Ensaio KTM 790 Adventure R – Protagonista máxima de uma nova classe Adventure Enduro

By on 19 Abril, 2019

O conceito “Adventure” em matéria de duas rodas e a sua definição é sempre muito subjectiva. Subjectiva porque cada um define o seu conceito próprio conceito de “Aventura”, e se para uns sair sem destino seguindo a sua própria sombra, sem limites e comtemplando todo o tipo de caminhos, é a aventura que mais faz sentido, para outros sair de casa e percorrer centenas ou milhares de Kms, cruzando auto-estradas e estradas secundárias, ribeiros e caminhos de cabras, estradões de terra e dunas de areia, com suficiente autonomia para não se preocupar demasiado com os abastecimentos e com suficiente conforto para enfrentar longas etapas sem acumular demasiado cansaço, pode ser também umaa interpretação válida a dar ao conceito “Aventura”.

Na deslocação que realizámos à KTM Ibérica a convite da Jetmar, representante nacional da marca em Portugal, tivemos o privilégio de ter como anfitrião o seu Director Geral, o campeoníssimo Marc Coma, que nos explicou que no desenvolvimento dos novos modelos 790 Adventure, a KTM teve a preocupação de ouvir primeiro os seus clientes e a partir de esse “input” desenvolver um novo conceito de moto Adventure que no caso da versão R iria contemplar uma série de factores: uma maior capacidade para rodar em OffRoad, a possibilidade de uma manutenção rápida e de fácil acesso, que incluísse a ergonomia de uma moto de todo o terreno, com um motor com potência e sobretudo um binário alto desde os baixos regimes, que fosse compacta e leve, que tivesse uma grande autonomia, e fosse mais leve que a maioria das motos do segmento Adventure médio, suficientemente confortável para poder rodar durante muitos Kms, sem cansaço excessivo, e equipada com o mais sofisticado apoio electrónico, incluindo funcionalidades especialmente direcionadas para a pilotagem fora de estrada.

Após uma breve apresentação sobre as características e posicionamento dos dois modelos, Marc Coma convidou os jornalistas presentes a iniciar a experiência que nos tinham preparado num percurso de cerca de 150 Kms por estradas e terras, montes e vales da província catalã. O início da etapa foi realizado com o modelo standard da 790 Adventure, experiência já relatada num artigo anterior ( Consultar AQUI ) e segunda parte da etapa com um percurso mais offroad foi realizada na versão R da 790 Adventure ( poderão consultar AQUI as diferenças entre os dois modelos ).

Maior capacidade para rodar em OffRoad

Depois de rodarmos toda a manhã na versão normal a evolução para versão R ficou assim facilitada mas se de manhã o percurso foi predominantemente em alcatrão com uma ou outra incursão for a de estrada, da parte da tarde foi precisamente o inverso. À falta de dunas e areia do deserto na Catalunha o terreno em que circulámos durante cerca de 3 horas era essencialmente em terra batida e em algumas secções de saibro com pedra solta, nada recomendável para testar a versão R com pneus de tacos e pressão alta para rodar em alcatrão.

Comparativo Suspensões WP APEX da versão normal e as WP XPLOR da versão R totalmente ajustáveis.

No entanto a versão R da 790 Adventure vem com suspensões WP XPLOR de 48mm e de maior curso, 230mm, tanto na dianteira como na traseira, totalmente ajustáveis, contrariamente às WP Apex da versão normal de 43mm que apenas tem 200mm de curso e não permite nenhum tipo de ajuste.

Mas acima de tudo a versão R vem de série com um modo de condução Rally, para além do Street, Rain e do OffRoad, estes com setups fixos de resposta do acelerador e do controle de tração e do ABS, que permite em andamento ajustar o controle de tração em 9 níveis possíveis. Daí que, sempre que o piso mudava de condições de aderência facilmente, com apenas um toque num botão no punho esquerdo, podíamos gerir a intervenção do controle de tração para mais ou menos.

Guarda lamas alto e pneus de tacos AVON Trail Rider, um écran mais baixo regulável em duas posições e um assento corrido para permitir o melhor posicionamento possível do piloto a rodar for a de estrada, complementam o setup mais offroad da versão R em relação à versão normal.

Possibilidade de manutenção rápida e de fácil acesso

Um dos factores que a KTM levou em linha de conta na concepção do seu novo modelo foi a facilidade com que se acede à parte mecânica para intervenções rápidas. Por exemplo o filtro do ar passou a estar colocado debaixo do banco pelo que a sua limpeza ou substituição passou a ser muito mais facilitada. Por outro lado a adopção de um depósito tipo Rally que abraça a zona do motor e coloca o peso e o centro de gravidade mais baixo na 790 Adventure permite com a remoção de dois simples parafusos a remoção do mesmo e ficar com acesso imediato ao topo do motor.

 

Ergonomia de uma moto de todo o terreno

O comportamento da versão R é quase o de uma moto de enduro de alta cilindrada. A agilidade de todo o conjunto, e uma maior altura do assento colocado a 880mm do chão a pilotagem e uma maior distância nossa ao centro de gravidade da moto, permite-nos manobrar a mesma com os joelhos com grande facilidade como se de uma moto de enduro se tratasse. A posição em pé é natural e ligeiramente sobre a frente da moto e a sensação de controlo é constante sobretudo no modo Rally, no qual rodámos quase sempre, fazendo variar o controle de tração para testar a efectividade do mesmo. Dentro do Modo Rally é ainda possível variar a resposta do motor pois podemos ainda condicionar o acelerador a um dos modos possíveis de Street, Rain ou OffRoad.

