Ducati Panigale V4 SP2: Desportiva toda-poderosa!

By on 11 Março, 2022

Nascida nas pistas e para as pistas, a Panigale V4 SP2 é produzida numa série numerada, caracteriza-se pela decoração “Winter Test” e por uma série de detalhes em fibra de carbono. Modelo topo de gama das supersport Ducati, tem como alma o motor V4 Desmosedici de MotoGP que entrega 215,5 cv, mas que com o escape Akrapovic (opcional) consegue subir aos 228 cv.

A família Ducati Panigale é a expressão máxima da contínua troca de informação e tecnologia do mundo das corridas com a produção. Cada nova versão continua a evoluir ano após ano, tal como os protótipos da Ducati Corse. A “SP2” é o modelo com o qual a Ducati leva a desportividade da Panigale V4 ao topo, cuja versão de 2022 deu o passo evolutivo mais significativo desde o seu início, melhorando em todos os aspectos: aerodinâmica, ergonomia, motor, quadro e electrónica.

A Panigale V4 SP2 apresenta as especificações técnicas típicas da abreviatura “SP” (Sport Prodution) combinadas com todas as melhorias feitas pelos engenheiros da Ducati na Panigale V4 de 2022. A versão “SP2” tem um sistema de travagem ainda mais potente, jantes de carbono muito leves, transmissão final e embraiagem a seco herdada das motos do Mundial de Superbike, apoios de pés ‘racing’ e muitos componentes de carbono. A SP2 vem com um kit de pista, que inclui coberturas de remoção de espelhos de alumínio maquinadas, kit de remoção da placa de matrícula e tampa de embraiagem aberta de carbono.

O resultado é “The Ultimate Racetrack Machine”, um modelo especial, ideal para o piloto não profissional que quer fazer Track Day’s em circuito a desafiar os seus próprios limites.

No exterior a Panigale V4 SP2 destaca-se pela pintura “Winter Test”, onde o preto mate das carenagens se combina com o acabamento de carbono mate das jantes e asas, contrastando com os acentos vermelhos brilhantes e o brilho do alumínio polido do depósito de alumínio. As asas de perfil duplo são adornadas com a bandeira italiana que também aparece na Panigale de fábrica V4 R de Superbike. A parte inferior da carenagem distingue-se pela presença do logotipo da Ducati Corse na área dos novos extractores de ar quente, e por um detalhe vermelho que suporta o nome do modelo no assento preto estofado duplo. O número da unidade produzida surge estampado na coluna de direcção.

Um ‘coração’ musculado

O coração da Panigale V4 SP2 é o Desmosedici Stradale de 1.103 cc de origem MotoGP: um V4 com cambota contra-rotativa, dotado de muito binário a partir de baixas rotações e capaz de expressar todo o ADN de pista. Para 2022, o motor Desmosedici Stradale foi melhorado com a introdução de elementos técnicos específicos que tornaram possível aumentar a potência e melhorar a resposta do acelerador. Graças a estas intervenções e a um novo mapeamento exclusivo, o motor da versão Euro 5 fornece 215,5 cv @ 13.000 rpm, um aumento de potência de 1,5 cv sobre a Panigale V4 de 2021.

Para capitalizar todo o potencial deste motor, a Ducati desenvolveu curvas de binário específicas para cada engrenagem e quatro modos de potência diferentes (Full, High, Medium, Low). Os modos Full e Low são de novo desenvolvimento. Quando utilizado na pista, o desempenho deste motor pode ser ainda melhorado com o novo escape de titânio Ducati Performance, desenvolvido em colaboração com Akrapovič e disponível como acessório.

Este escape está equipado com silenciadores elevados ao longo da cauda e foi redesenhado para aumentar o desempenho e limitar o ruído. Com este escape, a Panigale V4 SP2 torna-se 5 kg mais leve, baixando o peso a seco da moto para apenas 168 kg. O escape Akrapovič também garante um aumento de potência de 12,5 cv, elevando o valor máximo até 228 cv, enquanto o valor máximo do binário aumenta para 131 Nm.

Conceito SBK

A ligação com as motos que competem no Campeonato do Mundo de Superbike é ainda mais evidente na versão “SP2” da Panigale V4. De facto, à caixa de velocidades mais “orientada para pista” – já apresentada na Panigale V4 2022 -, esta moto acrescenta a transmissão final com corrente 520 e embraiagem seca STM-EVO SBK. Esta embraiagem garante uma função anti-ressalto mais eficaz em fortes reduções e uma maior fluidez em todas as fases de “corte do acelerador” em comparação com a embraiagem em banho de óleo da Panigale V4 S. A embraiagem seca oferece também a possibilidade de personalizar o nível de travagem “mecânica” do motor, escolhendo uma mola secundária diferente das disponíveis no catálogo de acessórios Ducati Performance.

O quadro da Panigale V4 SP2 apresenta uma estrutura frontal de alumínio que utiliza o Desmosedici Stradale como elemento estrutural. O braço oscilante em alumínio e o suporte do assento em alumínio fundido, estão directamente ligados ao motor. O eixo do braço oscilante é posicionado de modo a aumentar o efeito anti-dive, que é a redução da altura da extremidade traseira na saída de curvas e na reabertura do acelerador, estabilizando assim a moto sob aceleração.

O sistema de suspensão possui uma forquilha Öhlins NPX25/30 pressurizada com 125 mm de curso controlado electronicamente na frente, utilizando um sistema de amortecimento pressurizado de cartucho derivado de garfos de corrida.

Este garfo, em combinação com o amortecedor de choques Öhlins TTX36 e o amortecedor de direcção electrónico, também da Öhlins, forma a segunda geração do sistema Smart EC 2.0 caracterizado pela lógica OBTI (Objective Based Tuning Interface) que, trabalhando “por objectivos” e não por cliques, permite ao condutor uma gestão muito mais intuitiva do que os sistemas tradicionais.

Leveza extrema

Para melhorar ainda mais o desempenho da pista e as qualidades dinâmicas da Panigale V4, a versão “SP2” está equipada com aros de carbono de alta qualidade com 5 raios bifurcados, 1,4 kg mais leves que os aros de alumínio forjado da Panigale V4 S. Os aros de carbono garantem uma redução significativa da inércia (-26% à frente, -46% atrás) em benefício da agilidade, leveza na mudança de direcção e maior facilidade em curva.

A Panigale V4 SP2 também dispõe de pinças de travão dianteiras exclusivas Brembo Stylema R que garantem uma elevada potência de travagem combinada com uma excepcional consistência de desempenho. Estas pinças funcionam com uma bomba radial Brembo MCS (Multiple Click System) que lhe permite ajustar a distância entre eixos rápida e facilmente em três configurações para personalizar a sensação de travagem. A alavanca do travão dianteiro está equipada com um dispositivo de “ajuste remoto”, que lhe permite ajustar a sua posição actuando sobre um botão no punho esquerdo, tal como nas motos de corrida.

Finalmente, na versão “SP2”, as alavancas do travão e da embraiagem são fresadas nas extremidades para reduzir a resistência ao ar. Outro elemento essencial que caracteriza a Panigale V4 SP2 é que vem equipada com apoios de pés Rizoma. Os pedais são totalmente ajustáveis e maximizam a distância ao solo para uma utilização mais eficaz da via.

Pacote eletrónico sofisticado

A Panigale V4 SP2 tem um pacote electrónico que inclui controlos que gerem todas as fases de condução, cujos parâmetros de funcionamento estão ligados por defeito aos 4 Riding Modes (Race A, Race B, Sport e Street).

Todos os parâmetros electrónicos da moto são claramente visíveis graças ao painel de instrumentos e ao modo de visualização “Track Evo”, derivado do utilizado no MotoGP. Neste visor, o contador de voltas move-se numa escala horizontal na parte superior do instrumento, ou na parte mais visível, e a indicação da engrenagem está no centro do visor. No lado direito do visor encontram-se quatro sectores de cor diferentes, cada um dedicado a um controlo electrónico (DTC, DWC, DSC e ESC). Estes sectores iluminam-se individualmente quando a electrónica está a trabalhar num determinado parâmetro, permanecendo acesos durante o tempo necessário para que o piloto identifique qual o indicador que está activo.

Na versão “SP2”, o módulo GPS é standard, tornando possível activar a função automática Lap Time, que mostra instantaneamente dois tempos parciais da pista em que se está a andar. Além disso, ao carregar o software Slick Ducati Performance (disponível como acessório), o Ducati Traction Control em curvas foi desenvolvido especificamente para pneus slick e chuva e activa a possibilidade de memorizar as coordenadas de cinco pistas diferentes, bem como cinco modos de equitação adicionais totalmente personalizáveis. A isto soma-se o Ducati Data Analyzer, de série na SP2 que permite realizar uma análise aprofundada de todos os dados de desempenho em pista.

A nova Panigale V4 SP2 está disponível em configuração de um único lugar com a cor “Winter Test”, a partir de Março de 2022.

Ficha técnica

Motor: Desmosedici Stradale 90° V4, cambota contra-rotativa, 4 tempos desmodrómico, 4 válvulas por cilindro, arrefecimento líquido

Cilindrada: 1,103 cc

Diâmetro x Curso: 81 x 53,5 mm

Taxa de compressão: 14.0:1

Potência máxima: 215,5 cv @ 13,000 rpm

Binário máximo: 123,6 Nm @ 9,500 rpm

Alimentação: Sistema de injecção electrónica de combustível. Dois injectores por cilindro. Corpos de acelerador elípticos de viagem completa. Comprimento variável

sistema de entrada de comprimento variável

Embraiagem: a seco com controle hisráulico

Escape:  4-2-1-1-2, com 2 conversores catalíticos e 4 sensores lambda

Caixa: 6 velocidades com Ducati Quick Shift (DQS) acima/abaixo EVO 2

Transmissão final: Por corrente

Quadro: Estrutura frontal em liga de alumínio com rigidez optimizada

Suspensão dianteira: Forquilha pressurizada de 43 mm Öhlins NPX25/30 totalmente ajustável com tratamento TiN. Compressão electrónica e ajuste de ricochete com Öhlins Smart e Öhlins Smart EC 2.0

Suspensão traseira: Monoamortecedor Öhlins TTX36 totalmente ajustável. Compressão electrónica e ajuste de ricochete com modo Öhlins Smart EC 2.0

Pneus (FR./TR.): 120/70 ZR17 e 200/60 ZR17, Pirelli Diablo Supercorsa SP

Travão dianteiro: Discos semi-flutuantes de 2 x 330 mm, pinças Brembo Monobloco Stylema® R de 4 pistões com Bosch Cornering ABS EVO

Travão traseiro: disco 245 mm, calibre de 2 pistões com Cornering ABS EVO

Altura do assento: 850 mm

Peso a seco: 173 kg

Capacidade do depósito: 17 litros

Equipamento: Modos de condução, Modos de Potência, Cornering ABS EVO, Ducati Traction Control (DTC) EVO 3, Ducati Wheelie Control (DWC) EVO, Ducati

Controlo de Deslizamento (DSC), Controlo de Travagem do Motor (EBC) EVO, Calibração automática de pneus

Disponibilidade: Março de 2022

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments