O Inverno chegou! 6 Dicas de condução em segurança

By on 21 Janeiro, 2018

O Inverno já chegou!

6 Dicas de condução em segurança, para chuva e frio, piso escorregadio, e pouca visibilidade

 

O inverno não é o inferno! É apenas uma fase do ano em que as condições climatéricas são mais exigentes e que obriga a uma abordagem e preparação especificas para que se eliminem ou minimizem os riscos de desconforto, insegurança e mesmo acidentes.

 

As motos tendo apenas duas rodas, dependem do bom equilíbrio do conjunto veiculo/piloto, e este equilíbrio depende essencialmente das capacidades de condução de cada um e muito em especial da aderência do piso.

Seja para acelerar em força, ou travar com intensidade ou curvar em inclinação, a aderência é o ponto chave. E é precisamente a aderência que desaparece, ou quase, em piso molhado ou escorregadio.

Mas andar de moto á chuva não é um exercício reservado a sobredotados. Todos podemos conduzir uma moto á chuva com toda a segurança, e vou mais longe – com muito prazer.

E Portugal é um país em que chove pouco, pelo que os utilizadores de motos não estão por vezes suficientemente habituados a estas condições e preferem nesses dias mais chuvosos, levar o carro ou ir de transportes. Mas é precisamente nos dias chuvosos em que o transito é mais intenso, que vale mesmo a pena usar a moto e tirar partido de todos os seus benefícios e vantagens.

Mas todos sabemos que andar de moto, não permite a mesma abordagem á mobilidade que se tem com um carro. Tudo começa com o facto de necessitarmos de equipamento especifico, e de nos sujeitarmos a alguns inconvenientes, para podermos merecer das grandes vantagens e prazer que a moto proporciona.

Como tal, andar de moto é acima de tudo um culto, ou uma cultura, uma mentalidade.

Felizmente que em Portugal é também um movimento que cresce a olhos vistos junto do publico mais jovem, sim mais jovem, não necessariamente de idade, mas de mentalidade.

Sim, andar de moto diferencia as pessoas e distingue os de espírito jovem, dos de espírito mais comodista.

E chegando ao inverno eles aí estão para continuar a gozar em pleno a sua moto de eleição.

Vamos ao que interessa:

6 Dicas para conduzir em segurança no Inverno.

 

1- Escolha o equipamento adequado

Um bom fato impermeavel (uma ou duas peças), luvas, botas e talvez um electric vest, podem impedir mesmo o maior temporal de o deixar totalmente molhado. Um bom equipamento impermeavel pode manter a temperatura do seu corpo num nivel de conforto interessante, o que é a primeira condição para que andar á chuva represente prazer.

Mas sobre este tema vamos debrucar-nos aprofundadamente na parte 3 deste artigo.

 

2 – Conduza de forma suave e inteligente

Em situações de pouca aderencia terá que alterar o seu estilo habitual de condução e a sua forma de controlar a moto.

Alterações no acelerador deverão ser suaves e progressivas, para evitar reacções bruscas, derrapagem da roda traseira e perda de controle. Uma aceleração exagerada pode provocar um chicotada de traseira ou seja uma derrapagem para um dos lados que depois se converte na reacção contrária para o outro lado provocando a queda.

Este aspecto é particularmente importante em motos potentes sem controle de tracção.

3- Saiba Travar

Trave mais cedo e sempre com a moto em posição bem vertical. Atenção ao travão da roda dianteira, pois essa se bloquear, não dá margem de defesa, a frente imediatamente resvala estamos no chão com grande probabilidade de bater com a cabeça no pavimento. Estas reações normalmente acontecem sem aviso, ou seja quando menos se espera e não acontecem sempre, dependerá do atrito do piso naquele presiso momento e local.

Com dica de segurança, vale a pena passar a usar o travão da frente sempre com muito respeito, com suavidade, pouca pressão e sempre com a moto na vertical. Mas não deixe de utilizar o travão dianteiro pois ele é bastante mais eficaz do que o traseiro.

 

4- Curvar com cabeça

Em curva – obviamente a ideia é a de inclinar a moto muito menos, do que faz em piso seco. Aliás esta é a razão principal de quedas mesmo em seco, para aqueles pilotos que gostam de sentir toda a adrenalina que uma moto pode proporcionar. Mesmo em seco, a inclinação em curva é o grande ponto diferenciador entre os verdadeiros pilotos e os meninos de calções. E, naturalmente os limites só se conhecem quando são atingidos, o que, a acontecer nunca dá para recuperar.

Á chuva temos que ser sempre medrosos, ou seja inclinar pouco a moto…mas mais uma vez os mais audazes serão sempre capazes de curvar á chuva com uma inclinação imprópria para cardíacos, e surpreendentemente não caem! Claro está que aqui também conta muito o factor pneu, pois existem próprios para a chuva e garanto-vos a diferença é abismal.

5- Dê atenção aos pneus

Mas se não tem pneus específicos para a chuva, deve sempre ter em atenção o estado do seus pneus. A pressão correcta é imprescindível, mas o estado de desgaste do piso do pneu é muito importante. Numa moto, é sempre a parte central do pneu a que mais depressa se desgasta, pois poucos são os artistas que abusam do piso nas margens do pneu que só é utilizado em curva.

Portanto é essa zona central que deverá fazer o trabalho de escoar a agua em excesso que se apresenta em frente á roda. Esse desenho central tem que estar em condições para conseguir evitar que a roda deixe de estar em contacto com o pavimento por excesso de agua.

 

6- Antecipe-se sempre ás “surpresas”

Portanto repare, tem que travar mais cedo e de forma mais suave, tem que acelerar progressivamente e sem brusquidão, e tem que curvar com menos inclinação. Tudo isto demonstra que as reações não possam ser bruscas e em cima do acontecimento, o que implica uma enorme concentração, capacidade de antecipação, e capacidade de prever o que pode acontecer á sua frente.

Repare, se alguém se atravessa subitamente á sua frente, não pode travar de repente, nem dar uma forte ginada para se desviar, nem tão pouco uma forte aceleradela…As suas principais ferramentas de defesa, não podem ser aplicadas á chuva!

Portanto o melhor mesmo é evitar que essas manobras de ultimo recurso sejam necessárias.

Como? antecipando e redobrando a margem de segurança:

-aumente a distancia para o veiculo á sua frente

-numa fila, esteja sempre concentrado, não no carro imediatamente á sua frente mas talvez no terceiro á sua frente. Se este travar de repente, sempre terá mais tempo para reagir.

-Seleccione bem a sua linha para evitar pisar zonas escorregadias, como tampas metálicas, ou buracos, ou mesmo faixas pintadas (nada mais escorregadio que as próprias pinturas das ruas e estrada). Muita atenção aos carris dos eléctricos em Lisboa, além do desnível, são metálicos e portanto muito escorregadios.

 

 

 

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments