Yamaha MT-09 2021 – Ligeira e poderosa para ‘segurar’ o estatuto líder

By on 31 Outubro, 2020

SENDO UM DOS MODELOS MAIS VENDIDOS NA EUROPA, A NOVA YAMAHA MT-09 TAMBÉM É UMA DAS REVELAÇÕES MAIS SIGNIFICATIVAS PARA 2021. AINDA NO DESIGNADO “PERÍODO DE LANÇAMENTO”, VAMOS ENTÃO INSPECIONAR TUDO O QUE ESTA HYPER NAKED TRAZ DE MAIS INTERESSE PARA O UTILIZADOR.

Desde que a Yamaha MT-09 original chegou ao mercado em 2013, o mercado Hyper Naked cresceu para se tornar um dos segmentos maiores e mais importantes para a marca japonesa. Este modelo foi revolucionário, apelou a quase 50.000 clientes europeus (entre 2013 e 2017) e em 2018 chegou a segunda geração do modelo, com um estilo rejuvenescido e um motor em conformidade com a norma EU4, que assegurou o sucesso contínuo deste modelo icónico.

Mas a evolução da MT-09 não se ficou por ai, e sucede em boa hora, precisamente quando no segmento das Naked 1000 a concorrência está a crescer bastante. Sendo certo que a Yamaha é a atual líder deste segmento – juntando as vendas da versão base com a MT-09 SP este modelo ocupa a maior fatia – não só o bom desempenho da Kawasaki Z900 que é termos absolutos o modelo mais vendido, como a chegada bem sucedida da BMW F900 R são uma ameaça clara à posição dominante da Yamaha. A maior distância estão a Ducati Monster 821, a KTM 790 Duke e Suzuki GSX-S 1000.

889cc, 119 CV e 189 kg

Mantendo-se 100% fiel aos seus princípios assentes na filosofia Hyper Naked, a MT-09 sofreu uma nova mudança de estilo e substancia para o próximo ano, apresentando melhoras consideráveis no peso, potência e outras características. Assim, para recuperar o seu domínio nesta categoria a nova Hyper Naked surge com dois objetivos claro: alcançar o “Kanno Seino” (performance emocionante) e, em segundo lugar, permitir ao condutor explorar a fantástica performance do motor e da ciclística com uma condução natural e confortável, complementada com um conjunto muito completo de ajudas eletrónicas à condução.

Vamos agora questionar os diversos aspetos da nova MT-09 de 2021, numa abordagem às  especificações que mais interessam ao utilizador:

Mais ou menos despida?

Claramente, a nova MT-09 está mais desprovida de plásticos que no anterior modelo fazendo sobressair o quadro em formato diamante e musculatura mecânica. A Yamaha desenvolveu um design sem cobertura, no qual toda a carenagem desnecessária foi removida para conferir uma nova aparência dinâmica e ágil de todos os ângulos. O guarda-lamas dianteiro compacto e a tampa do farol minimalista são os únicos plásticos visíveis, desaparecendo os defletores dianteiros e os painéis laterais junto ao assento.

A nova MT-09 é assim uma pura naked mais do que nunca antes foi, destacando o quadro de cor Crystal Graphite e o motor para conferir à moto uma aparência musculada e de mecânica pura. O banco estreito e a traseira pontiaguda, servem para enfatizar a beleza e a aparência minimalista. O design geral é minimalista

O design compacto do quadro enfatiza o caráter puro e atlético desta Hyper Naked definitiva, que pesa apenas 189 kg (menos 4 kg do que o modelo atual) e significativamente menos do que a concorrente mais próxima na classe “naked” de 900 cc.

O que oferece o novo motor CP3 de 889cc?

Em primeiro lugar devemos considerar os seus maiores níveis de feedback e controlo, fator chave no enorme sucesso da MT-09 com a performance entusiasmante do seu motor CP3 de tecnologia de planos cruzados de 3 cilindros. Acontece que, depois de 8 anos a proporcionar muitas emoções aos seus proprietários, chega o momento do motor de 847 cc dar lugar a um novo design que trouxe maiores níveis de potência e binário em toda a gama de rotações.

Para conseguir uma sensação de maior agilidade e binário, o motor de 2021 em conformidade com a norma EU5 foi totalmente reformulado e o seu peso foi reduzido. Praticamente todos os componentes principais do componente são novos, incluindo os pistões, as bielas, as árvores de cames e os cárteres. Mas, apesar da maior capacidade e do maior débito de potência, o grupo de potência de 2021, incluindo o novo escape é 1700 g mais leve do que no design atual – uma redução considerável no peso!

No entanto, a melhoria mais significativa (fundamental para a melhoria drástica da performance e para o caráter mais dinâmico da nova moto) pode ser vista no maior débito de binário do motor CP3. O binário máximo no novo motor é de 93 Nm (antes 87,5 Nm), com o binário máximo a apenas 7000 rpm, menos 1500 rpm na escala de rotações. A potência também subiu para marginais 119 CV obtidos às 10.000 rpm (antes 115 CV às mesma rotações).

Assim, é fácil concluir que a MT-09 melhora ainda mais o binário emocionante que já tinha em 2020 com a adição do novo sistema Quick Shift com funções de engates de dois sentidos ( mudanças superiores e inferiores).

Será mais poupada a MT-09 de 2021?

Os consumos do atual modelo eram um pouco exagerados, sobretudo quando a puxávamos a partir das 4.500/5.000 rpm. No novo motor de 889 cc o sistema de alimentação de combustível é totalmente novo.

Se por um lado a atual MT-09 tem os injetores de combustível montados diretamente na cabeça do cilindro, agora esse injetores de combustível estão montados no lado da válvula do acelerador, com o combustível a ser injetado na parte posterior das cabeças das válvulas de admissão: o sistema proporciona uma maior atomização do combustível, além de reduzir a aderência do combustível às paredes do canal de admissão. Com maior eficiência de combustão os engenheiros da Yamaha estima uma melhoria de 9% nos consumos.

Maiores sensações e rugído?

Tudo indica que sim, porque o controlo eletrónico do acelerador Yamaha (YCC-T) da MT-09 foi melhorado para 2021 com a inclusão de um novo punho com sensor de posição do acelerador (APSG). Semelhante à unidade equipada na YZF-R1 e na R1M, este sistema “ride-by-wire” leve substitui a configuração de polia do modelo anterior para proporcionar uma melhor sensação no punho.

O novíssimo motor de 889 cc tem um sistema de admissão de ar de alta eficiência reformulado, e com um escape de novo design. Cada coletor em aço inoxidável tem um novo design, cada um com uma curvatura diferente. Curiosamente quase não se vêm as ponteiras que já não são curtas porque estão completamente inseridas no escape que passa sob o braço oscilante, mas agora com uma saída dupla.

O fabricante refere que a dupla ponteira emana um “ rugido contagiante em modo ‘estéreo’ “, mas acreditamos que esta mudança no desenho do escape também terá a ver com as exigências do Euro5. Teremos de esperar para a escutar ao vivo e perceber a sonoridade dos decibéis!  

Quadro e braço oscilante com alterações?

A resposta é um rotundante sim! A MT-09 de 2021 apresenta um novíssimo quadro Deltabox em alumínio fundido com tecnologia CF (de enchimento controlado) de parede mais fina. Na prática trata-se de um processo de fundição novo da Yamaha que permite produzir estruturas de alumínio extremamente leves e resistentes, como é o caso do novo quadro e braço oscilante da MT-09. O novo quadro de alumínio com travessas gémeas de maior dimensão que vão diretamente do conjunto da caixa de direção até ao eixo do braço oscilante para otimizar a resistência, em conjunto com o subquadro e o braço oscilante com novo design permitiram uma redução de 2,3 kg em relação à estrutura da MT-09 de 2020.

O braços oscilante que tinha uma secção direita em forma de “banana” tem agora um lado direito muito mais reto sendo mais leve 250 gramas. Outra mudança reside no eixo do braço oscilante, agora situado entre a estrutura do quadro, em vez de os eixos serem montados no exterior do quadro, como anteriormente.  As novas jantes Spin Forged dianteira e traseira são 700 g mais leves. Isto permitiu reduzir o momento de inércia giroscópica das jantes, com uma redução significativa de 11% na jante traseira, um grande contributo para a agilidade da MT-09.

Iluminação mais ou menos poderosa?

A nova MT-09 troca a anterior dupla ótica por um novo conjunto completo de faróis LED, que conta com um único farol central de projeção bifuncional com vários LEDs laterias, que projetam um feixe amplo, uniforme e potente com margens suaves, para definições de feixe de mínimos e máximos. As duas luzes de presença LED tornam a dianteira da moto mais arrojada e projetam a icónica forma em Y – característica para conferir à moto uma imagem predadora que representa a direção futura do design MT.

O tema é mantido na traseira, onde o farol traseiro LED leve projeta uma iluminação em forma de Y que confirma o ADN MT de nova geração da moto.

Transmissão melhorada?

Este é um dos pontos que não sofreu grandes alterações. Mantem-se a caixa sincronizada de 6 velocidade que conta com o Sistema de Mudanças Rápidas (QSS, Quick Shift System), que assegura engates de mudanças superiores suaves e sem embraiagem com a aceleração ao máximo, e reduções suaves. Juntamente com a embraiagem A&S, esta ajuda eletrónica permite ao condutor otimizar os maiores níveis de binário do motor de 889cc para uma aceleração mais emocionante, bem como uma melhor estabilidade e controlo do quadro ao engatar mudanças mais baixas.

O que mudou na eletrónica e modos de condução?

A nova MT-09 é o primeiro modelo Yamaha Hyper Naked a ser equipado com uma unidade IMU de 6 eixos de alta tecnologia, uma das peças mais sofisticadas de eletrónica inteligente da indústria. Desenvolvida a partir do sistema utilizado na YZF-R1 desde 2015, a unidade IMU de 6 eixos na nova MT-09 é 50% menor e 40% mais leve graças a uma revisão exaustiva da disposição do sensor. A IMU de 6 eixos mede permanentemente a aceleração nas direções frente-trás, cima-baixo e esquerda-direita, bem como a velocidade angular nas direções de inclinação, oscilação e guinada da moto, enviando dados em tempo real para a ECU, que controla as ajudas eletrónicas à condução.

A gama de ajudas à condução inclui o Sistema de controlo de tração (TCS) sensível à inclinação, o Sistema de Controlo do Escorregamento da Embraiagem (SCS), bem como o Sistema de Controlo de Elevação (LIF) da roda dianteira e o Sistema de controlo de travão (BC).

Ao monitorizar a diferença de velocidade entre as rodas dianteira e traseira, o TCS sensível à inclinação lateral ajuda a otimizar a força motriz do pneu traseiro durante a aceleração. O SCS ajusta a potência quando se prevê um deslizamento da roda traseira, o que permite ao condutor concentrar-se na condução. Da mesma forma, o LIF permite ao condutor concentrar-se na estrada ao ajustar o débito do motor para controlar a elevação da roda dianteira e suavizar o comportamento da máquina no arranque e na aceleração. A quarta ajuda eletrónica à condução é o BC, que funciona com o ABS ajudando a evitar o bloqueio das rodas durante as travagens bruscas durante a condução na vertical e inclinada.

O sistema de controlo de tração (TCS) tem três modos comutáveis, em que cada modo integra três dos sistemas de apoio ao condutor. Isto significa que os níveis de intervenção são alterados em simultâneo nos Modos 1 e 2. O Modo 1 oferece uma intervenção moderada, o Modo 2 oferece uma intervenção mais forte, e o Modo M permite ao condutor fazer definições manuais.

Ao evitar bloqueios e deslizes das rodas, bem como “cavalinhos” e derrapagens das rodas, estas ajudas eletrónicas reduzem a carga de trabalho do condutor, o que lhe permite concentrar-se mais ainda na estrada e desfrutar da experiência de condução. 

Foi alterada a forma do painel de instrumentos?

O novo painel de instrumentos TFT de 3,5 polegadas conta com um ecrã a cores completo que mostra dados claros e precisos. O tacómetro tipo barra muda agora de cor à medida que as rotações aumentam e diminuem, e o ecrã inclui um relógio, indicador de mudança de velocidade, temperatura da água e do ar, entando ligado à unidade IMU de 6 eixos,

Melhorias no amortecimento e travagem?

A nova e leve suspensão dianteira KYB de elevada especificação é totalmente ajustável para amortecimento de pré-carga, compressão e ressalto. Além disso, funciona com as definições de fábrica revistas, que coincidem com o carácter do novo quadro compacto e de maior rigidez, e reduz a tendência para inclinar. O design da biela de suspensão traseira foi alterado e o novo amortecedor traseiro KYB regulável também para se adaptarem ao novo quadro da MT-09.

Para ficar à altura da maior performance do motor e do carácter mais ágil do quadro, a MT-09  é o segundo modelo Yamaha a ser equipado como um sistema de travagem dianteiro do tipo YZF-R1. Com uma bomba principal radial Nissin em que o pistão se move numa direção paralela à do curso da alavanca de travagem, esta tecnologia da classe Supersport oferece um débito mais linear de pressão hidráulica aos dois travões de disco frontais para desfrutar de uma excelente capacidade.

FICHA TÉCNICA   

MOTOR

Tipo de motor: 3 cilindros CP3, 4T, 12 válvulas DOHC com arrefecimento líquido

Cilindrada: 890 cc

Diâmetro x curso: 78 × 62,1 mm

Taxa de compressão: 11.5 : 1

Potência máxima: 87,5 kW (119 CV) a 10.000 rpm

Binário máximo: 93 Nm (9,5 kg-m) a 7000 rpm

Sistema de lubrificação: Cárter húmido

Tipo de embraiagem: Multidisco em banho de óleo

Sistema de ignição: TCI

Sistema de arranque: Eléctrico

Sistema de transmissão: caixa sincronizada de 6 velocidades

Transmissão final: Corrente

Consumo de combustível: 5.0 L/100 km

Emissões CO2: 116 g/km

Alimentação: Injeção de Combustível

PARTE CICLÍSTICA

Quadro: tipo Diamante

Ângulo do avanço de roda: 25º

Trail: 108 mm

Suspensão dianteira: Forquilha telescópica, curso 130 mm

Suspensão traseira: Braço oscilante, suspensão de ligação por braço, curso 122 mm

Travão dianteiro: Dois discos, Ø298 mm

Travão traseiro: Disco, Ø245 mm

Pneu dianteiro: 120/70 x 17’

Pneu traseiro: 180/55 x 17’

DIMENSÕES, PESO E CAPACIDADES

Comprimento total: 2090 mm

Largura total: 795 mm

Altura total: 1190 mm

Altura do assento: 825 mm

Distância entre eixos: 1430 mm

Distância mínima ao solo: 140 mm

Peso (incluindo óleo e gasolina): 189 kg

Capacidade do depósito: 14 lt.

Galeria de imagens

CONCORRENTES DA YAMAHA MT-09 2021

3 CILINDROS, 890CC, 119 CV, 189 KG – PREÇO N.D.

KAWASAKI Z900 2020

4 CILINDROS, 948CC, 125 CV, 210 KG – 10.395 €

BMW F 900 R 2020

2 CILINDROS, 895CC, 105 CV, 211 KG – 8.925 €

DUCATI MONSTER 821 2020

2 CILINDROS, 821CC, 109 CV, 206 KG – 11.025 €

KTM 890 DUKE R 2020

2 CILINDROS, 890CC, 121 CV, 166 KG (A SECO) – PREÇO N.D.

SUZUKI GSX-S 1000 2020

4 CILINDROS, 999CC, N.D., 209 KG – 12.799 €

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x