Mercado – As Adventures não param de crescer

By on 5 Março, 2019

Poucos levam uma moto aventura aos extremos de utilização no terreno que elas, supostamente, foram projetadas para enfrentar… viagens intercontinentais exóticas podem permanecer apenas na imaginação dos donos, mas só a ideia de que poderiam, se quisessem, contemplá-las, faz deste segmento um dos mais dinâmicos e variados do plantel das duas rodas.

Dimensões generosas, que proporcionam ao mesmo tempo conforto, espaço e a dose certa de imagem e pose estão decerto, em boa parte, na origem do sucesso cada vez maior do segmento das Turísticas Aventureiras. Porém, para lá disso, outros fatores contribuíram para o crescimento do segmento.

Para começar, a natureza do viajar em si evoluiu: Com os preços de combustível e controlos de velocidade cada vez mais rigorosos, já não se pretende atravessar a Europa a 200 Km/h, agachados atrás do saco de depósito, antes descobrir o prazer de rolar prazenteiramente por estradas secundárias, deixando a paisagem desenrolar perante os nossos olhos e os quilómetros acumular pacatamente no mostrador sem que o cansaço se acumule nos nossos corpos… Nada melhor para tal que um dos numerosos modelos deste segmento que vem crescendo em vitalidade e multiplicidade de oferta…

Seja como for, com vendas em baixa noutros segmentos, as marcas saltaram à oportunidade de capitalizar no sucesso de alguns modelos pioneiros, como a Ténéré ou a BMW GS e alargaram a oferta, esbatendo as fronteiras do que era considerado originalmente uma Aventureira… estas já não têm de vir eriçadas de barras protetoras, malões, vidros acessórios e depósitos de 35 litros.

A adoção de modernas injeções eletrónicas, com o seu efeito nos consumos e portanto na autonomia, também jogaram a sua parte nesta revolução silenciosa… Hoje, uma Aventureira pode ser uma moto de estrada desportiva, rápida e suave, dotada de uma boa posição de condução e capacidade de carga, como as BMW S1000XR ou a Yamaha Tracer, ou completamente virada para o TT como as KTM Adventure ou Africa Twin da Honda, ou uma combinação de ambas, como as Crosstourer da Honda ou Versys da Kawasaki.

A expansão do mercado teve justamente, em grande parte, a ver com esse esbater das definições, criando outros tantos nichos ou sub-segmentos, se quiserem, do conceito original duma grande trail que, com a adição de alguns compartimentos de bagagem, estava pronta a enfrentar o deserto ou a savana. Onde os fabricantes eram lentos a reagir, um sem número de acessórios paralelos vieram colmatar as lacunas.

Finalmente, as próprias marcas introduziram as suas linhas de acessórios, indo ao encontro do desejo de individualizar a máquina ao gosto de cada um e garantindo que tudo cabia e encaixava sem drama- porque tinha sido projetado para isso mesmo!

Mas como estão as vendas globais? Enquanto em vários países da Europa as vendas de motos, como um todo, estão a descer de há um par de anos a esta parte, com as Supersport, por exemplo, muito afetadas, e as Custom em baixa também, as Turismo Aventura até subiram em 2017, aliás, foram o único segmento que o fez, nunca esquecendo que tendem a ser modelos na faixa alta de preços, e portanto com uma clara componente de mais-valia para as marcas…

Por outras palavras, há que vender talvez uma dúzia de 125s para realizar o mesmo lucro que uma 1200 traz. Claro que Portugal, com a legislação das cartas a favorecer as 125, é uma exceção de certo modo, mas modelos como a GS da BMW acompanham esta tendência global. Aliás, as GS são um fenómeno na maioria dos mercados.

Por exemplo, no Reino Unido, se somarmos as R1200GS e R1200GS Adventure vendidas em 2017, dá a bonita soma de 4.290 unidades, batendo facilmente as 2.795 da Honda PCX, que no entanto custa 5 vezes menos! Depois, talvez não seja surpresa descobrir que a segunda mais vendida é outra Turismo Aventura, a Africa Twin da Honda, com 2.365.

Em Portugal, e falando entre Janeiro e Setembro de 2018, os primeiros 5 modelos em vendas da BMW são todas Turismo Aventuras e dão conta de 74% das vendas da marca. Continuando nas Turismo Aventuras, a CB500X da Honda vendeu o mesmo que todos os modelos Ducati juntos no mesmo período…

Faça-se o que se fizer das estatísticas, uma coisa é certa: As Turismo Aventuras estão a crescer na aceitação do público e continuam de força em força!

Deixe um comentário

Seja o primeiro a comentar!