Yamaha Neo’s e Piaggio One: Scooters urbanas com zero emissões

By on 25 Agosto, 2022

A Yamaha e Piaggio, têm na Neo’s e One duas scooters elétricas que rivalizam diretamente sem emissões de CO2. Mas qual será a melhor opção de compra?

Atualmente, a oferta de scooters e ciclomotores elétricos é maioritariamente constituída por fabricantes de origem chinesa. Grandes marcas como a NIU e Super Soco levam grande parte das vendas, enquanto outras como a Horwin ou a espanhola Silence (irmã-gémea da SEAT MÓ eScooter 125) representam sérios rivais em termos de qualidade. No entanto, essa situação promete mudar aos poucos com a chegada dos grandes fabricantes do setor de duas rodas ao nicho de motos elétricas, como a Piaggio e Yamaha, que já vendem a Piaggio One e Yamaha Neo’s em Espanha, duas novas scooters elétricas que surgem como rivais diretas.

Para atender ao segmento de scooters elétricas, as duas marcas passaram a oferecer modelos que estão localizados no segmento de ciclomotores. As razões para isso residem em vários motivos claros, entre eles que serão mais acessíveis do que modelos com maior potência e baterias, além do fato de que devido ao desempenho e autonomia neste momento é neste segmento onde este tipo de motos elétricas tendem a resultar melhor.

A Piaggio One é oferecida em várias versões (com a One Active não considerado um ciclomotor, mas equivalente a 125, pois atinge 60 quilómetros por hora), mas os modelos mais comparáveis ​​com a única versão disponível da Yamaha Neo são a One ou One + , que se distinguem por oferecer uma maior capacidade de bateria, exatamente como a Yamaha Neo.

As semelhanças entre os dois modelos são claras desde o primeiro momento em que começam a ser comparados. Ambos visam o mesmo tipo de público graças a um assento homologado para dois passageiros, plataformas planas para transporte de objetos volumosos, um espaço sob o assento para um capacete tipo jet e autonomias que nas versões de bateria simples serão de cerca de 40 quilómetros , um valor razoável para um ciclomotor, uma vez que este tipo de motociclos raramente é usado para cobrir uma quilometragem diária maior do que esta.

Nas versões de bateria dupla, ambos os modelos aumentam a sua autonomia com carga total de/até 65 quilómetros no caso do Piaggio One + e 68 quilômetros no caso da Yamaha Neo. Quanto às velocidades máximas, não há diferença, pois ambas estão limitadas ao máximo de 45 km/h permitido pela regulamentação para ciclomotores.

No entanto, existem diferenças entre os dois modelos que farão com que os potenciais compradores optem por um ou outro modelo. Para começar, há o preço, seção em que o Piaggio One oferece um preço no mercado espanhol de 2.712 euros , enquanto a Yamaha Neo custa 3.199 euros – uma diferença de 487 euros.

O modelo japonês, no entanto, é responsável por justificá-lo em duas seções que parecem fundamentais. Por um lado, o motor elétrico da Neo’s é mais potente . Ambos recorrem a motores tipo cubo posicionados na roda traseira, mas enquanto o motor Piaggio One atinge  1,2 kW de potência nominal (1,34 kW máximo), o motor Yamaha aumenta a potência nominal para 2,3 kW (2,5 kW no máximo) e é permitido para complementá-lo com um torque forte de 136 Nm. Isto ‘traduzido’ em cavalos, siginifica que estamos a falar de 1,63 CV para a Piaggio e 3,12 CV para a Yamaha.

A Neo’s também é um pouco maior em tamanho que o modelo italiano, medindo 1.875 milímetros de comprimento, em comparação com os 1.680 mm da Piaggio One, o que se traduz num assento mais longo e alguns centímetros a mais de espaço para as pernas. E também é mais alta. O modelo japonês acusa apenas um “mas” em relação à One, já que na travagem traseira encontramos um tambor, enquanto o One usa discos em ambos os eixos.

Por fim e em termos de estética, a Yamaha recorreu ao belo farol duplo da clássic Neo, enquanto a Piaggio se inspirou na última geração da Piaggio Zip, algo que pode ser visto claramente na sua ótica frontal afiada e na traseira.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments