Ducati Scrambler 350 da November Customs

By on 28 Fevereiro, 2019

Já aqui falámos há semanas das criações da November Customs de Inglaterra, uma operação de marido e mulher que opera dum pequeno contentor instalado no jardim de casa. Como a maioria das casas especializadas em personalizações, o casal tem uma ou duas motos à espera de atenção a um canto. Geralmente são projetos pessoais que só recebem atenção durante tempos mortos entre trabalhos “reais”. E essa é um bocado a história desta encantadora Ducati Scrambler 350 de 1974.

Paul e Linda viram pela primeira vez a Ducati quando uma loja próxima a importou de Espanha. Eles literalmente compraram-na quando estava a ser descarregada, com a intenção de modifica-la. Mas uma vez legalizada no Reino Unido, acabou por ser deixada a um canto.

“Ficou na parte de trás do barracão por alguns anos à espera de ser trabalhada“, diz Paul. “Bem, quando digo barracão, quero dizer a sala de estar ou a sala de jantar… Não temos muito espaço para as nossas motos, por isso temos que movê-las dependendo das necessidades! “

Quando finalmente encontraram tempo para ligar à Ducati, acabou por demorar apenas alguns meses a ser concluída. Era para ser um simples trabalho para descontrair, mas foi transformada em algo mais…

Para começar, Paul e Linda alteraram a parte traseira da estrutura para endireitar a cauda levantada da Scrambler. De seguida, modificaram o guarda-lamas traseiro original para o fazer sentar-se mais abaixo na estrutura e encaixar melhor a roda traseira.

A moldura do assento estava enferrujada demais para ser útil, por isso um novo foi fabricado, e a espuma coberta de couro preto. De seguida, levantaram os apoios traseiros do tanque de combustível para a horizontal, para que tudo ficasse nivelado.

A caixa de ar foi descartada, bem como rebarbas desnecessárias do quadro. A November fez um cone de alumínio para o carburador respirar, cobrindo-o com uma rede para manter detritos fora. O sistema de escape consiste dos tubos originais, limpos e embrulhados em pano, com um silenciador do mercado paralelo.

Como se pode ver, o motor também foi tratado com uma limpeza suprema. Paul e Linda desmontarar-no, limparam os cárteres com jato de água e depois reconstruíram o motor, acabando-o com uma camada de tinta preta acetinada. (Originalmente, eles tentaram polir os cárteres, mas acharam que o visual não estava a funcionar.)

Já que não planeavam usar um conta-rotações, o casal percebeu que poderia mexer com a unidade de engrenagem cónica do comando de válvulas sem efeitos colaterais. Desmontaram a tampa, enfaixaram-na num torno para remover o meio e adaptaram um anel de alumínio no centro. Com a adição de uma inserção em acrílico, tinham uma janela para se poder ver as engrenagens cónicas lá dentro.

Mas nem é apenas o motor que parece novinho em folha – A November também se deu ao trabalho de atualizar a suspensão. Os amortecedores traseiros da Tec estavam originalmente destinados a outro projeto. E os garfos dianteiros são um conjunto de WPs duma KTM 125 ou Duke 390 (Paul não tem bem a certeza qual).

Encaixar os garfos foi um processo elaborado. Primeiro, o veio de direção da Ducati consegui caber nos triângulos da KTM com modificações mínimas. Depois, descobriram que os stops da direção no quadro ainda funcionavam perfeitamente com o novo garfo.

As coisas ficaram ainda mais fáceis quando Paul começou a oferecer a roda da frente ao conjunto e descobriu que o diâmetro do veio dianteiro da Ducati combinava perfeitamente com os garfos da KTM. Foi um simples caso de cortar o comprimento à nova medida.

 

Isso também exigia usar o travão de tambor original da Scrambler à frente, de modo que a November eliminou os suportes de travão radial nos garfos, e depois tratou de os recondicionar com novos retentores. Um suporte tubular foi feita por medida para travar o tambor e para rodear um pequeno para-lama feito sob medida.

Para o resto do projeto, Paul e Linda misturaram peças originais restauradas, com atualizações cuidadosamente selecionadas. Tanto a luz traseira como o farol são originais, mas foram atualizados com lentes NOS. A luz traseira também levou o suporte da matrícula recortado e plastificado a negro, e a luz dianteira foi repintada e montada em novos apoios.

O cockpit é composto por guiadores Renthal, réplicas de manetes Triumph e novos cabos. O velocímetro é uma nova unidade ao estilo antigo da Smiths. Para manter as coisas arrumadas, os interruptores foram recolocados logo abaixo do assento, no lado direito. Para o resto do projeto, Paul e Linda misturaram peças originais restauradas, com atualizações cuidadosamente selecionadas.

A November Customs conseguiu um equilíbrio entre a personalização e o respeito pelo aspeto de origem da Ducati Espanhola . E isso torna-a num dos restauros mais bem conseguidos que temos visto.

Deixe um comentário

Seja o primeiro a comentar!