Teste Piaggio Beverly 400 – Potente elegância urbana

By on 27 Outubro, 2021

O nome Beverly é um marco no mundo das scooter e claro está na mobilidade urbana. Passados vinte anos a Piaggio apresenta a nova Beverly com uma estética redesenhada, motores de última geração, dotada de soluções tecnológicas de forma a competir no mercado das scooters citadinas mas com pretensões de ir um pouco mais além.

Por Bruno Baptista

As suas linhas estão mais atuais, dinâmicas e elegantes mas mantém alguns traços bem vincados da marca, caso da grelha frontal em forma de  “gravata”.  É na secção traseira que mais sobressaem os pormenores de estilo, o escape de duas saídas está perfeitamente integrado no conjunto e tem uma boa sonoridade, e a colocação do suporte de matrícula na roda foi muito bem conseguida, vincando alguma desportividade e dinamismo.

O guiador foi também ele redesenhado, e apresenta agora um novo painel de instrumentos LCD 5.5”, de boa leitura e com toda a informação essencial, sendo necessário a utilização de uma app dedicada da marca, Piaggio MIA, para acedermos a mais parâmetros de utilização. Os comutadores foram igualmente redesenhados e a sua colocação é intuitiva. O farol full LED também faz parte do guiador e oferece uma boa visibilidade nas deslocações citadinas, contudo para trajetos noturnos extra urbanos a potência do feixe de luz é limitada.. 

Na secção frontal encontramos ainda um compartimento para guardar pequenos objetos com uma entrada USB para carregamento de eletrônicos, tem ainda um gancho retrátil para bagagem.

 Com uma boa praticabilidade, temos um generoso compartimento sob o assento equipado com luz de cortesia, que permite guardar dois capacetes tipo jet. O sistema Keyless, revela-se sempre muito útil, neste caso não é diferente e surpreende com a função “Bike Finder” que permite localizar a Beverly ao ativar no comando a buzina e os piscas.

A qualidade de vida a bordo é de muito bom nível, e a proteção aerodinâmica só fica comprometida para os condutores de estatura elevada uma vez que o defletor frontal não é ajustável.

Com uma postura de condução vertical, é na manobrabilidade que a Beverly dá cartas, com um bom diâmetro de viragem o condutor sente sempre confiança nas manobras mais apertadas. O assento com uma altura ao solo de 795mm,  tem dois níveis para condutor e passageiro é muito ergonômico e talvez seja o mais confortável do segmento. 

O quadro de duplo berço tubular em aço, monta na frente forquilha telescópica hidráulica, e na traseira duplo amortecedor ajustável em pré carga . 

Durante o nosso ensaio revelou-se confortável no rolar mas algo instável quando lhe era exigido uma condução mais desportiva, transferindo para o guiador e para todo o conjunto oscilações e vibrações não desejáveis. A verdade é que é muito fácil andar a velocidades proibidas, muito por culpa da unidade motriz que equipa este conjunto. 

O motor, um monocilíndrico de 399 cc a 4 tempos, faz parte da família HPE- High Performance Engine  e debita 35,4 cv @7500 rpm e um binário máximo de 37,7 nm @5500 rpm já Euro 5,  é um poço de força e entrega a potência de uma forma rápida e despachada mesmo com dois ocupantes um aumento substancial em relação à versão anterior.Com um trabalhar silencioso e com consumos frugais, é nele que reside o grande trunfo da Piaggio para apresentar a Beverly como uma scooter com valências para sair do meio urbano.

O depósito de 12L, aliado ao baixo consumo garante uma autonomia superior a 300 klm.

Para fazer parar os 195 kg de peso do conjunto, a Piaggio equipou a Beverly 400 com um disco semi-flutuante de 300mm na frente em conjunto com uma jante de 16”, e um disco de 240mm na traseira montado numa jante de 14”,  equipam pneumaticos 120/70 e 150/70 respectivamente que contribuem para uma travagem potente e doseável. 

 A segurança ativa conta com controlo de tração ASR e ABS de dois canais. 

Vocacionada para um leque alargado de utilizadores dada a sua polivalência e linhas modernas, Piaggio Beverly 400 é perfeitamente capaz de fazer tiradas grandes mas é na cidade que deixa a sua marca.

Está disponível em três cores: Branco Lua Brilhante; Azul Oxygen e Cinzento Cloud

Valor anunciado: 7.128€ (Chave na mão)

 

Gostámos:

  • Conforto do assento
  • Motor responsivo
  • Manobrabilidade

A melhorar

  • Vibração no guiador
  • Instabilidade em piso irregular

 

Ficha técnica

Motor

Tipo de motorMonocilíndrico, 4 tempos, 4 válvulas
Cilindrada399 cc
Potência35 cv (26 kW) @ 7500 rpm
Binário37,7 Nm @ 5500 rpm
TransmissãoContínua variável CVT

Ciclística

QuadroDuplo berço tubular em aço
Suspensão dianteira / traseiraForquilha telescópica hidráulica / Duplo amortecedor hidráulico ajustável em pré carga
Travagem dianteira / traseiraØ 300 mm disc / Ø 240 mm disc
PneusTubeless 120/70 16’’ ; Tubeless 150/70 14’’

Dimensões e Preço

Altura do assento795 mm
Distância entre eixos1550mm
Capacidade do depósito12 L
Peso195 Kg
PreçoDesde 7,128 €

 

Concorrentes:

  • Honda Forza 350

6.050€ ; 29,2Cv ; 184 Kg
  • Yamaha XMax 300

6.195€ ; 28 Cv ; 180 Kg
  • Sym Maxsym 400

6.999€ ; 34 Cv ; 215 Kg
  • Kymco Xciting S 400 i

6.899€ ; 36Cv ; 209 Kg
  • BMW C 400 X

Desde 6.826€ ; 34 Cv ; 199 Kg

 

Galeria:

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments