MV Agusta e a eletrificação: “As motos de performance ainda são a nossa categoria”

By on 12 Maio, 2021

Os fabricantes de motos ainda são em grande parte ambivalentes em relação à eletrificação. Embora a Husqvarna tenha revelado recentemente o seu concept E-Pilen e a Triumph esteja a trabalhar com apoio governamental no protótipo hipernaked TE-1, marcas como a Ducati ainda estão relutantes em se comprometer com plataformas elétricas. Da mesma forma, a MV Agusta segue sem pressa em direção à eletrificação.

A pequena fábrica italiana é conhecida por seus modelos ultra-exclusivos, mas entrar na arena elétrica neste momento não satisfaria o cliente MV Agusta existente, de acordo com o CEO Timur Sardarov. “De acordo com a nossa pesquisa, as motos de performance ainda são a categoria a que pertencemos, e ainda estamos a pelo menos cinco ou sete anos de introduzir algo que faça sentido em termos de DNA da marca, desempenho, peso e densidade de energia”, disse Sardarov à publicação MCN.

Embora muitos construtores vejam a indústria a mover-se (lentamente) em direção à eletrificação, muitos não conseguem conciliar as limitações atuais com as expectativas dos clientes. A LiveWire da Harley foi um sucesso crítico, e a marca esforça-se bastante para tirar unidades dos seus stants de vendas. A implantação medida da Triumph do conceito elétrico hipernaked TE-1 pode ser a norma a seguir, especialmente à medida que as marcas calculam a reação do cliente ao lado da pesquisa e desenvolvimento.

“Vamos começar a trabalhar nos produtos elétricos a partir do próximo ano, mas será mais um estudo sobre como chegar lá”, acrescentou Sardarov.

A MV Agusta pode estar atrasada para o mundo elétrico, mas isso não significa que não o possa alcançar nos próximos cinco a sete anos. A marca recentemente garantiu financiamento adicional para novos projetos de expansão, e Sardarov está confiante na equipe de engenharia da empresa.

“Temos muito conhecimento em engenharia e a proporção de funcionários de engenharia da MV Agusta é a mais alta do setor”, explicou Sardarov. “Cerca de 25% da nossa força de trabalho faz parte da pesquisa e desenvolvimento. Nenhuma outra empresa tem isso.”

Infelizmente, não veremos um motor elétrico atrás de um conjunto impressionante de carenagens MV Agusta tão cedo. No entanto, existe a confirmação de Sardarov de que a marca está a trabalhar nesse sentido… Veremos. 

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments