Honda regista patente de um sistema autónomo em caso de acidente

By on 6 Agosto, 2021

O que acontece se depois de um acidente a moto continuar a rodar, sem condutor? A Honda patenteou um sistema inteligente para controlar uma moto que perdeu o seu condutor, derrubando-a para minimizar os danos!

As grandes marcas de motos trabalham há muito tempo na condução autónoma. Talvez neste sector, esta tecnologia não seja exatamente como nos carros, mas como uma espécie de “ajuda” para rolar com mais segurança. A Honda deu um passo adiante e patenteou um sistema que, baseado numa moto com ajuda desse tipo, pode tomar decisões de forma autónoma. 

A moto que cai sozinha!

A Honda já apresentou uma moto que mantém o equilíbrio e possui várias patentes para sistemas de controle automático de curva, entre outros auxílios para a futura condução assistida sobre duas rodas. Agora descobrimos uma nova patente que tira proveito dessa tecnologia, mas pensando em circunstâncias, talvez um pouco incomuns, mas … possíveis.

A moto desta patente (cujo desenho se parece com a antiga Pan European) possui diferentes sensores que informam a sua unidade de controle da velocidade e inclinação. Além de outros aspetos, dão também informações sobre o meio ambiente: um radar para calcular distâncias a outros veículos e objetos próximos e um LIDAR que utiliza lasers para poder ter uma “foto” do seu entorno próximo. 

Além disso, os acelerómetros e outros sensores informam à unidade de controle se houve uma queda e, principalmente, se o condutor ainda está no seu lugar. No caso de um impacto lateral com outro veículo, despiste, ou mesmo numa colisão frontal com outro veículo, o condutor pode perfeitamente ser projetado para fora da moto.

É aqui que entra em ação a nova tecnologia da Honda. Antes da tomada de decisão em milésimos de segundo, o sistema analisa se houve uma pancada, se o motociclista foi projetado ou ainda está na moto e se continua a direcioná-la. A partir daí, calcula o ambiente para saber se existe uma direção segura para ir (sem objetos ou pessoas). Caso contrário, o sistema irá ‘derrubar’ a moto, girando o guiador e fazendo com que ela caia e pare; se houver uma “brecha”, o sistema irá virar a moto de forma que ela vá para lá, evitando obstáculos . Em ambos os casos, no final a moto vai cair, mas mantendo o sentido reto após a queda para minimizar os danos.

A verdade é que ao ter pensado nessa situação, isto indica que a Honda está muito à frente  no que diz respeito à próxima geração de ajudas de condução nas motos. 

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments