Royal Enfield: a aposta numa opção elétrica e acessível

By on 21 Agosto, 2020

INDEPENDENTEMENTE DO LADO EM QUE SE ESTEJA NA “REVOLUÇÃO ELÉTRICA” EM CURSO, A FAVOR OU CONTRA, A VERDADE É QUE OS FABRICANTES SE PREPARAM PARA QUE HAJAM MUITO MAIS OPÇÕES DE MOTOS ELÉTRICAS NOS PRÓXIMOS ANOS. FIQUE ATENTO A ESTE TEMA! 

Sobre quando, e onde as vamos encontrar, esse é um campo ainda de muitas interrogações, mas um fabricante claramente a favor da opção elétrica é a indiana Royal Enfield, que confirma estar a trabalhar nesse sentido.

Embora uma desaceleração no mercado local indiano se tenha feito sentir devido aos efeitos da pandemia, a Royal Enfield, recentemente, já percebeu que não pode viver apenas do mercado doméstico é por isso quer relançar as vendas no mercado externo com produtos mais acessíveis, seguindo numa direção oposta muitos rivais que preferem apresentar modelos premium e carregados de tecnologia (ou seja, caros).

Com isso em mente, uma Royal Enfield elétrica seria a opção. A marca indiana tem insinuado que está com a atenção posta nas motos elétricas (EV) há algum tempo e talvez não seja surpresa, dado os regulamentos de emissões cada vez mais apertados na Índia e a nível global.

Como tal, o CEO da Royal Enfield, Vinod Dasari, confirma agora que está a formular um plano para um modelo elétrico, embora admita que não tem certeza de qual modelo será.

“Elétrico é algo em que temos pensado há algum tempo”, disse ao Moneycontrol. “Estamos a tentar descobrir exatamente qual é o segmento certo para nós. Elétrico é algo que levamos muito a sério.”

Bullet Photon, o primeiro protótipo elétrico

A nova moto é uma Royal Enfield Bullet eletrificada, cujo processo de eletrificação foi comandado pela empresa britânica Electric Classic Cars (ECC), especializada em conversões de automóveis. O destaque da moto vai para os seus componentes, muitos deles fabricados em impressora 3D. Um deles é o pacote de baterias, que ficam armazenadas em um conjunto criado em impressora 3D.

A Royal Enfield elétrica foi batizada de Photon e utiliza baterias de íon-lítio de 2,5kWh, que geram uma força total de 13kW (17,6 CV) para o motor elétrico, que é refrigerado a água e vai montado na roda traseira. Segundo a Royal Enfield , a moto pode retomar de 48 km/h para 80 km/h em 6 segundos e chega à velocidade máxima de 112 km/h.

Além disso, tem autonomia para rodar entre 128 km e 160 km com uma carga, mantendo velocidades médias de 80km/h a 96km/h. A moto elétrica tem um carregador rápido que permite uma recarga total em 90 minutos.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments