Ensaio Triumph Bobber Black – Com um “Punch” da Pesada

By on 17 Agosto, 2018

Pode-se pensar que a nova Bobber Black de 2018 é apenas uma evolução cromática da Bobber original apresentada em 2017 e agora com um aspecto mais “dark” para acentuar a sua agressividade. Mas não, pois a Bobber Black é mesmo uma evolução que vai para além do seu aspecto geral mais agressivo.

A Bobber Black destaca-se da original em vários aspectos mas aqueles que são mais evidentes são obviamente os vários elementos de acabamento negro que dão origem à sua designação; um pneu de maior dimensão na dianteira  e aquilo que mais falta sentimos quando ensaiámos a versão original, um segundo disco na roda dianteira a garantir uma travagem mais efectiva.

É evidente a predominância do negro em quase todos os elementos da Bobber Black incluindo até as manetes, o motor e as suas tampas , os cubos das rodas , os escapes , enfim, a evolução estética é de facto notória e para além além da imagem mais agressiva que passa, faz também ressaltar ainda mais o conceito retro do modelo, parecendo quase uma moto dos anos 40, realidade reforçada inclusivamente pelo cuidado que a Triumph teve em “camuflar” os elementos tecnológicos contemporâneos para poderem manter uma aparência vintage, como é o caso por exemplo, da injecção electrónica cujo design aparenta o de um antigo carburador.

Existe um outro conjunto de elementos que contribui de sobre maneira para o look retro da Bobber Black , a traseira da moto, que integra o assento tipo selim, que é ajustável e que esconde o amortecedor traseiro, e o guarda lamas que cobre a roda traseira e que se move juntamente com a mesma. Parada e de perfil a Bobber Black parece quase uma hardtail não fosse o selim alto em relação ao quadro revelar o amortecedor traseiro.

A nível de tecnologia a Bobber Black contraria todo o seu look vintage e integra o que todas as motos modernas montam em termos de electrónica. Controle de tração, 2 modos de motor, normal e chuva, “cruise control”, que é novidade, facilmente acionado com apenas um botão no punho esquerdo e que é desligado com um simples toque no travão. A Bobber Black integra ainda um sistema de embraiagem que diminui a tensão sobre a manete da mesma facilitando enormemente a sua utilização, sobretudo quando temos que circular no meio do transito. O farol dianteiro é agora de tecnologia LED e integra também luz de circulação diurna.

O motor bicilíndrico de 1200cc continua a ser o ex-libris da Bobber. O seu grande binário a baixa, com 78 lbft às 4.000 rpm torna a sua condução entusiasmante, com o “punch” de binário  a permitir utrapassagens rápidas apenas com o rodar do punho.

A potência máxima é de 77HP às 6.000 rpm, o que pode parecer curto se considerarmos que o mesmo motor atinge praticamente os 100HP na desportiva Thruxton R mas, sinceramente, para o tipo de condução que é suposto realizarmos na Bobber parece-nos ser mais do que suficiente, sobretudo considerando o “punch” e a subida de rotação que o motor proporciona a partir de baixa rotação .

A posição de condução é típica de uma bobber, mantém no entanto a posição central das peseiras, embora exista uma opção de montagem das peseiras mais à frente, tal como na Speedmaster. O banco pode ser ajustado com o simples desapertar de um parafuso permitindo deslizar o mesmo sobre a sua barra de apoio. A posição mais atrás permite mais espaço para as pernas mas obriga a esticar mais os braços, para além de ficarmos sentados numa posição ainda mais baixa. É uma questão de opção e de procurarmos a posição que mais nos agrade. Pormenor interessante é a possibilidade de ajustarmos a posição do painel de informação para que a leitura de dados possa ser ótima tendo em conta a nossa posição final na moto.

Em matéria de suspensões a Bobber revela algumas limitações sobretudo no curso da suspensão traseira que é de apenas 77mm. Resultado há que ter cuidado quando circulamos em estradas de mau piso pois a nossa coluna tem um curso de amortecimento substancialmente menor. Na frente a Bobber Black monta agora suspensões da Showa de 47mm, ao contrário da Bobber normal que são KYB de 41mm, mantendo no entanto o mesmo curso de 90mm mas garantindo um funcionamento mais efectivo, pareceu-nos. Tanto a suspensão traseira que se mantém KYB como a Showa dianteira não permitem ajustes.

Chamou-nos especial atenção a evolução levada a cabo nos travões já que na Bobber normal o simples disco na dianteira se revelou perigosamente insuficiente. Partimos por isso para o nosso ensaio mais descontraídos e com a garantia de que a travagem da Black estaria agora ao nível do que se exige numa moto destas características. Dois discos de 310mm agora na frente, com um pneu mais largo e pinças Brembo mostraram no entanto uma travagem ainda aquém do que era de esperar. Bastante melhor no entanto e sem a necessidade de nos “pendurarmos” nos travões como na Bobber normal e a podermos dosear a travagem com apenas dois dedos na manete.

A condução é agora mais descontraída sabendo que a segurança é maior graças ao maior capacidade de travagem e segurança perante qualquer imprevisto. Gostámos do comportamento neutro em curva, embora com alguma resistência no início de a colocarmos na trajectória correcta , certamente devido à maior dimensão do pneu dianteiro. Em estrada de bom piso a Bobber Black é extremamente confortável, o formato anatómico do selim proporciona grande comodidade e o guiador está numa posição que não exige demasiado esforço, isto se circularmos abaixo dos 120/130 Kmh .

Sem dúvida que um dos grandes atibutos da Bobber Black assenta no seu fantástico e irresistível look que combina na perfeição linhas retro com design contemporâneo e que não deixa ninguém indiferente à sua passagem. Nem mesmo de alguns técnicos da Baviera quando de visita ao stand BMW para dar um abraço ao amigo Hogan, elogiaram a Bobber estacionada à entrada da sua oficina.

Testámos na semana seguinte a nova Triumph Speedmaster e surpreendeu-nos como em duas motos tão semelhantes no seu conceito e ciclística, as sensações de condução possam ser tão diferentes, mas isso será alvo de um outro artigo de ensaio na próxima semana. Querem ser o tipo mais cool do vosso bairro ? a Bobber Black é a vossa moto… preparem-se no entanto para pedir um serviço Uber sempre que alguém vos quiser acompanhar pois a Bobber não tem lugar para o pendura. Serás no entanto  sempre irresistível…

Claro que o potencial de personalização da Bobber Black é imenso e a própria Triumph providencia um catálogo extenso de produtos que permitem adaptá-la à tua imagem e look preferido. Irresistível será também para todos aqueles preparadores que procuram um modelo de base sobre o qual possam desenvolver a sua criatividade, pelo que a Bobber Black estará certamente no top da sua “Wish list” .

Ficha Técnica Triumph Bobber Black 2018 / PVP 14.250 euros

MOTOR 

Tipo Refrigeração por líquido, 8 válvulas, SOHC, ignição 270°,

dois cilindros paralelos

Cilindrada 1200 cc
Bore Stroke 97.6 / 80mm
Compression 10.0:1
Potência máxima CE 77 PS/ 76 Bhp (57 kW) @ 6,100 rpm
Binário máximo CE 106 Nm @ 4,000 rpm
Sistema Injecção sequencial multiponto
Escape Sistema de escape 2 em 2 de dupla capa inoxidável polido

com escapes em aço inoxidável lacado negro.

Transmissão Final Corrente
Embraiagem Embraiagem assistida multiprato
Caixa de velocidades 6 velocidades

 

CICLÍSTICA

Quadro Berço em aço de estrutura tubular
Braço oscilante Estrutura tubular de duplo braço em aço
Roda dianteira Raiada, 32 raios 16 x 2,5 polegadas
Roda traseira Raiada, 32 raios 16 x 3,5 polegadas
Pneu dianteiro 130/90 B16
Pneu traseiro 150/80 R16
Suspensão dianteira Forquilha Showa de 47 mm, curso de 90 mm
Suspensão traseira Monoamortecedor KYB com 77mm de curso da roda traseira
Travão dianteiro Twin 310 mm disc, Brembo 2-piston floating calipers, ABS
Travão traseiro Disco de 255 mm, pinça flutuante de simples pistão Nissin, ABS
Painel de instrumentos e funções Painel de instrumentos multifunções de um bloco com velocímetro

analógico e ecrã LCD con conta-rotações digital, indicador de

mudança engranada, indicador de nível de combustível, autonomia,

consumo médio e instantâneo, indicador de manutenção, relógio,

2 contadores parciais, estado do controlo de tracção e estado de

acessórios Triumph tais como cruise-control e punhos aquecidos.

O controlo dos menus faz-se a partir de um botão no punho.

Largura do guiador 760 mm
Altura (sem espelhos) 1025 mm
Seat Height 690 mm
Distância entre eixos 1510 mm
Inclinação 25.4º
Avanço 92 mm
Peso en seco 237.5 Kg
Capacidade do depósito 9L

 

Concorrência

Harley-Davidson Forty Eight   1.202 cc / n.d. CV / 245 Kg / 12.790 eur

 

Indian Scout Bobber       1.133 cc / d.d. CV / 245 Kg / 13.990 eur 

Triumph Bobber Standard     1.200 cc / 77 CV / 228 Kg / 13.200 eur 

 

Galeria de Imagens

Deixe um comentário

Seja o primeiro a comentar!