Ensaio SYM Maxsym TL 500 – Uma sedutora maxi!

By on 29 Julho, 2020

NO FINAL DO ANO PASSADO A SYM REVELOU A MAXSYM TL 500 E ENRIQUECEU A SUA GAMA COM A PRIMEIRA MAXI-SCOOTER DE DOIS CILINDROS DA MARCA. DESENVOLVIDA COM A MAIOR SERIEDADE, A RIVAL DIRETA DA YAMAHA T-MAX TEM NO PREÇO UM DOS FATORES DE SEDUÇÃO. MAS SERÁ SÓ ISTO?

Ensaio realizado por Ricardo Ferreira, equipado com blusão e luvas Clover e capacete Givi, cedidos por MOTONI.

FOTOS DE RUI ELIAS

A Maxsym TL é o primeiro modelo da marca da ilha de Taiwan a disponibilizar um motor bicilindrico de alto rendimento, com a mesma arquitetura das concorrentes Yamaha TMax 560, Kymco AK 550 e BMW C650 Sport. Mas, a quem se destina? É dirigida a um tipo de utilizador já experiente, aquela pessoa que quer subir de cilindrada, ou que até já teve uma moto maior, mas que agora procura mais conforto.

Será esse o seu caso? Vamos a uma pequena reflexão sobre o mundo das scooters, falar de preços, mercado, etc. 

Quando nos referimos a uma scooter pensamos numa pequena moto de cidade,  leve, ágil, pratica e facil de usar no transito urbano, onde a potencia e a velocidade não são muito importantes; importante sim é conseguir manobrar entre carros, fazer curvas apertadas,  travar de urgencia e ter fácil manuseamento para estacionar no mais pequeno espaço.

Sucede que a MaxSym TL não é essa pequena scooter ‘fura vidas’ de cidade, mas sim uma das maiores scooters que pode comprar em Portugal! Maior em cilindrada, no motor de 465cc, maior na capacidade de aceleração, e do lado negativo – maior no peso, o que significa menor maneabilidade e maior preço que outras scooters mais pequenas, tais como a Jet14 125 e CruiSym 300.

DESENHO E CONSTRUÇÃO

A Sym MaxsymTL é inegavelmente inspirada pela Yamaha TMax nas suas linhas, mas difere do ponto de vista técnico. Na linha, é óbvio que os designers foram inspirados pela maxi-scooter desportiva japonesa. Na verdade, é uma “cópia” de sucesso, com uma linha gratificante e formas salientes que sugerem grande desportividade. Só podemos lamentar que os designers não fossem mais além, ousando arriscar mais no design.

Na vertente técnica, a MaxsymTL inaugura um novo conjunto mecânico cheio de promessas: dois cilindros em linha fortemente inclinado para a frente num ângulo a 360 graus (idem TMAX), dupla árvore de cames, 8 válvulas (4 por cilindro), 465 cm3 e um consequente balanceiro de equilíbrio (quase tão imponente quanto uma biela) que está dentro do cárter do motor em posição oposta às peças móveis (bielas e pistões). Uma solução complexa e cara em termos de fabrico, que visa eliminar vibrações a este motor montado numa posição alongada e rígida no quadro. Em suma, no lado do motor, a Sym colocou ‘toda a carne no assador’!

Em termos de valores anunciados, a Sym MaxsymTL permanece ligeiramente fora da concorrência: 30 kw a 6.750 rpm ou 40,7 cavalos de potência. O binário chega a 42,5 Nm a 6.250 rpm. O interessante é o desejo de se focar no torque, como evidenciado pelas probabilidades internas com um curso aumentada (motor de curso longo: 65 mm x 70 mm. Isso é bom para a cidade, mas melhor ainda para zonas periféricas dos aglomerados urbanos.

A parte ciclística também é bastante original e indica uma tomada de risco pelo menos igual à do motor. Isso é evidenciado pela cinemática da suspensão traseira, com uma vara impressionante.

CICLÍSTICA LONGA E EQUILIBRADA

Agora, vejamos como encaixa tudo isto no conjunto. O motor, está alojado sobre um quadro tubular em treliça, e a transmissão à roda traseira é feita por corrente – e não por correia como vem sendo hábito. Isto, reflete-se numa aceleração mais impactante e direta a partir do acelerador, em tudo semelhante a uma moto, embora com mais vibrações que na TMax com correia elástica na transmissão secundária. 

Com 223 kg e uma distribuição do peso de 50 / 50 em cada roda, a par com uma distância entre eixos generosa de 1543 mm, a Maxsym é muito estável, mas também ágil.

O requintado “choque traseiro mono com suspensão multi-link”, justifica simplesmente a incrível capacidade de absorver o impacto da superfície da estrada, e reage com delicadeza. Esta arquitetura permite-nos sentir cada centímetro de reação à estrada.

A forquilha telescópica invertida com bainhas de 41 mm e dupla braçadeira tripla, aumenta a rigidez do sistema de suspensão, assim como a estabilidade. Este conjunto de suspensões consegue manter o conforto e estabilidade em mau piso, absorvendo bem irregularidades, inclusivamente num andamento mais desportivo onde a Maxsym nos incute confiança em curva com o inegável contributo dos pneus Maxxis nas rodas de 15 polegadas.

A travagem é assegurada à frente por dois imponentes discos de 275 mm com pinças radiais de 4 êmbolos, e por um único disco atrás do mesmo diâmetro, contando com tubos de malha de aço para uma maior fluência. O sistema de ABS deposita grande parte da sua ação na roda traseira, sendo muito progressivo após o acionamento da manete.

PROTEÇÃO, CONFORTO E EQUIPAMENTO

A posição de condução da Maxsym TL é bastante relaxante e com boa proteção aerodinâmica. O vidro dianteiro é regulável em altura mas requer ferramentas para o fazer, o assento é relativamente baixo e a plataforma para os pés, suficientemente confortável.

Para facilitar o estacionamento, o descanso lateral aciona automaticamente o travão de parque, de modo a podermos deixar a Maxsym parada em segurança inclusive numa descida.

Em termos de arrumação existem na frente dois espaços para arrumar pequenos objectos e um deles com uma tomada USB; sob o assento cabe um capacete integral ou dois jets.

O painel de instrumentos é composto por um ecrã TFT de 4,5 polegadas a cores com informação em várias páginas que percorremos com um botão no punho esquerdo. Dá-nos o consumo instantâneo e no LCD a cores temos o velocímetro, odômetro e indicador de combustível. E a propósito de consumos, saiba que conseguimos uma valor médio na casa dos 4,2 litros.

No equipamento opcional existe o Kit Top Case (mala de 39 litros, encosto para o passageiro e suporte) PVP 389€, a capa de proteção para a moto e proteções de mãos em neopreno PVP 39€.

E por fim, uma curiosidade na Maxsym TL: No conjunto de luzes LED destaca-se na luz traseira o LED OPTICAL FILM que transmite um curiosa impressão de fogo, bem ao jeito da famosa saga ‘Ghost Rider”. 

EM CONDUÇÃO

Escolhendo um motor de 465 cc para situar a Maxsym TL, a meio caminho entre as 300/400 e maiores 600, a SYM tomou a opção certa para não só ter um preço atrativo, como performances, que sem serem ‘explosivas’, se revelam mais que suficientes para o uso em cidade, em estrada e auto-estrada.

Esta maxi-scooter tem uma relativa manobralidade em trajetos urbanos, não é difícil de estacionar, e proporciona emoções intensas fora da cidade, sobretudo pela capacidade de aceleração do seu motor de dois cilindros. Na verdade, a Maxsym TL está mais próxima do comportamento de uma moto que de uma scooter. Além disso, tem equipamento adequado para se colar bem ao asfalto numa estrada montanhosa e revela boas recuperações em estrada e auto-estrada… E, não menos importante, é uma anti-TMax na relação qualidade/preço.

PREÇO E CONCORRENTES

Esta proposta da marca de Taiwan, destaca-se desde cedo por uma enorme vantagem: o seu preço de 8.499 euros! Um valor bastante concorrencial, se comparado com os mais de 11.000 que temos de pagar por uma Yamaha ou BMW de equivalente segmento. A garantia do fabricante para a Maxsym TL 500 é de 3 anos, mais um ano que toda a restante gama de ciclomotores e scooters da marca de Taiwan.

Quanto ao preço. a MaxSym é de longe a maxi-scooter menos penalizante ao bolso. A TL 500 custa menos 3.350€ do que a BMW e menos 3.061€ face à TMax, sendo ainda mais barata 1.750€ do que a Kymco AK500.

Comparando-a com a suas diretas concorrente (ver quadro acima), a Tmax é a mais leve, pesa 218 quilos portanto uma diferença de apenas 5 kg para os 223 quilos da SYM, (Entoação): Insignificativo! A precisar de dieta estão a BMW C650 Sport, a mais pesada com os seus 249 quilos, tal como a Kymco com os seus 230 quilos.

Já em termos de potência, a BMW é de longe a mais poderosa com os seus 60cv e a MaxSym TL é a menos potente das 4 maxis com apenas 40,8 CV… Tem no entanto um preço… arrasador!

GOSTÁMOS

Linha desportiva

Proteção aerodinâmica

Capacidade de aceleração do motor

Comportamento em curva

Lugar do passageiro

Preço atrativo

A MELHORAR

Consumos ligeiramente altos

Acabamentos

Vibrações

Concorrentes

YAMAHA TMAX 560 – 11.560 € / 562cc / 47,5 cv / 218 kg

BMW C650 SPORT – 11.859 € / 647cc / 48 cv / 249 kg

KYMCO AK 550 – 10.249 € / 550cc / 53 cv / 230 kg

FICHA TÉCNICA

Motor tipo          Bicilindrico, 4 tempos , refrigeração líquida, DOHC e 4 válvulas por cilindro

Cilindrada           465 cm3

Potência              30 kW (40,8 ch) às 6.750 tr/min

Binário  42,5 Nm às 6.250 tr/min

Alimentação      Injecção electrónica

Arranque            Eléctrico

Transmissão      Corrente

Quadro Tubular em aço

Suspensão dianteira       Invertida de 41mm

Suspensão traseira         Mono-amortecedor multi-link com ajuste de pré-carga

Tipo de travões Disco com ABS

Travão dianteiro              Duplo disco de 275 mm

Travão traseiro Disco de 275 mm

Pneu dianteiro  120/70 x 15

Pneu traseiro    160/60 x15

Peso      223 kg

Altura do assento            795 mm

Comprimento   Largura 2215 mm   800 mm

Distancia entre eixos     1543 mm

Capacidade do depósito               12,5 litros

cores     Branco, preto e azul

Norma  Euro4

Deixe um comentário

Seja o primeiro a comentar!