Suzuki V-Strom 250 SX: A suprema leveza do Sol Nascente

By on 21 Novembro, 2022

A V-Strom 1050DE e a V-Strom 800DE já foram apresentadas na Europa, mas há um terceiro modelo da saga V-Strom, que certamente seria bem acolhido pelos motociclistas do Velho Continente. Referimo-nos à V-Strom 250 SX, mais pequena, mas nem por isso menos ambiciosa.

No Japão já é conhecida e está a um pequeno passo da comercialização, tendo sido recentemente apresentada no  V-Strom Meeting 2022, onde esteve presente o engenheiro-chefe do projeto, Tetsuji Nojiri. A V-Strom 250 SX é a variante supermotard da V-Strom 250. A publicação japonesa Autoby revelou-a, e o ‘escriba’ Kitaoka descreveu-a como ‘uma variante desportiva, mais estreita do que eu pensava e afilada. Não posso dizer que seja uma trail pura, mas até parece. É leve, mesmo muito leve e é a minha favorita”, disse.

A especificação indiana pesa 167 kg, mas se a especificação doméstica para o Japão surgir, livre do equipamento que é obrigatório na Índia, será ainda mais leve, com menos 20 kg que a irmã V-Strom 250! Grande parte dessa leveza deve-se ao novo motor refrigerado a óleo. Este motor é realmente compacto e leve… Outra grande vantagem é que o corpo pode ser esguio por ter um cilindro curto.

“A sensação desportiva que senti ao conduzi-la pode ter sido em grande parte devido à sua magreza”, reforçou Kitaoka.  A propósito, a altura do assento é de 835 mm, a flexibilidade da suspensão dianteira e traseira é elevada, com um curso que é exatamente o mesmo  da GIXXER 250 e GIXXER SF250, mas as configurações parecem ter mudado significativamente.

Especialmente a suspensão traseira é completamente diferente da Gixxer 250/Gixxer SF250, mais adequada para lidar com estradas irregulares e não pavimentadas. E além disso os pneus são de tacos, ideiais portanto para atravessar alguns trilhos em off-road.

Presença importante no V-Strom Meeting, o engenheiro-chefe do projeto, Tetsuji Nojiri, focou outros aspectos a considerar na nova V-Strom 250 SX:

“O motor é compartilhado com as Gixxer, mas o formato do assento foi alterado para o quadro. Assumindo estradas irregulares, o braço oscilante foi estendido e as configurações da suspensão dianteira e traseira foram alteradas. As especificações do motor são as mesmas da série Gixxer 250. Este motor foi originalmente desenvolvido em antecipação aos novos regulamentos de gases de escape, portanto não há nenhum impacto específico”. Esclareceu Nojiri, que para concluir abordou o lado estético do novo modelo de Hamamatsu.

 “O que eu realmente mais gosto é o design. Na fase de desenvolvimento, o mais importante era ‘não quebrar o design original da 250 SX’, algo que para mum foi absolutamente conseguido”. Concluiu.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments