ENSAIO KYMCO AK 550 – Top Gun no segmento Maxi Scooter

By on 21 Novembro, 2018

A KYMCO, companhia taiwanesa, fabricante de motos há mais de meio século, tem actualmente uma gama importante de scooters, de várias cilindradas, sendo que o modelo AK 550 é a expressão máxima da experiência adquirida ao longo de todo esse período . A sofisticação do seu design, a qualidade da sua construção e dos materiais da Kymco AK 550 é realmente irrepreensível e posiciona o modelo bem alto no mercado das MaxiScooters.

O seu design agressivo e a sua aparência de moto desportiva não deixam ninguém indiferente e a intenção da KYMCO AK550 é clara; a de liderar o segmento das MaxiScooters desportivas. Com a fasquia muito alta colocada pelo reinado T-MAX, a AK550 tem de facto uma tarefa difícil de lutar pela liderança. E foi nesse contexto que realizámos o seu ensaio, para tentar perceber exactamente como a KYMCO aborda, com este seu modelo de topo, o desafio da conquista do lugar cimeiro.

KYMCO AK 550 – Nova cor de 2019 apresentada na EICMA

As linhas da AK550 cativam-nos de imediato e deixam adivinhar o seu comportamento desportivo. De formas angulosas e look agressivo a AK define à partida a atitude a adoptar na sua condução. Mas numa Maxi-Scooter privilegia-se também o conforto, a proteção ao vento e à chuva, e num modelo de topo como a AK550, procuramos também o requinte dos seus acabamentos e a qualidade do seu equipamento. Portanto era essa a nossa postura na análise que iríamos fazer ao modelo de topo da gama de scooters da KYMCO.

Assim que nos sentamos na AK notamos de imediato a maior estreiteza do seu assento em relação à T-MAX e a facilidade com que os nossos pés assentam no chão. A AK 550 tem sistema de ignição do tipo “Keyless” pelo que o dispositivo é guardado no nosso bolso. Ao ligarmos a AK num pequeno botão com símbolo 0n/Off e “Seat”, onde se situa também um botão rotativo de maior dimensão que serve ora para trancar a mota ou abrir a tampa que dá acesso ao depósito de combustível, somos surpreendidos pela iluminação do painel TFT a cores, pela sua enorme qualidade e facilidade de leitura, toda uma referência em termos de ergonomia e distribuição da informação necessária, tendo inclusivamente informação da pressão dos pneus.

O painel está dividido em 3 elementos digitais, onde os laterais contêm informação da moto e o central pode interagir com smartphones e obtermos todo o tipo de informação contida nos mesmos através da APP da KYMCO. No punho esquerdo temos o controle de temperatura dos punhos, o seletor de piscas, a buzina e o selector do modo de motor ( 2 modos ) que aparecem identificados com uma luz de diferente cor no visor TFT esquerdo. No punho direito temos o botão on/off, o de arranque e de 4 piscas, e o selector para navegar no sistema de informação.

 

Procuramos espaço para colocar equipamento e um capacete extra e o compartimento de bagagem debaixo do banco é amplo o suficiente para caber um capacete integral e uma mochila. Para melhor localizarmos os objectos o mesmo tem iluminação no seu interior. Em matéria de compartimentos a AK oferece ainda dois menores situados na dianteira apenas para pequenos objectos, sendo que no esquerdo encontra-se uma ficha usb para ligação de aparelhos electrónicos.

A posição de condução é baixa e cómoda, perfeitamente integrada na scooter e o pára-brisas oferece proteção necessária e com entrada de ar inferior para diminuir turbulências, no entanto o seu ajuste apenas é possível em duas posições. O assento é cómodo de início e bastante ergonómico mas algo firme ao fim de algum tempo, talvez dado o posicionamento desportivo da AK, realidade que é compensada pelo excelente funcionamento das suas suspensões.

Um pequeno ressalto no banco aumenta ainda o suporte da zona lombar do condutor e atrás, para o pendura, o espaço é suficientemente amplo para garantir um enorme conforto, sendo que lateralmente ainda se encontram barras perfeitamente integradas no design da moto para maior segurança do pendura. Os punhos são aquecidos e têm 3 posições de intensidade embora não tenham no entanto proteção de mãos.

Já a rodar sentimos de imediato a resposta vigorosa do motor desde baixas rotações e o roncar envolvente do seu escape, tipo moto desportiva. (muito diferente da T-MAX que tende a ser mais silencioso). Com o motor montado mais à frente, numa posição central, a AK 550 consegue aliviar o peso na roda traseira e assim garantir, através da sua excelente suspensão, um maior desempenho na tração e na travagem.

O motor bicilíndrico paralelo de 550cc debita 52,7 hp às 7.500 rpm , ( face  aos 45,9 da Yamaha T-MAX ) e tem de binário máximo 55,6 Nm às 5.500 rpm. Com arrefecimento líquido, 4 válvulas por cilindro e DOHC, e sobretudo eletrónica sofisticada já que a AK 550 vem com a possibilidade de selecionarmos dois modos de motor, modo “Full Power” e modo “Rain”, o que nos permite escolher a melhor entrega de potência em função das condições da estrada.

A transmissão é contínua e assegurada por uma embraiagem automática em banho de óleo. A transmissão secundária é feita através de correia dentada de borracha ( tipo HD) que garante suavidade e menos vibração, assegurando uma transmissão imediata de potência à roda.

O quadro da AK 550 é em alumínio fundido, muito rígido e leve, e utiliza o motor como elemento estruturante. O braço oscilante é do tipo moto, com monoamortecedor colocado numa posição horizontal e lateral esquerda e com ajuste de pré-carga de mola. Na dianteira monta suspensões invertidas de 41mm e os discos de travão duplos são de 270mm enquanto atrás é um disco de 260mm ambos com pinças Brembo e assistidos por ABS de duplo canal versão 9.1 da BOSCH, que asseguram uma travagem exemplar só vista em motos desportivas.

As jantes de alumínio de 15” , tanto à frente como atrás ,conferem um rodar preciso e suave e o seu peso reduzido contribui para uma menor inércia no trabalho das suspensões. A curvar a AK 550 é um exemplo de precisão, muito fácil de colocar em curva e delinear trajectórias perfeitas, com as suspensões a terem uma leitura correcta do piso e a assegurarem um desempenho raro encontrar neste segmento de motos. Os pneus Metzeler têm medidas de 160/60 atrás e 120/70 na frente e mostraram ter um grip muito satisfatório.

Para concluir sobre experiência que realizámos na KYMCO AK550 podemos afirmar que num mercado liderado pelas marcas japonesas e alemãs a KYMCO soube desenvolver uma alternativa de facto, com uma qualidade excelente e com um desempenho surpreendente do seu motor e ciclística. Pena em matéria de preço não estar melhor posicionada, o PVP actual são 10.249 eur, que embora menos cara que as suas concorrentes diretas, Yamaha T-MAX, BMW C650 GT e Honda X-ADV, não o suficiente para justificar a falta de imagem de marca, pois seria uma proposta muito aliciante para aqueles que procuram uma Maxi Scooter de topo a preço contido.

KYMCO AK 550 Versão 55th Anniversary – Acabamentos e suspensões Ohlins

Uma nova edição especial 55th Anniversary foi apresentada no último Salão da EICMA em Milão e montava suspensões Ohlins à frente e atrás o que pode trazer ainda mais benefícios ao modelo e à marca na hora de se defrontar com as suas rivais na disputa da liderança no segmento topo das scooters.

FICHA TÉCNICA

Cilindrada 550cc

Motor-Ciclo 2 Cilindros – 4 Tempos

Potência 5 kW/52,7hp a 7500 rpm

Refrigeração Líquida

Alimentação Injecção Electrónica

Transmissão Primária CVT, Embraiagem multidisco,

Transmissão Secundária correia trapezoidal

Caixa de Velocidades Automática com embraiagem em banho de óleo

Suspensão Dianteira Forqueta Telescópica Invertida

Suspensão Traseira Braço oscilante e amortecedor Horizontal regulavel

Travão Dianteiro Duplo Disco Ø 270 m / ABS Bosch 9.1 Pinças Brembo

Travão Traseiro Disco Ø 260 mm / ABS Bosch 9.1 Pinça Brembo

Pneu Dianteiro 120/70-R15”

Pneu Traseiro 160/60-R15”

Dimensões: c x l x a (mm) 2220 x 795 x 1450

Distância entre Eixos (mm) 1580

Altura do banco (mm ) 785

Peso (kg) 226

Depósito Combustível (L) 15

Cores disponíveis: Preta

PVP 10.249 eur

 

Galeria de Imagens

Deixe um comentário

Seja o primeiro a comentar!