10 conselhos para circular seguro em cidade

By on 15 Julho, 2021

Conduzir de moto em cidade, manda a prudência ter algumas precauções extra, desde logo porque temos muito mais carros ao nosso redor, porque temos muito mais paragens inesperadas e cruzamento. Para vencer essas ‘armadilhas’ urbanas em segurança, aqui deixamos conselhos úteis.

Em sequência do nosso artigo ‘A interação motociclista-automobilista, uma relação difícil’, este artigo aborda espeficicamente os cuidados a ter no trânsito urbano. Sabendo nós por experiência própria, que a coexistência entre carros e motos nem sempre é pacífica, há características próprias dos veículos que pouco ajudam a esse entendimento. 

Por exemplo, a maior agilidade das motos pode aumentar o desespero (irritação) dos automobilistas nas filas de trânsito; além disso, essa facilidade de locomoção pode também nos tornar invisíveis para os automobilista que não olham antes de manobrar (que não são todos, mas existem). 

Por outro lado, ao contrário dos carros, a silhueta estreita da moto, mesmo com os faróis acesos que agora são obrigatórios, pode dificultar a visualização de dentro de um carro, cheio de pontos cegos… No entanto, há medida a tomar para tornar a nossa circulação em cidade mais segura, evitando assim as situações de risco mais comuns. 

Aqui deixamos 10 “conselhos” para tornar a sua condução mais segura em cidade.

1. Não passe entre carros em movimento

Andar de moto torna-nos muito mais ágeis do que o trânsito, mas é conveniente saber aproveitar essa vantagem, sem abusar dela. Com o trânsito parado, permite-nos deslocar-nos entre os carros até ao semáforo, ou nas proximidades, mas quando os carros estão em movimento, ficamos expostos a não sermos vistos quando têm de mudar de faixa ou virar.

2. Faça-se ver com luzes e cores

Se a sua moto de origem não acende os médios ou a luz “diurna” (o que praticamente já acontece em quase todos os modelos novos), antes de arrancar certifique-se primeiro que estão acessos. Além disso, ao comprar um blusão ou capacete, escolha preferencialmente cores visíveis e marcantes: o tamanho de uma moto é menor que os carros, e para se tornar mais visível as luzes acessas e cores vão ajudá-lo a ser visto.

3. Prioridade de passagem

A realidade demonstra que muitos condutores de automóveis e veículos pesados, nem sempre respeitam a prioridade de passagem de uma moto. Numa rotunda, num Stop e até num semáforo, muitos pensam que vimos ainda longe e decidem passar, sem sequer refletirem sobre a maior velocidade da moto. Assim, desconfie, nunca tome como certo, com um carro num cruzamento que tem o caminho livre: cuidado, reduza o acelerador e ponha o dedo na manete de travão, pronto a defender-se de um possível incidente.

4. Os semáforos não são uma grelha de partida

Nem a rua é um circuito, nem os semáforos são o sinal de partida para Grande Prémio. Quando o semáforo está para passar para verde, não precisamos de ser os mais rápidos a partir. O mais importante é certificarmo-nos, antes do fazer, de que nenhum aventureiro está a “passar” com o próprio semáforo vermelho.

5. Mantenha uma distância de segurança

A pressa é muitas vezes o nosso principal inimigo. Um erro muito típico dos iniciantes , ou daqueles que estão mais acostumados a conduzir de carro, é não deixar distância suficiente para o veículo à nossa frente. Num carro, travar junto ao limite pode nos parar a tempo e, se essa ação for suave, pode não ter nenhuma consequência. De moto, se o carro da frente travar repentinamente, é muito mais difícil evitar a colisão. A melhor solução é deixar mais espaço para o veículo da frente, o que nos permite ter uma visão antecipada e defendermo-nos melhor de uma colisão iminente. 

6. Cuidado ao conduzir entre carros parados

Não circular entre carros em movimento é uma precaução necessária, mas também é necessário fazê-lo com cuidado, devagar e olhando para os ocupantes, entre os carros parados. Assim, podemos antecipar se alguém vai sair, se vai abrir uma porta sem olhar (infelizmente o normal) e conseguirmos travar a tempo. Com mais motos na estrada (e também bicicletas) um dia isto pode deixar de ser um problema, mas esse dia ainda parece muito longe.

7. Mover-se com cuidado entre carros

Além de ter cuidado se alguém sair (e abrir a porta, o que não podíamos evitar), devemos ter cuidado ao passar entre os carros e evitar tocá-los, evitando chatices desnecessárias. Algumas motos têm o guiador ou os espelhos na altura dos espelhos dos carros, e não podemos pedir que nos respeitem mais se os tocamos … Nem devemos nos apoiar ou tocar num carro ao virar.

8. Avise sobre os seus movimentos

Quando você for fazer uma curva, uma ultrapassagem ou fazer uma manobra de estacionamento, sinalize bem e certifique-se de que é visto. Para isso, é melhor reduzir atempadamente a velocidade, tocar no travão várias vezes, nunca esquecendo de ligar o pisca, virar e olhar pelos espelhos para ficar com a certeza que está a ser visto (e compreendido) na sua ação. Por outro lado, se vir alguém dentro de um carro ao telemóvel, o melhor será deixá-lo rapidamente para trás…

9. Não invada a faixa contrária

Em avenidas ou ruas com várias faixas, a tentação de mudar para a faixa oposta para chegar ao semáforo é grande. Mas o risco também é muito grande: além da possível infração (grave) se um agente o vir, você pode repentinamente se encontrar na frente do trânsito (muito perigoso). Além disso, de vez em quando, alguém no engarrafamento (carro ou moto) pode decidir dar a volta incorretamente.

10. Cuidado com os pontos cegos

Na cidade e na via rápida, evite conduzir em pontos cegos com o carro mais próximo. O condutor de um automóvel, apesar dos retrovisores (que nem sempre estão bem colocados ou mostram tudo o que é necessário), tem várias zonas “cegas” nas quais não consegue ver nada: basicamente as zonas dos três quartos traseiros. Evite ficar nessa posição (atrás de um carro, perto e ao lado) porque se ele quiser virar ou mudar de faixa, mesmo que olhe, não o verá.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments