Para participar no Dakar o que é essencial levar ?

By on 17 Janeiro, 2019

Agora que o Dakar terminou com a incrível vitória de Toby Price, ainda a recuperar de uma lesão que obrigou a uma cirurgia ao pulso há cerca de 1 mês, é novamente a KTM a levar a melhor sobre as restantes marcas, pela 18º vez consecutiva, e a fazer um pleno no pódio, com Mathias Walkner e Sam Sunderland no 2º e 3º lugar, respectivamente, tendo o melhor piloto português, Joaquim Rodrigues, ficado no 17º lugar da geral.

É tempo de festejar vitórias, absolutas e pessoais, e fazer um balanço para se começar a pensar em 2020.

Miguel Caetano e a sua KTM 450 Rally, Classe Marathon, obteve o 69º lugar da geral

Independentemente dos vencedores e das equipas profissionais que os apoiam gostaríamos de saudar e destacar a coragem daqueles que participam de forma amadora, dentro do verdadeiro espírito com que nasceu o Dakar, exemplo do que fez o piloto português Miguel Caetano, que participou por primeira vez na prova, chegando ao fim e classificando-se num fantástico 69º lugar da geral.

Para aqueles que são entusiastas da modalidade e que sonham com um dia poderem participar na prova de todo o terreno mais emblemática e mais dura de todas fiquem a saber o que é que é fundamental levar para enfrentar o grande desafio que é competir numa prova de dificuldades tão extremas como é o Rally do Dakar.

 

  1. Primeiro a Moto

E claro não pode ser qualquer uma pois a dureza da prova e as longas distâncias a percorrer em cada etapa obrigam a motos especialmente preparadas para o efeito, resistentes e com autonomia para percorrerem 250 a 300 Kms a alta velocidade entre abastecimentos. Várias marcas têm modelos competição cliente com preparação Rally como por exemplo a KTM 450 rally com que alinhou Miguel Caetano.

KTM 450 Rally 2019

 

  1. Tão fundamental como o combustível é a água

No Dakar as motos têm obrigatoriamente que ter um depósito com o mínimo de capacidade exigida de 3 litros de água potável. Este depósito assegurará a hidratação do piloto em situações extremas ou em caso de acidente onde a espera por assistência possa demorar. Todos os pilotos levam também consigo água ou líquidos para hidratação nas suas mochilas do tipo Camelback.

  1. Uma boa iluminação

Os pilotos amadores e mesmo os profissionais podem perder-se ou ao rodar a um ritmo mais lento, ou depois de perderem tempo numa reparação terem que fazer Kms até chegarem ao final da etapa já de noite e rodar em todo-o-terreno a alta velocidade de noite aumenta exponencialmente o risco de acidente pelo que a moto tem que estar dotada de um bom sistema de iluminação da estrada e bem assinalada também na sua traseira. Há pilotos que optam também por utilizar luzes no capacete alimentadas pela bateria da moto que permitem iluminar os locais para onde direcionam o seu olhar e em caso de reparação poder iluminar a moto durante a mesma.

  1.  Filtros Fundamentais

Atravessar desertos no meio de pó e areia, sobretudo atrás de outros pilotos, e pior se no caso forem carros ou camiões, os filtros de ar têm prioridade máxima para salvaguardar o bom funcionamento do motor e evitar o seu desgaste prematuro. Para além do filtro do ar há que usar um pré-filtro que cobre o principal e assim duplicar a proteção evitando ao máximo a entrada de pó para a admissão e sistema de injecção. Em cada assistência há que limpar ou substituir o pré-filtro para garantir o bom funcionamento do motor ao longo da etapa. Também os filtros de óleo devem ser substituídos com o óleo em cada etapa.

  1. Kit de Ferramenta completo

Fundamental ter um bom set de ferramentas, normalmente as marcas fornecem kits específicos para este tipo de provas, pois entre avarias e quedas há que repor material e reparar componentes em prova e entre etapas. Normalmente a ferramenta é numerada ou sinalizada de alguma forma para que a sua identificação possa ser o mais rápida possível.

  1. Abraçadeiras do tipo Zip-Tie

Fundamental levar este tipo de abraçadeiras pois têm utilização múltipla e resolvem muitos problemas. Vários tamanhos e espessuras.

  1. Fita adesiva 3M do tipo “americana”

Além das abraçadeiras este é outro elemento fundamental sobretudo em reparações de carenagens e plásticos ou a remendar qualquer tipo de fissura.

 

  1. Manetes de travão e embraiagem

Levar um bom stock de manetes é fundamental também e ter 2 na moto para substituição imediata no caso de uma queda pode ser muito útil para assegurar a chegada ao fim da etapa.

  1. Correntes de substituição e elos extra

Os elos extra podem ser úteis no caso de uma corrente partir durante o percurso e poder ser reparada até à sua substituição no final da etapa. Levar elos de corrente junto de um pequeno kit de ferramentas é também fundamental. Correntes de substituição, pinhão de ataque e cremalheiras devem acompanhar o stock de peças na assistência.

  1. Um set completo de Rodas Suplentes

Quando se chega de uma etapa é bom ter um set de rodas já preparadas com pneus novos para susbstituição. Os que chegam desgastadaos ficam com o camião da apoio para serem substituídos e estarem preparados para a etapa seguinte.

  1. Barras energéticas

Para repor rapidamente energias nas desgastante e longas etapas é fundamental levar sempre algumas barras energéticas, inclusivamente tê-las à chegada pois pode não haver tempo para tomar uma refeição como deve de ser. Quando se participa de forma amadora e se chega ao final de uma etapa a prioridade máxima é a de preparar a moto para o dia seguinte e esse é um processo que pode levar o seu tempo dependendo do estado em que a mota estiver.

  1. Kit de primeiros socorros

Ligaduras, pensos e adesivo para além de analgésicos. As mãos sobretudo irão sofrer inevitavelmente com o esforço da pilotagem pelo que a proteção com adesivos pode ser essencial para aliviar as consequências da condução extrema que o Dakar exige.

Meio caminho andado para chegar ao fim… Parabéns Miguel Caetano

 

Deixe um comentário

Seja o primeiro a comentar!