Motor potente com binário alto desde os baixos regimes

O motor é toda uma referência em termos de potência e binário desde os regimes mais baixos. O fantástico bicilíndrico em linha proveniente da 790 Duke e com a potência reduzida para os 95 CV às 8.000 rpm ( dos 105 CV da Duke ) atinge um binário máximo de 89Nm às 6.600 rpm ( a Duke tem um binário de 87 Nm às 7.900 rpm ) com uma curva praticamente flat entre as 3.000 e 10.000 rpm, sempre acima do binário do motor da Duke nas baixas e média rotações perdendo apenas para esta a partir das 7.500 rpm. O motor LC8c é muito compacto e leve, monta pistons de forjados e cilindros com acabamento de Nicasil, muito bem equilibrado e praticamente sem vibrações em qualquer regime, com um sistema de refrigeração eficiente através da indução de ar forçado para a zona do radiador, fazendo com que o calor do motor se dissipe pela traseira sem mesmo o notarmos quando parados.

Com caixa de 6 velocidades com embraiagem reforçada e deslisante, sendo o seu acionamento intencionalmente por cabo para facilitar a sua reparação ou substituição. Inclui ainda Quickshift Plus – bidirecional, ao contrário da versão normal que apenas inclui Quickshift para cima. A conduzir em pé notámos que há que ter algum cuidado como colocamos o pé esquerdo pois qualquer toque no pedal das mudanças faz passar caixa, inclusivamente um ou outro ponto morto entrou inadvertidamente numa determinada altura.

Compacta, confortável e leve, com grande autonomia

Sem dúvida uma moto Adventure muito compacta, com conforto extra proporcionado pelo curso superior de suspensões mas ligeiramente penalizada pelo assento com menos enchimento que a versão normal. Como pilotámos muito em pé acabámos por não notar a maior densidade e menor superfície de amortecimento do assento da versão R e terminámos o nosso teste sem qualquer cansaço.

O depósito de 20 litros de combustível com que a KTM dotou a sua 790 Adventure garante uma autonomia de quase 450 Kms de acordo com a informação da marca, realidade que não nos foi possível confirmar embora no consumo médio no painel TFT indicasse 5,3 l/100Kms. O desenho do depósito do tipo “alforge” muito usado nas motos do tipo Rally permite aumentar a capacidade e a autonomia da moto e em simultâneo baixar o seu centro de gravidade, aumentando a manobrabilidade e facilitando por exemplo o levantar da moto no caso de uma caída. Ao mesmo permite também libertar o topo da moto e facilitar o acesso à sua mecânica. A sua estética é discutível mas a sua eficácia é incontornável. O depósito está protegido nas zona inferior e mais exposta a contacto por umas coberturas em plástico rígido existindo inclusivamente a opção das mesmas serem em carbono. A parte inferior do quadro está ainda integralmente protegida por um elemento em alumínio.

A travagem é também toda uma referência, aliás quando passámos da versão normal para versão R tivemos que novamente aprender a dosear o travão tal era a intensidade da “mordida” conseguida com apenas 2 dedos. As pinças e discos fornecido J.Juan têm uma enorme eficácia na travagem. Com dois discos de 320mm na dianteira e pinça de 4 pistons e disco de 260mm na traseira com pinça de dois pistons a 790 Adventure R tem uma travagem muito eficaz, ajudada pelo ABS Bosch 9.1. O ABS tem 3 níveis de intervenção de acordo com os 3 modos possíveis selecionar, Street, Rain e OffRoad, sendo ainda possível desligá-lo completamente mas voltando a ficar ON sempre que desligamos e voltamos a ligar a moto. Em estrada no modo Street inclui ABS em curva em ambas as rodas. Em modo OffRoad como referimos antes, apenas desliga o ABS traseiro mantendo uma ligeira intervenção na roda dianteira.

A KTM parece ter levado muito a sério tudo aquilo que foi ouvindo dos seus clientes a esta 790 Adventure é a expressão física de todo esse trabalho, sobretudo a versão R está dotada de uma sofisticação e de um desempenho difícil de encontrar em qualquer outra moto no mercado. A versão R é uma verdadeira Adventure Enduro, ágil e manobrável, de uma enorme sofisticação da sua ciclística e das ajudas electrónicas que dispõe, com um motor com um enorme binário disponível desde baixas rotações, desafiando-nos a explorar todo o seu potencial e a desbravar qualquer terreno, qualquer estrada à nossa frente. A KTM estabelece novas referências no segmento das Adventure com as suas 790, especialmente com a versão R, que resulta ser uma arma letal dentro do espírito “Ready to Race” e que nos leva a enfrentar qualquer desafio, qualquer percurso com a confiança de termos do melhor que existe no segmento Adventure.

A KTM 790 Adventure está apenas disponível numa combinação cromática de Branco, Laranja e Preto. O seu PVP de 14.493.- euros é algo alto mas reflete o nível da sua sofisticação e a qualidade de todos os seus componentes

FICHA TÉCNICA Consultar AQUI

Concorrência

BMW F850 GS    853cc / 95 CV / n.d. Kg / 13.371 eur

Honda Africa Twin / Big Tank   998cc / 95 CV / 242 Kg / 14.700 eur

 

Triumph Tiger 800 XCA    800cc / 95 CV / 208 Kg / 14.850 eur

 

Galeria de Imagens

Deixe um comentário

Seja o primeiro a comentar!