Café Racer – Parte 1: As Origens

By on 2 Janeiro, 2019

 

Será talvez o mais influente movimento motociclistico que o mundo terá visto. Nascido nas ruas das cidades inglesas nos anos 50, a sua cultura ainda prospera pelo mundo fora, no entanto a maioria das pessoas nunca ouviu falar em Café Racer.

O Café Racer é em simultaneo um homem e uma máquina. Com o seu aspecto espartano e o seu design agressivo, as Café Racer são das mais distintivas e apreciadas motos no mundo. O seu impacto na industria motociclistica inclui motos lendárias de alta performance como as Triumph Bonneville, As Norton Manx e Dominator e mais tarde as Hondas CB 750 Four e as Kawasakis Z1 900. Sem a influencia destes adeptos Cafe Racers a transformarem as suas motos de serie em verdadeiras maquinas de potencia, velocidade e eficácia de comportamento, talvez os construtores nunca tivesse chegado ao formato actual das motos Sport.

O movimento Cafe Racer pode ter ido iniciado em Londres nos anos 50, mas evoluiu para uma verdadeira cultura que tinha por base o gosto pela velocidade e pelo rock & roll. O mundo Café Racer, tornou-se por si só um estilo de vida dos jovens da época que frequentavam os cafés, muito baseado na paixão pelas motos rápidas e potentes, super agressivas e totalmente pensadas para serem eficazes, pois era de velocidade e de competição urbana que se tratava. Cada vez melhores transformações e preparações tinham como objectivo não só criar uma “peça” única que gerava prestigio ao seu dono, mas também uma ferramenta para gerar vitorias nas corridas de rua, pela noite fora.

Ace Cafe Londres

O estilo dos Café Racers, a par com o das suas máquinas era algo de fundamental. Um verdadeiro Café Racer distinguia-se pelo seu blusão de cabedal negro, adornado de pins e emblemas bordados, e dos seus jeans coçados, t-shirts e lenço amarrado ao pescoço, capacete aberto com gogles e botas. Cigarro ao canto da boca de preferência e uma “jola” na mão…

 

Um Café Racer é um tipo de motard, é um tipo de moto e um estilo de vida oriundo dos anos 50, mas mais actual e na moda do que nunca, neste inicio do seculo XXI.

A verdade é que o movimento Café Racer ressurgiu das cinzas e hoje a força do movimento revivalista criou toda uma nova industria de motos , acessórios, componentes, roupa e equipamento.

O renascimento do estilo Café Racer tem essencialmente origem no mundo das motos clássicas, e mais precisamente nas pequenas oficinas de restauro. Muito mais desenvolvido nos automoveis classicos cujos investimentos em restauro se revelaram super rentaveis, com a subida vertiginosa dos preços, o restauro de motos aproveitou a boleia, mas os mercados não reagiram da mesma forma. As motos dos anos 70 valiam pouco e continuaram a níveis baixos, pelo que os custos dos restauros normalmente não eram recuperáveis, ou seja o custo da reconstrução com peças originais e mão de obra cara, acabava por não valer a pena. O custo final da compra da moto original somado ao custos das peças e mão-de-obra, acabava por atingir valores elevados que depois raramente se conseguia recuperar na venda.

Foi então que começaram a aparecer motos recuperadas, não na sua forma e condição original mas como reproduções cafe racer dos anos 60/70. O movimento foi crescendo de forma estonteante, ajudado pela força da internet, dos sites e das redes sociais…e a cada dia, mais motos recuperadas a custos muito baixos. A criatividade surgiu em força e os ateliers de construção de Cafe Racers começaram a proliferar pela Europa, Estados Unidos e mesmo no Japão e outros países asiáticos.

O movimento estava de novo activo, o negocio também, e a moda a ganhar cada vez mais força.

As marcas produtoras de equipamento lançam linhas especificas Cafe Racer e os proprios construtores europeus e japoneses de motos, fazem renascer os seus modelos mais míticos da epoca ou lançam novas gamas. Cada vez mais revistas, mais sites, programas de televisão, filmes…e o estilo Café Racer faz parte do nosso quotidiano, quer nos sintamos parte dele ou não.

texto e fotos: caferacertv.com

continua:

Cafe Racers, parte II: as motos

Cafe Racers, parte III: o estilo

Cafe Racer, parte IV: os construtores aderem à moda

 

Deixe um comentário

Seja o primeiro a comentar!