Jorge Lorenzo não é culpado de evasão fiscal

By on 5 Agosto, 2021

Quando se é um piloto profissional talentoso e internacionalmente famoso viaja-se muito… E também é muito provável que mude de residência, como há muito anos fez Max Biaggi quando foi viver para o Mónaco. Em todo o caso, ter uma empresa de contabilidade realmente para ajudar a administrar o dinheiro, pode ser uma boa solução.  

Veja-se o caso do tricampeão de MotoGP, Jorge Lorenzo. De 2013 a 2015, ele e a sua equipa jurídica, afirmam que viveu na Suíça e não em qualquer lugar do seu país de origem, Espanha. As autoridades fiscais espanholas não concordaram e entraram com uma ação judicial, alegando que o piloto maiorquino devia 35 milhões de euros em impostos e multas não pagas, acusando-o de evasão fiscal. 

Na altura, Lorenzo ainda rodava profissionalmente pela Yamaha, com residência oficial na Suíça. Para reivindicar a residência na Suíça, os indivíduos devem residir no país por pelo menos 90 dias a cada ano civil. Se atingirem esse número, podem pagar os impostos na Suíça.

De acordo com a lei espanhola, esta estabelece que os indivíduos que residem fora do país não estão autorizados a viver em Espanha por mais de seis meses no ano. Lorenzo certamente não é o único piloto profissional que teve problemas semelhantes com as autoridades fiscais espanholas no passado. Dani Pedrosa e os dois irmãos Espargaro também encontraram obstáculos semelhantes nos últimos tempos.  

Lorenzo pode ficar tranquilo por enquanto, porque o Tribunal Administrativo Económico Central da Espanha considerou as exigências do Tesouro espanhol incompatíveis com os fatos. Ao reverem as provas, a Corte declarou que Lorenzo, de fato, residia na Suíça durante o período de tempo em questão. Portanto, foi absolvido das acusações e não será obrigado a pagar aquela pesada taxa de 35 milhões de euros ao Tesouro espanhol. 

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments