Acidentes rodoviários: Como as estatísticas podem ser enganadoras!

By on 25 Agosto, 2021

As autoridades norueguesas afirmam que está a tornar-se cada vez mais perigoso conduzir motociclos e têm estatísticas que o comprovam. Mas Odd Terje Døvik, presidente da organização norueguesa de motociclistas NMCU, afirma precisamente o contrário, que nunca foi tão seguro andar de moto na Noruega. Afinal quem tem razão?

Fonte: FEMA

Segundo um ditado, existem três tipos de mentiras: mentiras, malditas mentiras e estatísticas. A última refere-se ao uso de números e estatísticas que fornecem uma imagem errada, enganosa ou totalmente falsa da realidade.

O tratamento dado pela Administração Pública de Estradas da Noruega aos números de acidentes com motociclistas é um exemplo disso. É uma mentira maldita e uma mentira estatística, que está a tornar-se cada vez mais perigoso andar de moto nas estradas norueguesas. A Administração Pública de Estradas da Noruega está a tentar documentar isso referindo-se ao aumento do número de acidentes fatais com motos nos anos mais recentes. É verdade que o número absoluto de acidentes fatais com motos aumentou do ‘último ano’ em 2011 para o ‘ano de pico’ o ano passado, mas isso não diz nada sobre o desenvolvimento do risco.

O fato do número de fatalidades ter aumentado, apenas nos diz que o número de fatalidades aumentou. Para saber se este aumento no número de mortes também levou a um aumento do risco, são necessários mais números. Como é sabido, o risco é um conceito relativo. Pode-se – por exemplo – comparar o número de pessoas mortas com o número de quilómetros rodados, ou o número de motos nas estradas. O primeiro não é tão fácil de calcular, mas sabemos mais sobre o último. E esses números mostram que o número de motociclistas mortos e gravemente feridos caiu para metade no mesmo período, o número de motos registradas dobrou!

Assim, é uma mentira maldita que está a tornar-se cada vez mais perigoso andar de moto na Noruega. De acordo com o que diz Odd Terje Døvik, presidente da organização norueguesa de motociclistas NMCU, “a verdade é que nunca foi tão seguro. A verdade é que o efeito combinado do treino aprimorado dos condutores e dos sistemas de ajuda à condução cada vez mais avançados nas motos, reduziu significativamente o risco de morte ou ferimentos graves com uma moto. Não estamos a dizer que é isento de riscos, nem que uma moto é tão segura quanto um carro (nunca será). Dizemos apenas que o risco foi reduzido de acordo com as várias medidas de redução de risco. Afirmar o contrário é, na melhor das hipóteses, uma mentira estatística.”

A Administração Pública de Estradas da Noruega tornou um péssimo hábito confundir números absolutos de acidentes com risco relativo de acidentes. “Ao mesmo tempo, eles são bons em apontar o dedo aos motociclistas em geral. Nós, motociclistas, devemos calcular melhor a velocidade, praticar mais as curvas, travagens de emergência e manobras de desvio. Devemos nos equipar de modo adequado, ficar acordados e alertas. Sim, devemos. Até porque temos a dolorosa consciência de que somos nós que nos ferimos mais quando acontecem os acidentes”, afirmou Odd Terje.

‘Quantos rails protegidos para motos a Administração Pública de Estradas da Noruega montou no ano passado?’ Odd Terje Døvik, presidente da NMCU

“É sabido que muitos acidentes acontecem porque o condutor perde o controle nas curvas para a esquerda. Atrevo-me a perguntar à Administração Pública de Estradas da Noruega quantos rails protegidos para motos montaram em curvas perigosas à esquerda no ano passado?

Fiz mais de 10.000 km em estradas norueguesas no verão passado, e o número de curvas à esquerda com rails protegidos podia ser contado com os dedos de uma mão. Nós sabemos, e a Administração Pública de Estradas da Noruega sabe, que os rails protegidos para motos oferecem um risco significativamente reduzido de ferimentos ou morte se o motociclista perder o controle numa curva.

Nós sabemos, e a Administração Pública de Estradas da Noruega sabe, que linhas de visão melhoradas através das curvas contribuem para maior previsibilidade, trajetórias mais precisas e um melhor gerenciamento de velocidade. Nós sabemos, e a Administração de Estradas Públicas da Noruega sabe, que o mau estado de estradas secundárias representa um perigo acrescido para veículos de duas rodas. A lista é longa; Estas são apenas algumas das medidas de segurança rodoviária descritas nos planos de ação nacionais.

Nós, motociclistas, assumimos e continuaremos a assumir a responsabilidade pelas nossas próprias ações. Agora esperamos que a Administração de Estradas Públicas da Noruega faça a sua parte! Da próxima vez que esta entidade sentir necessidade de nos lembrar da nossa responsabilidade, espero que também se lembre da sua.”

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments