Top 15 – Scooters 125 / Um veículo de excelência para o dia-a-dia

By on 26 Outubro, 2020

INSERIDAS NUM DOS SEGMENTOS MAIS PROCURADOS NO MERCADO, AS SCOOTERS 125 SÃO A MELHOR ALTERNATIVA URBANA EM TERMOS DE TRANSPORTE. SÃO, PAR ALÉM DISSO MUITO ECONÓMICAS E FÁCEIS DE CONDUZIR. NESTE ARTIGO ANALISAMOS AS SUAS VANTAGENS E DESVANTAGENS, ASSIM COMO OS MODELOS MAIS PROCURADOS – VAMOS CONHECÊ-LAS!

Foi nos anos 1990 que as scooters começaram a despontar no mercado, como uma alternativa ao transporte público. Por um lado, fabricantes italianos e franceses, com experiência e tradição no campo dos motores com variador, assim como japoneses, trouxeram ao mercado das duas rodas numerosas propostas. Exemplos são muitos, desde a Piaggio – impulsionada pela experiente Vespa, aos japoneses da Honda com a Vision e Yamaha com a Target – dois modelos que conquistaram o público Europeu pelas suas características práticas e económicas – impulsionaram forte um segmento que servia para pôr fim às congestionadas vias das principais metrópoles do velho continente. As scooters foram nessa, e são… ainda mais agora, a SOLUÇÃO URBANA.

Moda ou necessidade?

Na sua maioria equipadas com modernos motores a 4 tempos de injeção elétronica e transmissão por variador (sem mudanças) as scooters são muito fáceis de utilizar, existem para todos os tamanhos e idades, são versáteis, poupadinhas e muito ágeis. No caso específico da Scooter 125 pode até ser conduzida com carta de carro – leu bem… carro, porque é precisamente ao mundo automóvel onde vão buscar grandes parte da sua definição (para oferecer mais espaço e conforto) – tem o impulso suficiente para realizar ultrapassagens fáceis, um conforto muito razoável e os seus consumos são muito moderados que outras scooters de 500-600cc! É portanto nas Scooter 125 que encontramos a melhor combinação performances/gastos, sendo ainda mais leves e fáceis de conduzir e estacionar em cidade.

Claro que, porque o mundo não pára, os fabricantes já estão avanaçar para um novo patamar de evolução, a scooter elétrica, mas as soluções conhecidas ainda ficam aquém na relação preço/autonomia, um factor onde a Scooter 125 de motor térmico continua imbatível.

E quem as utiliza? O cidadão anónimo, aquele que se desloca diaramente para o seu local de trabalho e que pouco se preocupa com números de potência – ao contrário da maioria dos ‘motards’ – e que se foca em aspetos como a qualidade de construção e acabamentos, a estética, o conforto, a segurança e claro, o preço, porque além de deslocações mais rápidas também quer fazer contas e contribuir para as poupanças pessoais, porque o que procura é essencialmente um meio de transporte diferente.

Da nossa perspectiva, até porque a utilizámos durante muitos anos na nossa deslocação diária, a Scooter 125 é uma das melhores escolhas a fazer! E os números do mercado confirmam-no, até porque é um modelo com esse perfil que lidera este apetecível segmento em Portugal.

A Scooter 125 é leve e económica, é como ‘peixe na água’ nas vias urbanas…

Os seus utilizadores são de todas as idades e classes sociais que precisam de uma deslocação rápida e confortável, de um estacionamento fácil para a sua atividade diária. E, sem dúvida, são pelo menos um bocadinho mais felizes que todos os outros, até porque a manutenção é  bastante menos exigente: a mecânica das scooters está protegida, os pneus não se desgastam prematuramente em derrapagens disparatadas, e claro, deixá-las a brilhar (lembre-se, elas são a sua cara e o desmazelo não fica bem!) respeitando sempre as revisões indicadas pelo fabricante na sua oficina habitual.       

Nota: nesta lista, ordenada de forma crescente, encontra as 15 Scooters 125cc preferidas pelos portugueses em 2020, de acordo com dados oficiais do mercado.

SYM Orbit III 125

A SYM designa-a como uma “fiel companheira de transporte”. É muito confortável e multifuncional, perfeitamente adequada para a circulação e transporte diário. Sob o assento conseguimos alojar um capacete integral e ainda pode ir consigo às compras, tansportar o seu Laptop e levar para casa o take-away do restaurante favorito. O motor é um moderno e económico monocilindrico a quatro tempos, que graças à utilização de um moderno carburador de controlo eletrónico assegura o cumprimento dos limites de emissões, sem comprometer as performances.

A SYM Orbit é a segunda scooter mais leve de todas as protagonistas deste ranking (pesa apenas 99 kg) e tem preço convidativo. Ocupa a 15ª posição no universo das Scooters 125

Motor: Monocilindrico 4T, 4 válvulas, arrefecimento líquido

Cilindrada: 125 cm³

Potência:  7,5 kW (10,2 CV) às 8500 rpm

Peso: 99 kg

Preço: a partir de 1.999€

Peugeot Django 125 ABS

Estilo retro e bonitas curvas manifestam-se na Django 125 que nasceu inspirada nas linhas requintadas do clássico modelo S55 que a marca do leão fabricou em 1954. O seu nome é uma homenagem a Jean ‘Django’ Reinhardt, guitarrista belga falecido em 1953, a quem muitos fãs de jazz atribuem a criação de uma nova técnica de guitarra. A Django está recheada de tecnologia moderna: iluminação LED, tomada de carregamento de 12V para dispositivos e um painel de instrumentos semidigital com computador de bordo. Sim, esta é uma scooter ‘retro’ mas para o amanhã, não lhe faltando um assento baixo e o ABS para travagens mais seguras.

A altura reduzida do assento da Django e o piso espaçoso e plano para os pés tornam-na confortável para condutores de todos os tamanhos – e o seu peso reduzido garante a máxima agilidade. O preço é simpático como a sua silhueta.

Motor: Monocilindrico 4T, arrefecimento por ar

Cilindrada: 124,6 cm³

Potência: 7,3 kW (10,1 CV) às 8.500 rpm

Peso: 129 kg

Preço: a partir de 2.999€

Suzuki Adress 110

Para quem aprecia scooters pequenas, muito leves, ágeis e rapidinhas no trânsito encontra na Suzuki Adress 110 uma opção adequada ao seu gosto e estilo de vida apressado. Especialmente desenhada para o ambiente urbano, é versátil e muito mais que apenas uma scooter para trajetos casa-trabalho. O seu consumo é baixo, orgulha-se de uma aceleração de tirar o fôlego e dispõe de um espaço de armazenamento de 20,6 litros, suficiente para armazenar o seu capacete e todo o seu equipamento.

A Adress 110 não só é uma companhia ideal para dia-a-dia, como ainda é extremamente leve – 97 kg! – e potente, para além de muito económica

Motor: Monocilindrico 4T, arrefecimento por ar

Cilindrada: 113 cm³

Potência:  6.5 kW (9 CV) às 7.750 rpm

Peso: 97 kg

Preço: a partir de 2.149€

Honda SH 125i

Recentemente atualizada a Honda SH 125i é uma das scooters mais populares da Europa – e foi já líder de mercado no velho continente. Carroçaria elegante e restilizada e uma estrutura redesenhada trazem mais de 50% mais espaço de armazenamento; a geometria traseira revista torna a viagem mais confortável. O novo motor de quatro válvulas acelera mais rapidamente, é mais rápido a altos regimes e devolve maior eficiência de combustível. É também compatível com EURO5.

Um preço de aquisição mais elevado que a campeã de vendas PCX 125, e de certa forma as rodas altas – que ainda não encontraram a devida aceitação em Portugal – têm contraído a procura da SH 125i no mercado, mas há sinais de isso está a mudar.

Motor: Monocilindrico 4T, 4 válvulas, arrefecimento líquido

Cilindrada: 124,5 cm³

Potência:  9,2 kW (12,3 CV) às 8.250 rpm

Peso: 136,5 kg

Preço: a partir de 3.800€

2020 HONDA SH125

UM Chill 125

A Scooter Chill é o veículo ideal para o dia-a-dia na cidade. O seu baixo peso e agilidade permitem-lhe enfrentar o trânsito citadino com toda a confiança. As suas linhas clássicas com pormenores cromados, combinadas com elementos modernos, conferem-lhe um estilo próprio que não deixará ninguém indiferente.

Muito baixo o peso desta scooter asiática que replica a icónica Vespa, assim como o valor de compra – o segundo mais baixo das 15 scooter em análise. “Aproveita a cidade”, diz e bem o fabricante.

Motor: Monocilindrico 4T, arrefecimento por ar

Cilindrada: 125 cm³

Potência:  6 kW (8.1 CV) às 7500 rpm

Peso: 112 kg

Preço: a partir de 1.880€

Yamaha X-Max 125

Ligeiramente acima neste ranking está a Yamaha -Max na sétima posição. A X-MAX 125 é o nosso derradeiro veículo de utilização urbana para o dia-a-dia. O seu potente e económico motor a 4 tempos de 125 cc proporciona uma performance excelente, com baixos custos de funcionamento e a suspensão dianteira tipo moto assegura um conforto excecional.

A X-Max é uma maxi-scooter desportiva, não sendo por isso de estranhar os seus 175 kg – até porque conta com um motor muito potente com 4 válvulas e 14,09 CV… É portanto, a mais atrevida de todas!

Motor: Monocilindrico 4T, 4 válvulas, arrefecimento líquido

Cilindrada: 124 cm³

Potência: 10.5 kW (14,09 CV) às 8.750 rpm

Peso: 175 kg

Preço: a partir de 4.995€

Keeway City Blade 125

Com um perfil bem composto, simples mas honesto e uma frente quase toda ela vidrada, é uma boa parceira para enfrentar o trânsito nas cidades e muitos dizem que não a trocam por nada. O amortecimento está a cargo de uma forquilha convencional, a altura do assento é de apenas 760 mm e conta com um peso em ordem de marcha de 128 kg, conseguindo uma excelente combinação com o motor monocilíndrico simples, com apenas 2 válvulas arrefecido por ar, mas muito eficiente.

A Keeway City Blade 125 EXT está bem colocada nas preferências nacionais, à frente da UM Chill 125 e Orbit III 125.

Motor: Monocilindrico 4T, 2 válvulas, arrefecimento por ar

Cilindrada: 125 cm³

Potência: 6,7 kW (8,9 CV) às 7.500 rpm

Peso: 128 kg

Preço: a partir de 1.999€

Vespa Primavera i-get 125 ABS

A Vespa Primavera celebra os seus primeiros fabulosos 50 anos. A primeira versão do que viria a ser um clássico intemporal chegou ao mercado em 1968 e foi uma revolução: pequena, ágil, movida por um motor brilhante, a Primavera estendeu as suas asas ao longo de várias gerações e permaneceu em produção até 1982, tornando-se um modelo lendário mas também um dos mais retumbantes sucessos comerciais na história da Vespa. Em 2018 a Vespa Primavera foi melhorada com uma série de actualizações que aumentaram o seu conforto, segurança e que a rejuvenesceram em termos de estilo. Mais recentemente recebeu o novo motor i-get que partilha com alguns modelos da Piaggio.

Apesar do seu preço elevado os portugueses adoram a Vespa e por isso ocupa o oitavo lugar entre as scooters de 125cc mais vendidas.

Motor: Monocilindrico 4T, 3 válvulas, arrefecimento por ar

Cilindrada: 124,5 cm³

Potência: 7.9 kW (10,7 CV) às 7.700 rpm

Peso: 125 kg

Preço: a partir de 4.600€

Keeway Zahara 125

Outra scooter de perfil retro é a Keeway Zahara 125 que promete ficar bem presente nas nossas cidades, ou não fosse o seu design urbano e bem cosmopolita. Compacta com uma condução ágil e muito ligeira, vem equipada com um motor económico a 4 tempos,  acabamentos cuidados e com capacidade para um capacete jet debaixo do banco. A plataforma plana para os pés e a altura do assento (725mm altura a partir do solo), torna-a apetecível também para o público feminino.

De destacar ainda a particularidade dos pousa-pés para passageiro que, quando não estão a ser usados, recolhem para o interior, dando-lhe um aspeto mais ‘clean’. É a quarta scooter asiática preferida.

Motor: Monocilindrico 4T, 2 válvulas, arrefecimento por ar

Cilindrada: 125 cm³

Potência:  6.0 kW (8,05 CV) às 7.500 rpm

Peso: 112 kg

Preço: 1.775€

Piaggio Medley i-get 125

A Piaggio Medley é a scooter de 125cc preferida em Portugal. Combina a agilidade de um veículo metropolitano com o dinamismo de uma roda alta e o conforto e capacidade de carga de uma grande scooter GT. O seu recente novo design coloca o acento na desportividade: a parte da frente foi completamente redesenhada, tal como o guiador, que alberga o novo farol dianteiro LED completo e uma novíssima instrumentação digital LCD.

A Piaggio Medley apresenta também a última evolução da família de motores Piaggio i-get em cilindradas de 125 e 150 cc. A qualidade e acabamento de topo em conjunto, assim como as suas linhas curvas colocam-na na sexta posição em 2020.

Motor: Monocilindrico 4T, 4 válvulas, arrefecimento líquido

Cilindrada: 125 cm³

Potência: 11 kW (14,7 CV) às 9.000 rpm

Peso: n.d.

Preço: a partir de 3.300€

Honda NSC Vision 110

Com espelhos retrovisores estreitos montados numa carroçaria mais elegante, a Vision 110 é muito fácil de conduzir no trânsito intenso da cidade. Um banco mais baixo e mais espaço para as pernas e para os pés que foram a última aletração, incentivam um estilo de condução mais descontraído nesta muito prática e ágil scooter.

A Honda Vision 110 ocupa quinta posição no ranking de preferências, sobretudo devido ao seu sentido prático e preço muito em conta. A pequena e prática Honda Vision custa menos 1000 euros que a italiana Piaggio Medley, e mesmo com apenas 108cc no motor de 2 válvulas refrigerado a ar agrada bastante. Um caso para dizer: o tamanho não é tudo!

Motor: Monocilindrico 4T, 2 válvulas, arrefecimento por ar

Cilindrada: 108 cm³

Potência: 6,5 kW (9 cv) às 7.500 rpm

Peso: 102 kg

Preço: a partir de 2.300€

SYM Jet 14 125

Totalmente focada na facilidade de condução, esta scooter é leve, compacta e confortável. A condução é descontraída, graças à ergonomia do assento, assim como à sua excelente manobrabilidade. Desfrute das suas escapadinhas e, principalmente, dos engarrafamentos de trânsito que vai deixar para trás.

A SYM Jet tem um perfil dinâmico, otimos acabamentos e um motor sofisticado com arrefecimento líquido que chega aos 1,3 cavalos de potência. Com um preço muito bom, entrou de rompante em 2020 no Top 5 das scooters de 125 mais vendidas em Portugal.

Motor: Monocilindrico 4T, 2 válvulas, arrefecimento líquido

Cilindrada: 125 cm³

Potência: 8,3 kW (11,3 CV) às 8.500

Peso: 128 kg

Preço: a partir de 2.345€*

Preço de campanha até 31 de outubro de 2020

Honda Forza 125

A segunda geração da Forza 125 foi especialmente trabalhada em dois aspectos: num novo motor com uma cabeça de quatro válvulas de baixas emissões consmos e num chassis muito mais leve, destinado a dar o melhor de si nos percursos urbanos.

Desenvolvimentos especialmente adaptados às necessidades da utilização urbana, como uma boa aceleração a partir do ponto de paragem e um desenvolvimento final suficientemente longo para poder funcionar com dignidade em estradas circulares. A roda da frente tem 15 polegadas e a roda traseira 14 polegadas. Os novos pneus Michelin City Grip são de série.

O peso total do conjunto é de 162 kg com líquidos e a distância entre o assento e o solo é de 780 mm. Ideal para pessoas de maior estatura e para deslocações extra-urbanas, tem subido posições ultimamente e ao cabo do terceiro trimestre a Forza 125 entra no pódio das Scooters 125 mais vendidas.

Motor: Monocilindrico 4T, 4 válvulas, arrefecimento líquido

Cilindrada: 124,9 cm³

Potência: 11 kW (15 cv) às 8.750 rpm

Peso: 159 kg

Preço: a partir de 5.075€

Yamaha NMax 125

A segunda mais famosa scooter é a NMax, a preferida de muitos utilizadores em Portugal. Uma scooter compacta e de atitude, concebida para deslocações urbanas rápidas, alia um prazer de condução superior a um moderno motor de 4 válvulas – Blue Core a 4 tempos de 125 cc – que oferece uma forte aceleração com um baixo consumo de combustível. Scooter citadina de nível de entrada na classe 125 cc e elevada qualidade conjuga uma performance dinâmica e uma economia excelente com um estilo dinâmico e um carácter prático adequado ao dia a dia.

A NMax 125 está claramente à frente da maioria das Scooters 125 e tem uma única rival no mercado: a PCX 125 da Honda. Uma e outra são como água e óleo… não se misturam!

Motor: Monocilindrico 4T, 4 válvulas, arrefecimento líquido

Cilindrada: 125 cm³

Potência: 9.0 kW (12,07 CV) às 7.500 rpm

Peso: 127 kg

Preço: a partir de 2.995€

Honda PCX 125

E chegamos ao topo do pódio das scooters 125, preenchido nos últimos anos por esta magnífica PCX. A oitavo de litro da Honda não é a mais rápida – já a conduzimos e sabemos isso! – nem a mais potente, mas é a mais equilibrada, e também a mais económica. A PCX sempre foi reconhecida pela economia e pelo aspeto prático, mas agora, com um visual retocado e mais desportivo, tornou-se também mais atrativa. O espaço debaixo do banco é agora maior, suficiente para um capacete integral, enquanto os faróis LED e o novo ecrã LCD contribuem para um estilo mais moderno.

E querem saber um ‘segredo’ para os menos atentos: a Honda PCX 125 é não só a Scooter mais vendida como o motociclo em Portugal mais vendido em termos globais. Fantástico… merece mesmo a Medalha d’Ouro!

Motor: Monocilindrico 4T, 2 válvulas, arrefecimento líquido

Cilindrada: 125 cm³

Potência: 9 kW (12,4 CV) às 8.500 rpm

Peso: 130 kg

Preço: a partir de 3.315€

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x