Subscreva a nossa Newsletter

Email Marketing by E-goi

Cuidados a ter após montagem de pneus novos na moto

By on 11 Julho, 2023

Esta é uma questão que todos conhecemos e que faz parte do “manual de regras básicas do motociclista” e que normalmente passa de boca em boca: O cuidado a ter quando montamos pneus novos na nossa moto, ou mesmo com uma moto acabada de sair do stand.

Embora toda a tecnologia no fabrico de pneus tenha evoluído, determinados produtos que são utilizados na indústria da sua produção, seja para facilitar o desmoldar seja para preservar as qualidades do mesmo até à data da sua utilização, continuam a obrigar o motociclista a ter algum cuidado a rodar com a sua moto nos primeiros quilómetros e até a tal “goma” ser totalmente limpa da superfície.

Embora hoje em dia nos processos industriais de produção de pneus praticamente não se utilizam químicos na fase de desmoldagem o certo é que no processo de vulcanização dos pneus e posterior esfriamento dos mesmos existe a tendência de aflorar à superfície algum óleo e/ou cera que fazem parte da mistura química da borracha, tornando o seu aspecto algo brilhante. Por isso é sempre recomendável rodar com cuidado nos primeiros Kms até que essa superfície possa ser totalmente limpa. 

Como assegurar que o pneu já não tem goma e não representa risco de falta de aderência ?

Alguns referem para que nos primeiros 100 Kms, aproximadamente, termos cuidado a curvar… conselho óbvio mas que não define o regime ideal em que devemos rodar para que os pneus percam a totalidade da eventual goma em toda  a sua superfície.

Ora, o melhor é de facto proceder de uma forma evolutiva, ou seja, de início evitar inclinações pronunciadas da moto e travagens demasiado bruscas. Há medida que forem rodando poderão ir aumentando a inclinação, quer para a direita quer para a esquerda e verificando a superfície de rodagem do pneu para perceberem até onde a mesma está a ser utilizada. Se virem que há desequilíbrio entre um lado e o outro comecem a compensar com maior inclinação para o lado que está menos utilizado. Sempre de uma forma gradual e progressiva no sentido de manter sempre o controle e a aderência, assim como o evitar das travagens, devendo também ser suaves a rodar o punho à saída das curvas.

Já em pista é diferente pois os pneus específicos para rodar em circuito praticamente não trazem qualquer produto que possa diminuir a sua aderência e são normalmente aquecidos com mantas para que saiam para a pista já com a temperatura próxima do ideal para o seu melhor desempenho. O asfalto da pista é extremamente abrasivo e rapidamente os pneus são “limpos” de qualquer resíduo que possam ainda ter na sua superfície.

O processo de “limpeza” de eventuais resíduos sobre a superfície dos pneus novos depende do regime que cada utilizador decidir colocar na sua condução e não de mais ou menos kms realizados. A progressividade em inclinação, em travagem e aceleração é sempre recomendável nos primeiros 100 Kms. Inclusivamente, se for no inverno e com chuva, esse tempo deve ser alargado e a condução ser algo mais conservadora.

O observar da superfície do pneu é tembém recomendável, pois é fácil percebermos até onde é que o pneu teoricamente já foi limpo. Não se preocupem se os mesmos ainda apresentarem os típicos “pelos de borracha “ na sua extremidade pois a maioria dos motociclistas nunca chegarão a rodar nesse extremos da superfície. Os pneus hoje em dia apresentam uma enorme superfície de rodagem no sentido de oferecerem um desempenho e aderência máxima em quaisquer condições.

Face a esta realidade também os diferentes fabricantes de pneus estabelecem algumas recomendações na utilização de pneus novos:

A Avon recomenda uma condução conservadora durante pelo menos 160 Kms e que a mesma seja realizada de preferência em percursos sinuosos de montanha. Devem ser observados visualmente para assegurar que a superfície foi gasta de forma uniforme e verificar que a pressão é a recomendada.

A Brigdestone recomenda cuidado durante os primeiros 100 Kms para nos habituarmos ao comportamento dos pneus evitando manobras extremas, em curva, travagens ou aceleração.

A Continental vai mais longe e refere que todos os pneus após sairem de produção apresentam uma superfície lisa e brilhante pelo que devem ser evitadas todo tipo de manobras que possam colocar em risco a segurança do motociclista, devendo aguardar-se que o pneu apresente uma superfície limpa e sem brilho para que se possa obter o seu nível máximo de aderência. Refere ainda que os seus pneus SportAttack 4, RoadAttack 4, RoadAttack 3, TrailAttack3 e TKC 70, utilizam na sua superfície uma nova tecnologia apelidada de “Traction Skin” que reduz substancialmente o processo de limpeza do pneu na estrada, garantindo mais rapidamente o seu desempenho máximo.

A Dunlop refere também a necessidade de conduzir com cuidado durante os primeiros 160 Kms, garantindo um processo gradual de desgaste dos mesmos e a habituação do piloto ao seu comportamento. Faz referência também à necessidade de verificar sempre a pressão dos pneus  que deve ser a recomendada e aplicada com os pneus frios. Finalmente recomenda sempre a substitução de ambos os pneus e não combinar a utilização de um pneu gasto com um novo sendo também desaconselhada a utilização de pneus diferentes à frente e atrás, pois poderá afectar o equilíbrio da moto e a sua aderência.

A Maxxis recomenda algum cuidado de início para remover algum agente desmoldante que possa permanecer no pneu novo e evitar acelerações bruscas ou angulos de inclinação elevados.

A Michelin recomenda que os pneus novos sejam submetidos a um período de “amaciamento” antes de poderem ser utilizados normalmente. Refere ainda que a condução deve ser suave, sem acelerações nem travagens bruscas e ângulos de inclinação moderados e gradualmente ir aumentando o grau de intensidade na condução até que os pneus apresentem uma superfíce limpa e sem brilho. A recomendação é que se proceda a este processo durante pelo menos 100 Kms e que deve ser aplicado em qualquer tipo de pneus, sejam de moto ou scooter.

Finalmente a Metzeller e a Pirelli recomendam um período que pode ir dos 100 aos 200 Kms, dependendo do regime da sua utilização, se em estradas sinuosas ou em auto-estradas, evitando acelerações e travagens bruscas assim como demasiada inclinação em curva até que o período de rodagem recomendado seja concluído.

Últimas recomendações para quando se montam pneus novos: 

  • No caso de tubeless pedir para substiruir sempre as válvulas
  • No caso de pneus com câmara de ar pedir para substituir as mesmas.
  • Verificar sempre a pressão dos pneus a frio e utilizar a pressão recomendada pelo fabricante da moto ou dos pneus.
  • Rodar de forma conservadora pelo menos durante os primeiros 100 Kms
  • Observar os pneus e confirmar que apresentam um desgaste homogéneo em toda a sua superfície.

Fonte : Bennets

2 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
LuisMaia
LuisMaia
7 meses atrás

Muitos erros ortográficos Pedro.