WMC250EV: Com um túnel para ser a elétrica mais rápida do mundo

By on 30 Junho, 2021

Esta pode vir a ser a moto elétrica mais rápida do mundo, graças ao invulgar buraco que a percorre longitudinalmente. A tecnologia V-Air é baseada no túnel que atravessa esta moto elétrica da frente para trás, reduzindo o arrasto aerodinâmico em 69%.

A empresa britânica White Motorcycle Concepts (WMC ) pretende estabelecer o recorde mundial de velocidade para uma moto elétrica com a WMC250EV, projetada e construída em torno de um buraco gigante. De acordo com a empresa, com a sua tecnologia aerodinâmica de redução de arrasto, será capaz de chegar a 402 km/h (250 mph) para posteriormente ser implantado em modelos de estrada.

À frente do projeto WMC está Rob White, um engenheiro que dedicou 25 anos da sua vida ao mundo das corridas na Fórmula 1 e às 24 Horas de Le Mans. Portanto, a abordagem do design desta moto elétrica é fortemente influenciada pelo mundo dos supercarros de última geração: para ir muito rápido, a aerodinâmica é muito mais importante do que a potência. O ar é um adversário feroz quando a velocidade aumenta, e ainda mais quando se deseja atingir velocidades que vão além de duas ou três vezes às que são permitidas nas autoestradas. Este é o conceito do projeto.  

No entanto, as motos são aerodinamicamente muito ineficientes e precisam de grandes carenagens, principalmente para evitar a turbulência criada pelo piloto que as conduz. Mas a WMC250EV emprega outra estratégia, porque foi projetada especificamente para o seu piloto, o próprio Rob White. O laser scaneou o seu corpo deitado em cima dela numa posição de corrida extrema, e projetou o corpo para combinar com seus contornos pessoais quase ao milímetro.

Mas acima de tudo, ou melhor, abaixo do piloto, destaca-se um grande buraco que utiliza o efeito Venturi . Muitos hipercarros de alta tecnologia usaram tubos Venturi para aumentar a eficiência aerodinâmica, mas esta é a primeira vez que são usados ​numa moto. Tudo isso é projetado em torno de um túnel de carbono, que forma um grande buraco que vai da frente para a parte traseira, à altura em que o farol normalmente se localiza.

A WMC já testou a moto no túnel de vento (piloto incluído) nas suas instalações Horiba MIRA, perto de Hinckley. Os resultados são encorajadores: a moto-concept reduz a resistência do ar em 69% em comparação com “a moto líder do mundo”, com um coeficiente de arrasto de apenas 0,118. 

Para abrir esse enorme buraco naquela altura, o WMC teve que colocar todos os componentes mecânicos da moto por baixo dela. Ai se encontra todo o sistema de transmissão e a bateria. Além disso, como a sua posição coincide com a situação do cabeçote de direção e do garfo dianteiro, também afeta a suspensão dianteira.

A solução foi utilizar um sistema de suspensão com braço oscilante duplo, dianteiro e traseiro. A transmissão para a roda traseira é feita por meio de uma corrente acionada por dois motores elétricos de 30 kW (40 cv) embutidos no braço oscilante. Um cubo foi integrado na roda dianteira que substitui o sistema de direção usual que o liga ao guiador. Mas isso não é tudo. Se uma direção deste tipo já é muito complexa mecanicamente, visto que é necessário combinar a direção com a travagem, neste caso o projeto é complicado por integrar também um par de motores elétricos adicionais de 20 kW (27 cv) em cada lado. O resultado é uma moto com tração nas duas rodas e travagem regenerativa.

Entre o design da sua mecânica e a eficiência aerodinâmica, White afirma que esta moto  pode duplicar a autonomia de uma moto normal com a mesma bateria . Nesse caso, o pacote é bastante contido, 15 kWh de capacidade e a potência total que os quatro motores elétricos são capazes de oferecer é de 100 kW (134 cv), bem abaixo dos 270 kW (362 cv) da Voxan Wattman com o qual Max Biaggi conseguiu bater 11 recordes mundiais em novembro do ano passado .

“Produzimos a moto mais aerodinamicamente eficiente do mundo”, diz White. A meta para 2022 é chegar a 402 km/h (250 mph), atualmente o recorde mundial de velocidade para motos elétricas semiaerodinâmicas. O cenário escolhido para isso serão as salinas da Bolívia.

Mas o plano de White não para por aí, pois sua intenção é testar esse projeto e depois implementá-lo em motos elétricas normais. Para isso, patenteou internacionalmente a tecnologia com o nome “V-Air”.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments