Produzida a 1ª unidade de 500 da Ducati Panigale V4 Superleggera – VÍDEO

By on 18 Junho, 2020

 A primeira Superleggera V4 saiu das linhas de montagem em Borgo Panigale. Esta é a #001 das 500 unidades programadas numa série limitada e numerada; a única moto no Mundo homologada para utilização em estrada com o quadro, braço oscilante e jantes em fibra de carbono, está finalmente disponível. Uma obra-prima de engenharia mecânica, técnica e design “made in Italy”, que estabelece um novo padrão em termos de performance, estilo e atenção ao pormenor.

A exclusividade dos materiais e soluções técnicas adotadas na Superleggera V4 também se reflete no número máximo de motos a produzir: 500 unidades numeradas e acompanhadas por um certificado de autenticidade . A numeração progressiva das motos (XXX/500), coincidindo com o número do chassis, é exibida na mesa de direção e na chave de ignição.
O primeiro dos felizes proprietários desta fantástica moto foi convidado para Borgo Panigale para uma cerimónia de entrega e, nos próximos dias, encontrar-se-á pessoalmente com Claudio Domenicali, CEO da Ducati, para receber a sua Superleggera V4 001/500.

O carácter único do projeto Superleggera V4 é sublinhado pelas experiências que a Ducati em conjunto com a Ducati Corse, têm reservadas em exclusivo para os proprietários da moto: a “Superbike Experience” – a possibilidade de todos os fãs que comprarem a Superleggera V4 terão de experimentar a Panigale V4 R que participa no Campeonato do Mundo de SBK, na pista de Mugello. Ainda mais incrível e exclusiva é a oportunidade – limitada a 30 proprietários da Superleggera V4 – de adquirir o acesso à “MotoGP Experience” , realizando assim o sonho de qualquer entusiasta das motos desportivas. Pela primeira vez será possível pilotar a Desmosedici GP em circuito, acompanhado diretamente por técnicos da Ducati Corse. Ambas as “Experiências” foram confirmadas para 2012.

A atenção que completa a experiência de aquisição da Superleggera V4, também inclui a possibilidade de personalizar o fato de cabedal Superleggera V4 com air bags da linha “SuMisura Ducati”, bem como completar o ‘look’ com um capacete em carbono, ambos específicos para a moto, cujas cores e grafismo replicam.

Cada moto está equipada com um kit Racing : escape completo Akrapovič em titânio para uso em pista; tampa da embraiagem aberta em fibra de carbono com “slider” em titânio; kit de substituição da ótica e luzes; kit de remoção do suporte da matrícula; kit de remoção do descanso lateral; tampas em alumínio para os orifícios dos espelhos; Ducati Data Analyzer + GPS (DDA + GPS); tampão de gasolina racing, proteção da manete de travão, capa para a moto; cavalete dianteiro e traseiro e carregador de bateria.

A moto é entregue dentro de uma caixa de madeira com uma customização especial para o transporte desta obra-prima “made in Borgo Panigale”.
Finalmente, todos os clientes receberão uma reprodução escultural da Superleggera V4 à escala 1:10, modelada em formas futurísticas e aerodinâmicas. Uma verdadeira peça de colecionador, personalizada com o número da sua moto.

Superleggera V4

A Superleggera V4 é a única moto homologada para estrada no Mundo com toda a estrutura portante do chassis (quadro, sub-quadro, braço oscilante e jantes) feitos em material compósito, conseguindo uma redução de 6,7 kg no peso graças a estes componentes, comparativamente àqueles da Panigale V4 MY20. Para assegurar a mais elevada qualidade e padrões de segurança, estes componentes foram 100% testados recorrendo às mais sofisticadas técnicas oriundas da indústria aeroespacial, tais como a termografia, inspeções de ultrassons e tomografia.
A afinação específica do chassis dá-lhe um poder de desaceleração sem paralelo, uma extraordinária velocidade de descida em curva e uma tendência vincada da moto para fechar trajetórias à saída das curvas.

Muitos componentes são feitos em fibra de carbono, moldados em formas aerodinâmicas. Estes incluem a carenagem, que atinge níveis de eficiência mais elevados que os das motos de MotoGP de hoje em dia, que se encontram limitadas pelos atuais regulamentos técnicos. Graças aos apêndices aerodinâmicos biplano inspirados pela Ducati de MotoGP de 2016, com as melhores prestações no seu campo, consegue garantir uma carga aerodinâmica de 50 kg a 270 km/h, mais 20 kg que as geradas pelas asas nas Panigale V4 MY20 e V4 R. Esta carga aerodinâmica melhora a aceleração, contrariando a tendência de levantar a roda dianteira, e aumenta a estabilidade em travagem.

As carenagens em carbono são embelezadas com a decoração inspirada pela Desmosedici GP19, com uma alternância das linhas e profundidades entre a cor vermelha da GP19 e o carbono visível que evidencia as formas, os materiais e os pormenores técnicos. O vermelho continua nas faixas laterais coloridas dos pneus Pirelli Diablo Supercorsa SP, especificamente desenvolvidos na construção da Superleggera V4.

O mais potente e leve motor Desmosedici Stradale R encontra-se escondido por debaixo da pele em carbono. A unidade motriz V4 a 90º de 998 cc que propulsiona a Superleggera V4 pesa 2,8 kg menos que o V4 de 1.103 cc e, graças ao escape homologado Akrapovič, produz 224 cv em configuração de estrada (valores de homologação UE), que se transforam em 234 cv ao montar o escape em titânio da Akrapovič, para uso em pista, incluído no Kit Racing fornecido com a moto.
A natureza de competição do motor é evidenciada pelo uso da embraiagem a seco e pela ordem de ignição do sistema de distribuição Desmodrómico, feito manualmente por um especialista que, após verificação, confirma o resultado positivo inscrevendo a sua assinatura na placa de metal que embeleza a tampa em carbono da bancada de cilindros traseira.

Disponível apenas na Superleggera V4, ao carregar a calibragem do motor para o escape de competição, é possível ativar o display do painel “RaceGP” . Dirigido exclusivamente para uso em pista, deriva do painel de instrumentos da Desmosedici GP20, desenhado segundo as indiçaões de Andrea Dovizioso.

Graças à extensiva utilização da fibra de carbono e componentes feitos em titânio, magnésio e outros em alumínio a partir do bloco, a Superleggera V4 apresenta um peso a seco de 159 kg (16 kg a menos que a Panigale V4), resultando numa relação potência/peso de 1,41 cv/kg: um valor recordista para uma moto desportiva homologada. Em configuração de pista, ao montar o kit Racing fornecido com a moto, a potência sobe para 234 cv e o peso desce para 152,2 kg, com uma relação potência/peso de 1,54 cv/kg.

Os controlos eletrónicos também foram desenvolvidos sob uma perspetiva puramente desportiva. Por defeito, os seus parâmetros operativos são associados aos três Riding Modes com designações específicas (Race A, Race B e Sport) . Para além disto, e pela primeira vez, podem ser adicionados cinco Riding Modes, personalizados de acordo com as vossas definições preferidas. Os pilotos podem monitorizar os tempos por volta mediante um Lap Timer, que agora permite registar as coordenadas da linha de meta e tempos intermédios para cinco circuitos favoritos, que podem ser ativados de cada vez que se sai para a pista sem ter de repetir todo o processo de carregamento de dados. Por defeito, o sistema propõe as coordenadas da linha de meta e intermédios de Laguna Seca, Mugello, Jerez, Sepang e Losail.
A isto adiciona-se um pacote eletrónico de última geração que inclui estratégias EVO 2 para o DTC e DQS up/down.

Suspensões Öhlins mais leves com forquilha pressurizada e bases mais leves em alumínio maquinado, uma mola de amortecedor em titânio e válvulas derivadas de GP, são parte do equipamento, melhorando o amortecimento de irregularidades no piso na fase inicial de compressão.

Video Ducati Panigale V4 Superleggera # 1

O sistema de travagem é o melhor na gama de produção da Brembo, com uma bomba MCS com regulação remota da distância da manete e pinças Stylema® R, exclusivas para a Superleggera V4, permitindo uma maior consistência do travão dianteiro durante longas sessões em pista.

Tudo isto se traduz num nível de performance de absoluto relevo. Alessandro Valia, piloto oficial de testes da Ducati, com a moto equipada com o kit racing e pneus slick, fez uma volta ao circuito de Mugello em 1m52.45s, a menos de dois segundos do tempo da Panigale V4 R SBK, vencedora do CIV 2019 com Michele Pirro.

Um exemplo da máxima atenção aos pormenores é a tampa do radiador em alumínio maquinado do bloco e uma chave de ignição dedicada com uma inserção em alumínio onde se indica o número da moto.

A Superleggera V4 é uma máquina extrema, desenhada e desenvolvida para conseguir a máxima performance em pista, mas ao mesmo tempo garantindo a fiabilidade e a facilidade de condução que são requisitos de uma moto desportiva homologada para estrada. Com esta moto a Ducati aumenta ainda mais os limites. A competência técnica e conhecimentos desenvolvidos e continuamente evoluídos em MotoGP tornam-se disponíveis para os fãs da técnica e da performance em duas rodas.

Because Dreams Matter…


0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments