Venda de motos sobe 15% em 2021

By on 2 Fevereiro, 2022

Apesar de várias restrições ao longo do ano devido à pandemia, o mercado de motociclos registou um crescimento total de 15% face ao ano de 2020. Foram matriculados 36.925 veículos novos de ‘duas rodas’ em Portugal.  

Abordar o mercado de motos durante 2021, não tem forçosamente de ser um mero exercísio aritmético para explicar o que se passou ao longo 12 meses. A realidade mostrou-nos que nem sempre foram os novos modelos a ditar o crescimento do fabricante A ou B, que contaram mais para a compra de motos as tendências do momento, os factores sócio-económicos…

Some-se a isto as consequências da pandemia que trouxe restrições a todos.  Desde os utilizadores da moto, aos fabricantes, importadores, concessionários e oficinas. Entrou-se numa nova realidade, que num primeiro período fez parar fábricas, para depois ocasionar atrasos nas entregas de motos em 2021, por atrasos na chegada à Europa de componentes vindos da Ásia (ECU, ABS, matérias primas como magnésio). E estamos a falar de atrasos na chegada das motos aos stand, não de semanas, mas sim meses. A este cenário, o mundo das motos em geral, reagiu com energia redobrada e grande resiliência. E o nosso país não fugiu à regra!

Em termos acumulados, nos doze meses de 2021, os nossos 15% de evolução permitiram  colocar em circulação 33.919 novos motociclos (só duas rodas, excluindo os triciclos e quadriciclos (vulgo Moto4). Em Dezembro de 2021 foram matriculados em Portugal 1.875 unidades, o que representou um aumento de 36,0 por cento face a igual mês de 2020. É pouco? Não é, e mais que isso, esse resultado abre portas para se manter a tendência de crescimento em 2022. Comparativamente a outros mercados, os nossos 15% de 2021 foram superiores a França (+8,5%), a Espanha (+8,0%); apenas Itália (+23,6%) superou todos os mercados.

Em Portugal marcas como a Honda, Triumph, Ducati, Aprilia, KTM/Husqvarna estiveram no topo em termos de crescimento ao longo do ano passado. Nas marcas estreantes, ou ainda muito recentes, destacaram-se nomes como a Macbor e ‘marca elétricas’ como a NIU e SuperSoco tiveram a oportunidade de se afirmar em 2021. Face a este cenário, acreditamos que há um forte potencial de crescimento para este novo ano!

Por fim, e em termos de segmentos e modelos as utilitárias e econonómicas scooters mantiveram-se no topo, lideradas pela Honda PCX 125 (3.441 unidades), na frente da rival  NMAX 125 da Yamaha (1590), Zontes ZT 125 (596), Keeway Superlight (555), Zontes ZT 125 (596) e Benelli BN 125 (414) que fecharam o top 5 das 125 mais vendidas.  Acima dos 125cc o ranking das motos mais vendidas foi discutido entre a Honda NC750 X (994 unidades) e a BMW R 1250GS (908).

Os motociclos até 125cc matriculados nos doze meses de 2021 totalizaram 18.015 unidades, o que representou um aumento de 13,8 por cento face a igual período do ano anterior.  Em termos acumulados, no ano de 2021 forma matriculados 15.904 motociclos com cilindrada superior a 125cc, o que representou um crescimento de 18,9 por cento face ao ano de 2020.  Também no ano de 2021, foram matriculados 1.689 ciclomotores, o que se traduziu num decréscimo de 10,4 por cento relativamente ao ano anterior. Aqui sim, o saldo do ano é negativo e há razões de sobra para preocupações! Por último nos doze meses de 2021, o mercado de triciclos (3 rodas) matriculou 262 veículos, equivalente a um aumento de 26,0 por cento em comparação com o ano de 2020. Tudo somado, em termos gerais o ano de 2021 acabou com um saldo positivo.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments