores LED.

MOTOR MAIS POTENTE COM EURO 5 

O motor de quatro cilindros em linha da naked GSX-S1000 de 2021 produz mais potência e uma maior dispersão de binário nas gamas de rotações mais baixas para proporcionar um desempenho ideal de desportiva naked. As alterações incluem uma nova árvore de cames de admissão e escape, novas molas de válvulas, nova embraiagem, e um novo escape.

Em comparação com a sua antecessora, a nova GSX-S1000 produz mais binário acumulado em toda a gama de rotações, preenchendo os mergulhos no gráfico com uma curva mais plana. Também faz mais rotações para fornecer maior potência de topo, com um pico de potência de 152 cv às 11.000 rpm.

Felizmente, um novo escape mantém a banda sonora pela qual o modelo era conhecido, ao mesmo tempo que ajuda no aumento de potência e no cumprimento dos requisitos de emissões Euro 5 com um conversor catalítico adicional.

Novos corpos de acelerador eletrónicos ajudam a obter uma resposta mais controlável do motor durante a abertura inicial do acelerador. Uma nova caixa de ar consegue prescindir de um separador interno, reduzindo a resistência à admissão. A sobreposição reduzida de válvulas também ajuda a nova GSX-S1000 a cumprir as normas de emissões Euro 5, graças a uma nova árvore de cames e a perfis de cames revistos. As alterações também ajudam à controlabilidade do motor para o condutor.

A controlabilidade acrescida e o aumento do desempenho também vêm graças ao Sistema de Assistência à Embraiagem da Suzuki. A embraiagem deslizante desengata parcialmente para reduzir o binário negativo do motor e atenuar o efeito da travagem do motor quando se passa de uma rotação elevada. Isto ajuda a evitar que a roda traseira bloqueie ou salte e proporciona uma desaceleração mais suave, permitindo ao condutor reduzir com maior confiança e manter um melhor controlo quando faz a redução em curva.

A adição de uma função de assistência aumenta a força de aperto da embraiagem sob aceleração e permite assim a utilização de molas mais macias enquanto ainda transfere eficazmente o binário para a roda traseira, resultando numa operação de alavanca mais leve.

ELETRÓNICA SOFISTICADA

Há um real avanço sobre a anterior GSX-S1000, agora com um conjunto actualizado de electrónica, cortesia do Suzuki Intelligent Ride System (SIRS). Um novo acelerador de aceleração por cabo torna possível aos condutores controlarem com maior precisão e fineza a relação entre o accionamento do acelerador e a resposta do motor, especialmente quando aliado ao novo sistema Suzuki Drive Mode Selector (SDMS), com o qual o novo GSX-S1000 está equipado.

O SDMS permite aos condutores escolher entre um de três mapas de motor, dependendo das condições de condução ou das suas próprias preferências pessoais. Os modos A-C entregam todos a mesma potência de pico, mas variam a nitidez e rapidez da entrega, sendo o modo A o mais desportivo, e o modo C o mais suave. O desempenho é melhorado graças a um quickshifter de dois sentidos, o que reduz a necessidade de operar a embraiagem durante as mudanças de marcha ou fechar o acelerador nos turnos ascendentes, ou fazer blip em downshifts.

Um novo sistema de controlo de tracção compreende cinco modos, enquanto que também pode ser desligado. As entradas dos sensores de velocidade das rodas dianteiras e traseiras, e os sensores da manivela, engrenagem e posição do acelerador são introduzidos na ECU que, por sua vez, controla a abertura da válvula do acelerador, o tempo de ignição e a taxa de injecção de combustível, para reduzir ou impedir a rotação das rodas. Toda a informação é apresentada num painel LCD actualizado e de fácil leitura.

No topo do pacote electrónico está o sistema de arranque fácil da Suzuki – que requer apenas um prod do botão de arranque para disparar o motor – e a assistência de baixas RPM, que aumenta a velocidade do motor à medida que a alavanca da embraiagem é alimentada, para ajudar a controlar a velocidade lenta e evitar a paragem.

QUADRO REVISTO PARA ACENTUAR A AGILIDADE

O compacto quadro de alumínio de dupla viga é acoplado a um braço oscilante rígido, derivado de GSX-R, para um desempenho e manuseamento ágil e desportivo. Novas barras cónicas, com 23mm de largura, ajudam os condutores a conduzir a moto em curvas com maior alavanca. Também foram colocadas 20 mm mais próximas do condutor para melhorar o conforto sem comprometer a manobrabilidade.

A suspensão vem sob a forma de uma forquilha dianteira KYB invertida e totalmente regulável e de um amortecedor traseiro ajustável em pré-carga e ressalto, com ajustes revistos em relação à iteração anterior. Os discos dianteiros de 310 mm são emparelhados com pinças monobloco Brembo. Um depósito de combustível maior, de 19 litros permite agora uma autonomia de 194 milhas ou 312 quilómetros, distância essa que pode ser percorrida com maior conforto graças a um novo assento.

As rodas em alumínio fundido apresentam um desenho leve, de seis raios, que tem um óptimo aspecto e contribui para um manuseamento ágil e desempenho desportivo. Os novos pneus radiais Roadsport 2 da Dunlop (120/70ZR17 a frente; 190/50ZR17 na parte de trás) são concebidos à medida para um desempenho óptimo na GSX-S1000 e contribuir para melhorar ainda mais a grande aderência e outras características de desempenho dos anteriores D214 da Dunlop. 

Ficha técnica

MOTOR

Tipo: 4 cilindros, 4T refrigerado a líquido, DOHC

Cilindrada: 999 cc

Diâmetro x Curso: 73,4 mm x 59,0 mm

Taxa de compressão 12.2 : 1

Potência máxima: 152 cv às 11,000 rpm

Binário máximo: 106 Nm às 9,250 rpm

Aceleração (0-200m): 6,64 seg.

Aceleração (0-400m): 10,15 seg.

Alimentação: injecção de combustível

Arranque: eléctrico

Sistema de lubrificação: depósito húmido

Transmissão: caixa de 6 velocidades

CICLÍSTICA

Quadro: Dupla viga em alumínio

Suspensão dianteira / traseira: Forquilha telescópica invertida com mola helicoidal / Link Type com mono-amortecedor

Travão dianteiro / traseiro: Duplo disco / Disco

Pneu dianteiro / traseiro: 120/70ZR17M/C (58W) / 190/50ZR17M/C (73W)

Capacidade do depósito de combustível: 19,0 L

Comprimento total: 2,115 mm 

Largura total: 810 mm 

Altura total: 1,080 mm 

Distância entre eixos: 1,460 mm 

Distância ao solo: 140 mm 

Altura do assento: 810 mm 

Peso a seco: 214 kg 

GALERIA DE IMAGENS

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments