EICMA 2021, Yamaha: MT-10 SP 2022, a cereja no topo do bolo!

By on 23 Novembro, 2021

Há pouco mais de uma semana, a Yamaha revelou a MT-10 de 2022, resultante de mudanças no design da moto, mas  também em mudanças em termos de desempenho, tanto em termos de motor, quanto da eletrónica. Mas, como nos anos anteriores, esta Hyper-Naked MT-10 não estará sozinha, sendo acompanhada pela versão SP, mais exclusiva e mais bem equipada, contando com o sofisticado sistema de suspensão Semi-activa da Ohlins.

Esta nova versão da MT-10 SP, beneficia assim de todas as melhorias introduzidas no modelo básico que já detalhamos no artigo que lhe dedicamos, seja em termos de estética, peças da ciclística e motor. Evolução estética, farol duplo LED com assinatura de luz superior, posição de condução revista, 165,9 cv @ 11.500 rpm e 112 Nm @ 9.000 rpm, binário mais acentuado em toda a faixa de 4.000 a 8.000 rpm … são, portanto, muitas das modificações feitas para 2022.

Uma das principais atrações da gama MT da Yamaha é que oferece a mais ampla gama de modelos Hyper Naked. Com acabamentos em cores e gráficos exclusivos, os modelos SP representam o pináculo do desenvolvimento da máquina, e apresentam as especificações mais sofisticadas.

A suspensão semi-ativa Öhlins

A nova MT-10 SP foi projetada para motociclistas que querem a Hyper Naked mais exclusiva, dotada com a mais alta tecnologia de ciclística num modelo de produção. Esta moto é uma das primeiras no mundo, a ser equipada com o mais recente sistema de suspensão controlado eletronicamente na dianteira e na traseira. Embora a Yamaha R1M tenha um sistema semelhante, a MT-10 SP foi equipada com o mais atual sistema de suspensão controlado eletronicamente da Öhlins. que utiliza a nova e exclusiva tecnologia de amortecimento de válvula. Esta tecnologia de ponta, oferece um maior leque de escolhas no ajuste de amortecimento e maior nível de resposta. O motociclista pode fazer alterações de suspensão acedendo ao menu ERS nas definições do TRC. O menu ERS oferece uma escolha de três modos de amortecimento semi-ativos (A-1, A-2 & A-3) bem como três configurações manuais (M-1, M-2 & M-3).

Quando qualquer um dos modos automáticos está selecionado, o sistema ajusta o amortecimento de recuperação e compressão para corresponder às condições de funcionamento atuais, e são constantemente feitas alterações para garantir que as definições mais adequadas estão sempre em jogo.

O modo manual permite um ajuste eletrónico preciso da compressão e da recuperação do amortecedor tanto para a suspensão dianteira como para o amortecedor traseiro. Através do menu YRC, a suspensão pode ser adaptada de acordo com o estilo exato do motociclista ou ambiente de condução necessário.  Exitem três modos de amortecimento semi-ativos: O A-1 é um modo desportivo que foi projetado para dar confiança e feedback sobre curvas apertadas e estradas secundárias, com um alto grau de sensibilidade frontal e traseiro, e boa estabilidade durante a aceleração e travagem; modo A-2 é o mais adequado para andar de forma desportiva numa autoestrada; e por último o modo A-3 foi definido para condições de passeio, com ênfase no conforto e estabilidade.

A nova MT-10 SP também está equipada com uma carenagem exclusiva de 3 peças que dá um visual mais agressivo a este modelo topo de gama, protegendo também o radiador do óleo. Os tubos de travão com malha de aço são um equipamento de origem, para conferir um alto nível de sensibilidade na manete, oferecendo também um alto nível de desempenho em eventos de pista, onde o uso intensivo dos travões resulta em temperaturas extremamente elevadas.

Todos os modelos SP têm cores e gráficos exclusivos, e a nova MT-10 SP tem um acabamento Icon Performance inspirado no esquema usado na moto de pista e de corrida R1M Supersport, líder da sua classe.

As entregas aos concessionários na Europa começarão em meados de 2022, não havendo ainda preço definido.

Ficha técnica

Tipo de motor: quatro cilindros, árvore de cames dupla à cabeça com refrigeração líquida, Euro 5

Cilindrada: 998 cc

Potência máxima: 122,0 kW (165,9 cv) a 11.500 rpm

Binário máximo: 112,0 Nm (11,4 kg-m) a 9.000 rpm

Embraiagem: Banho de óleo, Multi-disco

Ignição: ignição eletrónica (TCI)

Transmissão: malha constante, seis velocidades

Comando final: Corrente

Suspensão dianteira: garfo invertido Öhlins eletronicamente ajustável, curso de 120 mm

Suspensão traseira: braço oscilante de alumínio, elos de suspensão, amortecedor Öhlins ajustável eletronicamente, curso de 120 mm

Travão dianteiro: disco duplo Ø 320mm controlado hidraulicamente, pinças radiais de 4 pistãos, cilindro mestre radial Brembo

Travão traseiro: Disco único controlado hidraulicamente Ø 220mm

Pneu dianteiro: 120 / 70ZR17M / C (58 W) Tubeless, Bridgestone S22

Pneu traseiro: 190 / 55ZR17M / C (75 W) Tubeless, Bridgestone S22

Altura do assento: 835 mm

Peso total: 214 kg

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments