Kawasaki KLR 650: O regresso mais esperado

By on 26 Janeiro, 2021

Foi apresentada já como modelo de 2022 a nova Kawasaki KLR 650, um modelo muito aguardado pelos seus inúmeros fãs… O exterior é dilacerante, o motor é o mesmo monocilíndrico 4T mas com injeção eletrónica, quadro revisto e ergonomia otimizada.

Há cerca de um ano começaram os rumores de que a Kawasaki estaria a preparar uma nova Adventure de médio porte, mais versátil que a atual Versys 650, afim de enfrentar motos concorrentes como a Yamaha Ténéré 700. A fabricante de Akashi tornou agora esse rumor em realidade, revelando uma nova geração da icónica KLR 650 com ligeiras mudanças.

Falou-se da possibilidade de uma substituta da KLX 700, sobre muito do que poderia acontecer, e o esperado regresso acabou por acontecer. A KLR 650 está de volta e resulta de uma revisão atenta a muitos pontos da sua antecessora. O ‘Team Green’ seguiu uma abordagem ao que já havia sido feito com a Yamaha Ténéré — oferecer uma moto simples, acessível e desprovida de eletrónica a rodos e sistemas extravagantes que acresentassem peso desnecessário.

Quando se constrói uma nova geração de uma das motos mais conceituadas do mercado, conhecida pela sua durabilidade e versatilidade, não seria muito lógico conceber uma nova KLR super high-tech e fora do baralho.

DESAFIO ÀS MÉDIAS ADVENTURE

Em termos de design, aparentemente, a Kawasaki foi buscar o moderno farol de LED da Z H2. A semi-carenagem é mais moderna, com superfícies complexas e ângulos que dão à moto uma aparência mais atlética. Os indicadores de direção estão mais elevados na carenagem e escondidos para reduzir os riscos de quebra. O écran protetor agora é 2 polegadas mais alto e pode ser levantado por mais uma polegada para aumentar o conforto na estrada. As hastes dos espelhos, também são mais longas para uma melhor visibilidade.

O guiador é 10mm mais largo e as peseiras estão 10 mm mais saídas para uma posição mais relaxante. A Kawasaki também optou pela montagem de diferentes punhos no guiador e apoios de pés, por forma a ajudar a reduzir vibrações.

A moto é equipada com um depósito de combustível muito semelhante ao da sua antecessora mas com diferentes concavidades ao nível das pernas. O assento de duas peças no estilo enduro permanece, mas a Kawasaki reviu a sua forma e espessura: ficou mais curto e os técnicos de Alashi adicionaram amortecedores de borracha para um maior conforto.

A KLR 650 entra no século XXI com um novo display digital LCD para substituir os medidores analógicos – não ha ainda um TFT colorido, por enquanto! Para garantir que a KLR possa acompanhar todos os acessórios elétricos — incluindo o farol de LED, punhos aquecidos e tomadas de energia — a marca japonesa aumentou a saída do gerador para 26 amperes. A bateria passou a estar selada e requer menos manutenção.

206 KG E ABS

Sob a carenagem a KLR 650 tem como espinha dorsal uma estrutura de aço de alta tração com um subquadro agora integrado, projetado para aumentar a rigidez torcional. O quadro é suportado por uma forquilha telescópica de 41mm e atrás por um sistema Uni-Trak regulável, emparelhado com um braço oscilante mais longo para melhorar o manuseamento em estrada.

Na sua evolução, a KLR de nova geração ganhou alguns quilos no processo, agora pesando na balança 206 quilogramas (versão sem-ABS) contra os 195 quilos do modelo anterior. O diâmetro das rodas assimétricas de raios permanece inalterado, contando com 21 e 17 polegadas. No entanto, para melhorar a capacidade de travagem da moto, a configuração do freio dianteiro é ligeiramente maior do que em 2018, com um disco redondo de 300 mm. Na parte de trás, o tamanho do disco de 240mm não muda, no entanto, é um milímetro mais grosso para dispersar melhor o calor, de acordo com a Kawasaki.

A KLR650 está agora disponível com ABS de dupla função, desconectável se nos estivermos a deslocar para caminhos extremos fora de estrada. A Kawasaki explica que desenvolveu este sistema com a Bosch, projetando-o para atrasar o tempo de reação para que o ABS não seja tão intrusivo em configurações off-road. Ainda assim, permitirá uma certa quantidade de derrapagens, antes que o sistema reaja de forma automática.

O ‘BIG’ 4 TEMPOS EM FORMA

Para aqueles que pensavam estar ‘moribundo’ o monocilíndrico da KLR, lamentamos desapontá-los. O ‘Big Thumper’ continua a bater forte e orgulhoso! Dentro do quadro de semi-duplo-berço, o ‘mono’ de 652cc da Kawasaki continua a gritar forte, aumentado em um centímetro cúbico em relação à cilindrada do modelo de 2018.

No seu interior foram alvo de revisão os perfis da câmara para melhorar o grunhido médio da moto. O tubo de escape agora é mais estreito e termina num silencioso com baixa saída de ruído, para andar no que a Kawasaki chama de “áreas sensíveis”. E o curso e a taxa de compressão? Sim, é tudo igual: 100 x 83 mm e 9,8:1. Deveria ter pelo menos uma caixa de seis velocidades, mas não! A transmissão tinha cinco velocidades em 2018, então, permanecem as cinco velocidades para 2022. Felizmente, a Kawasaki não rejeitou totalmente a modernização e substituiu o carburador Keihin por um corpo de acelerador de injeção DFI de 40 mm… muito bem vinda… Para maior proteção contra os terrenos acidentados, uma nova tampa de motor foi incluída.

Para 2022, a nova Kawasaki KLR650 é oferecido em quatro opções, equipadas com diferentes níveis de equipamento. O modelo sem ABS é o ponto de entrada na gama, e pode iniciar a escalada adicionando ABS, optando pelo nível de acabamento Traveler que adiciona uma top case, uma porta USB e uma tomada de energia, ou subir ao topo com o modelo Adventure totalmente equipado com malas laterais, luzes auxiliares e um protetor de motor.

As 4 versões da Kawasaki KLR650:

2022 Kawasaki KLR650

– 2022 Kawasaki KLR650 ABS

2022 Kawasaki KLR650 Traveler

2022 Kawasaki KLR650 Adventure

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments