Teste Keeway MBP M502N – Representante de uma nova gama num escalão superior

By on 2 Agosto, 2022

Sempre se manteve uma postura reservada em relação a aqueles que chegam de novo ao mercado sobretudo quando as reservas apontam para a origem dos mesmos. Ora os produtos chineses sempre estiveram expostos até há relativamente pouco tempo a esse tipo de arbitrariedades e discriminação, no entanto essa percepção tem vindo a mudar com o passar dos anos.  Por um lado a produção com origem asiática tem evoluído em termos de concepção e de qualidade até chegar a alcançar um standard semelhante ao europeu e ao japonês. Este é claramente o caso desta Keeway MBP M502N, moto que vem desmistificar totalmente os preconceitos relacionados com a etiqueta “made in china”.

Não sejamos hipócritas e que levante a mão aquele que no sector das duas rodas não fabrique em terras orientais. É que a indústria nessa parte do planeta aprendeu a produzir com a qualidade que lhe é solicitada , do tipo “ à la carte ”, e hoje em dia conseguem fornecer produto de muitíssima qualidade sem grandes esforços.

Então o que é que se passa exactamente com a Keeway ?

A marca depois de um longo período a fabricar motos de baixa cilindrada e veículos pequenos, decidiu entretanto que tinha chegado a altura de entrar em segmentos de maior dimensão. Conscientes que a maioria das reticências conotadas com a produção do gigante vermelho se foram diluindo ao longo dos tempos, a firma decidiu introduzir uma nova gama de produtos sob a marca MBP. Uma nova denominação que irá englobar modelos de cilindradas médias e superiores e que têm como ponto de partida esta M502N.

O segmento Naked foi o eleito para abrir os mercados ocidentais e seguirão mais tarde novas criações em outros segmentos de mercado. De acordo com os comentários de alguns responsáveis pela marca, no próximo Salão da EICMA em Milão já iremos conhecer as primeiras novidades que virão acompanhar a M502N e que farão crescer a oferta no segmento das cilindradas médias e grandes.

Um passo em frente

Para já concentremo-nos na moto que nos acaba de chegar, a Keeway MBP M502N, a primeira aposta da marca para aceder a um segmentos superior, uma categoria onde a competição cada vez é maior.

E argumentos para se bater com a concorrência tem… Senão vejamos. Esteticamente tem uma imagem bastante atrativa, bem proporcionada, se bem que aquilo que nos chama mais a atenção é a sua frente… Não, não é uma Suzuki, é uma Keeway se bem que que o farol dianteiro, com as suas óticas sobrepostas, faz mesmo lembrar o de uma Suzuki GSX-S.

E nesta matéria conta com iluminação totalmente em LED, onde os intermitentes de linhas finas e o farol traseiro com um design que se concentra em três pontos enquadrados por um LED trapezoidal. Já sobre o duplo farol dianteiro situa-se um painel digital de instrumentos que concentra uma enorme quantidade de dados de dimensão algo reduzida e amontoada que, com uma iluminação num determinado ângulo de visão, dificultam muito a sua leitura.

A Keeway é a marca registada na Europa pelo Grupo chinês Quianjiang

O depósito de combustível exibe formas angulosos e tem um espaço bem desenhado para encaixar as pernas. O assento, de uma só peça, exibe dois níveis diferenciados, para o piloto e para o pendura, e tem uma altura ao solo de apenas 790mm, ficando o pendura num plano superior. Esta disposição juntamente com os poisa-pés baixos e o guiador largo definem a ergonomia da M502N. Com uma postura cómoda, algo encaixada mas com liberdade de movimentos, as pernas porém ficam algo elevadas.

O assento estreito na traseira aponta para cima e apresenta uma série de aberturas aerodinâmicas que se ampliam até à sua extremidade. O porta-matrículas está acoplado ao mesmo enquanto que o guarda-lamas traseiro está fixado ao braço oscilante. Por fim o escape está colocado no lado direito da moto e termina com uma ponteira em aço polido com acabamento sóbrio.

Conta com um motor suave e quase sem vibrações, que debita potência suficiente

O epicentro da nova MBP é um bicilíndrico de 4 tempos refrigerado a água , um motor com uma configuração que habitualmente vemos neste segmento de mercado. Apto para todos os públicos, este motor de 486 cc e dupla árvore de cames à cabeça, conta com injecção eletrónica e debita uns generosos 48 CV. Potência que nas mãos dos mais experientes poderá ser justa e suficiente para assegurar uma condução divertida e a aqueles com carta A2 poderão aprender e evoluir .

Com uma caixa de 6 velocidades bem escalonadas, esta Keeway aproveita muito bem os seus 43 Nm de binário, arrancando muito bem desde os baixos regimes sendo que na zona média é onde o motor tem melhor rendimento. Também na zona mais alta de rotações tem um bom desempenho sem apresentar demasiadas vibrações embora não seja a sua zona natural de funcionamento ( sente-se que vai em esforço ). A zona mais aproveitável situa-se entre as 4.000 e as 6.000 rpm, onde conseguimos obter o seu melhor rendimento.

Em todos os terrenos

As características que apontámos da M502N conferem-lhe um excelente desempenho em cidade, contornando obstáculos urbanos com enorme desenvoltura apesar dos seus 200 e poucos Kg, beneficiando de um comportamento acertado da sua  ciclística. Dotada de uma grande agilidade e de uma boa brécage o único que há que ter em conta é o facto do do conjunto do seu guiador e espelhos serem algo largos podendo afectar a facilidade com que circulamos entre o tráfico urbano.

Já que falamos da sua ciclística aproveitamos para comentar a curiosa natureza do seu quadro. Trata-se de um quadro multi-tubular em aço mas se olharmos com mais atenção vemos que por cima dos tubos está colocada uma placa que à primeira vista pode parecer um embelezador de plástico. No entanto quando olhamos com mais atenção percebemos que se trata de uma peça de metal aparafusada ao quadro principal, que funciona como reforço e contribui para a sua rigidez.

Uma ciclística perfeitamente dimensionada, com travões e suspensões que cumprem de forma correcta

Em estrada nota-se um andamento que oferece grande estabilidade e rigidez sem quaisquer distorções inoportunas. Nesta matéria a Keeway M502N revela-se uma moto divertida com um motor que permite manter um bom ritmo entre curvas e uma ciclística onde as suspensões e os travões cumprem de sobra.

Tanto a suspensão dianteira como o amortecedor traseiro funcionam de forma correcta, garantindo uma boa leitura do terreno estando totalmente ao nível das prestações deste bicilíndrico de meio litro.

No que toca à travagem sentimos que a manete do travão dianteiro tem um tacto algo duro de início, algo estranho mas que nos habituamos ao cabo de alguns Kms. O seu funcionamento peculiar obriga-te a um processo de habituação inicial até conseguires obter uma travagem efectiva. O travão traseiro oferece um excelente apoio e goza de uma progressividade mais natural, sendo bastante correcto e efectivo.

Particularidades

Os travões estão assistidos por ABS que intervém só quando deve, excepto ao princípio. Precisamente pelo tacto estranho do travão dianteiro e até que te habitues a colocar a pressão correcta na manete o ABS tem tendência em actuar no travão dianteiro. Tudo isto acaba por se tornar irrelevante à medida que vais percebendo o funcionamento do travão e gerindo a sua actuação. È o tal processo de aprendizagem de que falávamos.

O certo é que as expectativas criadas de início pela M502N são bastante altas. Depois de rodarmos alguns quilómetros e à medida que vais ganhando confiança o ritmo vai pouco a pouco crescendo. O motor empurra bem e se soubermos aproveitar bem zona dos seus regimes intermédios consegue ir ligando curvas a um bom ritmo, acelerando com energia e sem temor inclinado à saída das curvas.

Os pneus Pirelli Angel GT que monta oferecem uma excelente aderência e confiança pelo que rapidamente vamos à procura de mais diversão. No entanto o nosso entusiasmo de pronto vê-se travado por uns poisa-pés colocados demasiado baixo e que acabam a roçar pelo asfalto assim que imprimes um ritmo mais alto e começas a inclinar mais em curva.

Podemos sempre alterar esta situação montando os poisa-pés numa posição mais alta ou mesmo saindo mais da moto em curva para a manter mais direita ( à moto GP ) mas claro que isso deixaria de ser a nossa posição natural quando rodamos em estrada. A solução mais simples seria mesmo subir ligeiramente os poisa-pés, realidade que em nada afetaria a postura natural que a moto oferece.

Uma opção interessante

No seu conjunto a Keeway MBP M502N é uma moto que promete e que parece trazer consigo no curto prazo novos modelos. Como primeiro exemplo da nova família MBP, esta Naked cumpre bem com a sua missão. Pode não ser completa e faltarem-lhe alguns pormenores no entanto a primeira impressão foi muito positiva.

Mas claro que pela frente terá um duro caminho a percorrer num mercado altamente competitivo e num segmento muito disputado. Na categoria A2 vemos hoje em dia inúmeras opções de média cilindrada pelo que a luta por se afirmar e conseguir um lugar ao sol será certamente feroz.

A Keeway apresenta-se ao mercado com a sua nova família MBP onde a M502N é o seu primeiro passo. A moto tem um PVP de 6.490 euros, um preço em sintonia com a média do respectivo segmento. Está disponível nas cores preto, branco, cinza e vermelho, estando prevista a sua chegada aos concessionários da marca durante o mês de agosto.

O que mais gostámos e aquilo onde poderá melhorar…

MOTO +

  • Motor suave e sem vibrações
  • Potência suficiente
  • Ciclística bem dimensionada
  • Suspensões com bom desempenho

MOTO –

  • Poisa-pés demasiado baixos
  • Painel de instrumentos de difícil leitura

Ficha Técnica Keeway MBP M502N

Motor tipo: Bicilíndrico 4T, DOHC, LC, 8V
Diámetro x curso: N.d.
Cilindrada: 486 c.c.
Potência máxima: 47,6 [email protected] 9.000 rpm
Binário máximo:45 Nm @ 6.750 rpm
Alimentaçõ:Injecção electrónica
Emissões de CO2:N.d.
Caixa: 6 velocidades
Embraiagem: Multidisco em óleo
Transmissãon secundaria: Corrente de o’rings
Tipo chassi:Dupla viga tubular de aço
Geometría de direção: N.d.
Braço oscilante: Duplo braço em aço
Suspensão dianteira: Forquilha invertida KYB de 41 mm com 150 mm de curso
Suspensão traseiraMonoamortecedor sobre bielas, ajuste de pré-carga
Travão dianteiroDuplo disco de 300 mm com pinça de 2 pistons JJuan e ABS
Travão traseiro: Disco de 240 mm com pinça de un piston JJuan e ABS
Pneus:120/70-17 e 160/60-17
Distancia eixos:1.420 mm
Altura assento:790 mm
Peso:214 kg
Depósito: 17 l
Consumo médio: N.d.
Autonomía teórica:N.d.
Garantía oficial:3 años
Importador: Multimoto
Contacto: 256600870
Web:Keewaymotos.pt
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments