A Scooter 125 é a “arma letal” no combate ao COVID-19 – Conselhos para a sua aquisição e utilização

By on 15 Maio, 2020

A moto é sem dúvida alguma o meio ideal para nas nossas deslocações diminuirmos drasticamente a possibilidade de virmos a ser infectados e passarmos a fazer parte das estatísticas do COVID-19. Num artigo anterior abordámos os vários factores que nos fazem acreditar que a moto é mesmo a SOLUÇÃO ( Ver artigo AQUI ) … E as motos de 125cc são as mais acessíveis e as mais práticas para uma utilização diária em deslocações curtas, urbanas e sub-urbanas.

Para além de nos permitir evitar o risco dos transportes públicos as motos são sem dúvida uma alternativa mais eficiente, menos poluente, mais prática e uma contribuição para diminuição do tráfego urbano e dos níveis de poluição nas nossas cidades. Para além de tudo o já referido, as motos com 125 cc permitem ser conduzidas apenas com carta de carro o que do ponto de vista prático é uma enorme facilidade.

Se por um lado os últimos meses de confinamento foram enormemente penalizadores para a economia, por outro vai-nos obrigar a todos a um esforço acrescido para voltarmos a reactivar a mesma e compensar os prejuízos de mais de dois meses de paralização.  Os riscos de uma segunda vaga pandémica são reais e o passado atesta precisamente essa realidade pelo que não podemos baixar as nossas defesas. Continuar a investir na nossa proteção e das nossas famílias é por isso fundamental e reactivar a nossa vida profissional para podermos fazer face aos nossos compromissos é também necessário.

O podermos deslocar-nos de uma forma segura evitando aglomerações de pessoas é por isso fundamental. A moto pode ser uma solução, a alternativa que faz sentido, pois por um investimento baixo ganhamos mobilidade e segurança. O mercado de usados é também uma opção para aqueles que eventualmente procurem ser conservadores nesta fase de incertezas. Uma Scooter 125 pode custar entre os 1.000 e os 5.000 euros, seja nova ou usada, e a obtenção de financiamento pode e deve vir a estar nesta fase facilitada pelos bancos e pelo governo.

Muitas marcas estão a fazer promoções dos seus modelos mais comerciais para recuperarem negócio pois estes últimos dois meses a vendas foram praticamente nulas devido ao confinamento obrigatório para todos e ao encerramento dos  muitos espaços comerciais. Algumas promoções estão refletidas no nosso site mas muitas outras poderão ser identificadas.

Se te decidires pela compra de uma moto 125 usada deixamos-te aqui alguns conselhos para garantir que fazes um bom negócio:

  • Confirmar os total de Kms e verificar as revisões realizadas, de preferência em concessionários oficiais da marca.
  • Verificar os documentos se estão em nome do vendedor
  • Confirmar de que todos os impostos estão em dia
  • Confirmar que o número do quadro confere com o número no documento único.
  • Verificar de que a matrícula confere com a dos documentos
  • Confirmar quantos registos a moto tem
  • Em caso de dúvida pode solicitar na Conservatória um comprovativo dos diferentes registos de propriedade que a moto teve.
  • Verificar o desgaste dos pneus e a sua textura. A borracha pode estar ressequida por os pneus serem já antigos o que representa um risco de segurança.
  • Verificar o desgaste dos discos de travão e das pastilhas. Os discos podem ter um desgaste anormal o que resulta de mais Kms realizados.
  • Comprovar que o líquido dos travões está límpido e sem impurezas.
  • Comprovar o líquido do radiador se não tem vestígios de ferrugem
  • Comprovar o comportamento das suspensões e dos retentores das mesmas. Caso as bainhas tenham vestígio de óleo necessitarão de retentores.
  • Confirmar que o acelerador volta de imediato à sua posição inicial uma vez solto.
  • Verificar comportamento dos travões e cabos de embraiagem.
  • Confirmar o bom funcionamento de todos os interruptores e luzes que acionam.
  • Verificar a corrente de transmissão e o estado do pinhão e cremalheira.  No caso de uma scooter perguntar quando foi a última vez que substituíram a correia de transmissão.
  • Comprovar o bom estado da direção, se não tem folgas nem ruídos ou comportamento estranho.
  • Arrancar a moto a frio e não a quente para ver qual o seu comportamento. Se chegar à moto e colocar a mão perto do escape ou do motor e a mesma estiver quente peça ao vendedor para deixar-lhe voltar noutra altura para poder arrancar a moto a frio.
  • Verificar se o motor tem fugas nas suas juntas e verificar o mesmo na sua zona inferior.
  • Ver se o quadro tem alguma imperfeição, soldadura defeituosa ou vestígios de impacto.
  • A pintura e decoração original é motivo de valorização.
  • Por último pedir para testar a moto e rodar um pouco com a mesma. Se existirem dúvidas solicitar que a mesma seja vista por um mecânico da sua confiança.
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments